Museu Arqueológico de Tessalônica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A Kratera Derveni, c. 330-320 a.C., uma das peças mais importantes do acervo do museu

O Museu Arqueológico de Tessalônica é um museu da Grécia, localizado na cidade de Tessalônica, voltado à preservação de um rico acervo que ilustra a arte e história de Tessalônica e da Macedônia Antiga desde a Pré-história até o período romano.

História[editar | editar código-fonte]

O embrião do atual museu foi fundado em 1912 pelo Eforado de Antiguidades apenas duas semanas depois que a cidade passou para a soberania grega. Em 1925 um templo muçulmano, o Yeni Cami, foi entregue à administração civil e passou a receber o acervo. Durante a II Guerra Mundial muitas peças foram escondidas para evitar danos, e foram reintegradas à exposição pública em 1953. Neste ínterim, em 1950 foi destinada uma grande verba para a construção de um espaço mais adequado.[1]

O prédio atual foi construído com um projeto de Patroklos Karantinos, e inaugurado em em 1962, sendo extensivamente restaurado em 1980, 2001 e 2004. Desde 2002 o Museu Arqueológico de Tessalônica é um Serviço Regional Especial separado do Ministério da Cultura. Foi reinaugurado em 2006 com seu acervo foi reorganizado em exposições temáticas que reconstituem a vida dos povos que habitaram a região. O museu também oferece ao público um programa de atividades paralelas que incluem oficinas, seminários, palestras e eventos recreativos.[1]

Módulos temáticos[editar | editar código-fonte]

Memória e Pedras[editar | editar código-fonte]

Espaço a céu aberto com restos de antigos monumentos de Salônica e da Macedónia.[2]

Macedônia Pré-Histórica[editar | editar código-fonte]

Abordando a vida na pré-história, com destaque para a civilização Micênica, enfocando meios de subsistência, criação de animais, atividades de caça e pesca, elaboração de ferramentas, armazenagem de produtos e vários outros aspectos do cotidiano daqueles tempos longínquos, incluindo a religião e organização social.[3]

Em rumo ao nascimento das cidades[editar | editar código-fonte]

Com material resgatado de aldeamentos e cemitérios da Idade do Ferro, na região entre o monte Atos e o monte Olimpo. Ilustra aspectos das primeiras urbanizações auto-suficientes e suas rotas de comércio e intercâmbio cultural com outras regiões, bem como trata das inovações na organização do sistema produtivo agrícola, que possibilitaram o surgimento de importantes cidades.[4]

Macedônia do século VII a.C. até a Antiguidade tardia[editar | editar código-fonte]

Estátua de Harpócrates

Enfocando em especial a vida dos macedônios desde a criação do Reino da Macedônia até o período romano. Compreende sub-módulos temáticos para a economia, política, sociedade, culto, guerra, morte, cotidiano, comércio e arte, com peças de Tessalônica, Pieria, Kilkis e Calcídica, algumas inéditas para o público. Recursos multimídia apresentam a organização das cidades e tumbas da Macedônia, e mostram reconstituições modernas de antigas peças teatrais e musicais, em especial uma composição musical recentemente decifrada encontrada em Vrasna.[5]

Tessalônica, a Metrópole da Macedônia[editar | editar código-fonte]

Reconstitui o papel central desempenhado pela cidade durante o período romano, formando um panorama dos seus dias de glória, com reconstituição de um percurso entre os principais pontos de interesse arqueológico e artístico, como os cemitérios, o complexo de Galério, a Ágora, o antigo centro administrativo, e outros. Coroa este módulo uma reconstituição de um templo jônico do período arcaico, transferido por inteiro em tempos romanos de seu local de origem - desconhecido - para a área do santuário de Tessalônica, com importante estatuária.[6]

Ouro da Macedônia[editar | editar código-fonte]

Com notável coleção de ourivesaria dos períodos arcaico e clássico, com ilustração dos processos de mineração, refino e aplicação artística do ouro.[7]

Peças principais[editar | editar código-fonte]

Dentre o rico acervo do museu se destacam a célebre Kratera Derveni, com profusa decoração, a estátua de Harpócrates, uma cabeça de Serápis, um elmo de bronze com uma máscara de ouro inclusa encontrada no cemitério de Sindos, uma cópia da Afrodite desnuda e um escudo de ouro das tumbas reais de Vergina.

Referências

  1. a b Museu Arqueológico de Tessalônica. História.
  2. Museu Arqueológico de Tessalônica. Memória e Pedras.
  3. Museu Arqueológico de Tessalônica. Macedónia Pré-histórica.
  4. Museu Arqueológico de Tessalônica. Ao Nascimento das Cidades.
  5. Museu Arqueológico de Tessalônica. Macedônia a partir do século 7 aC até a Antiguidade Tardia.
  6. Museu Arqueológico de Tessalônica. Thessaloniki, Metropolis da Macedónia.
  7. Museu Arqueológico de Tessalônica. O Ouro da Macedónia.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Museu Arqueológico de Tessalônica