Museu de Arte Assis Chateaubriand

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Museu de Arte Assis Chateaubriand (MACC) é um museu de arte brasileiro, localizado na cidade de Campina Grande, no estado da Paraíba. Foi criado em 1967, fruto da Campanha Nacional dos Museus Regionais, idealizada pelo magnata das comunicações Assis Chateaubriand, que tinha por objetivo dotar as diferentes regiões do Brasil com expressivos acervos de arte. Foi administrado pela Fundação Universitária de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Furne), uma instituição privada sem fins lucrativos, que atualmente se chama Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

O museu estava sediado em um edifício histórico, erguido na década de 1920 para abrigar a primeira escola estadual de Campina Grande, e foi transferido para um novo prédio no bairro do Catolé. Sua coleção é composta por mais de 500 objetos, entre pinturas, esculturas, desenhos, gravuras e colagens, produzidos por artistas brasileiros e estrangeiros, abrangendo majoritariamente o período que vai do Academicismo oitocentista às vanguardas da década de 1960.

História[editar | editar código-fonte]

O Museu de Artes Assis Chateaubriand foi inaugurado em 20 de outubro de 1967 e funcionava inicialmente no prédio da reitoria da Fundação Universidade Regional do Nordeste - FURNe, atual Universidade Estadual da Paraíba. Em 1973 o museu foi transferido para o prédio da antiga cadeia, na Av. Floriano Peixoto, atual Museu Histórico e Geográfico de Campina Grande. Somente no ano de 1976 foi que passou a ocupar seu segundo espaço, dentro da área do Parque Evaldo Cruz (Açude Novo), para finalmente em 2012 se transferir para um prédio moderno no bairro do Catolé.

O edifício da reitoria da UEPB, onde funcionou o museu até 1973, foi restaurado em 1997, onde criou-se a Galeria de Arte com o objetivo de expor ao público as obras da fase de instalação do museu, restauradas.

Antes de ser efetivamente conhecido por Museu de Artes Assis Chateaubriand, o museu já teve vários outros nomes. Os primeiros nomes do museu foram: Museu de Arte Pedro Américo e Museu Regional Pedro Américo.

Mais tarde, o museu recebeu denominação semelhante a outros museus que haviam sido fundados na mesma época, dentro da mesma campanha. Assim, o museu de Campina Grande foi renomeado para Museu Regional de Campina Grande, devido aos nomes do Museu Regional de Olinda (Olinda - PE) e do Museu Regional de Feira de Santana (Feira de Santana - BA).

Em 10 de agosto de 1967, o Dr. Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Melo entregou ao Magnífico Reitor da Fundação Universidade Regional do Nordeste, Prof. Edvaldo de Souza do Ó o primeiro acervo do museu, chamado de "Coleção Assis Chateaubriand, com 120 peças. E assim o nome final do museu foi obtido.

Mostra[editar | editar código-fonte]

A coleção do museu abrange obras que vão desde o Academismo Neoclássico Brasileiro até a modernidade. Tem também obras do abstracionismo e da neovanguarda da década de 60. Inclui importantes artistas da arte Primitiva.

Acervo[editar | editar código-fonte]

Mostra de Desenhos Orientais - Jun/2006

O acervo museológico é composto atualmente de 474 obras de arte. Nestas obras podem ser encontradas várias técnicas e procedimentos de artes, incluindo desenhos, pinturas, esculturas, gravuras, colagens e outros métodos. Apresenta a arte em diversos momentos do cenário brasileiro. A Coleção Assis Chateubriand, com 120 obras, pode ser vista em parte no Prédio Histórico da Reitoria, na UEPB

Atualmente, o acervo conquistou exemplares que mostram as artes visuais da Paraíba, com produções de artistas de outras regiões do país e do exterior.

O museu possui uma exposição permanente com a sua mostra original de inauguração Brasil: do XIX ao XX, na Galeria da Reitoria da UEPB. Mais de 90 quadros foram trazidos pelo jornalista Assis Chateaubriand para a cidade, de diversos artistas, dentre os quais: Pedro Américo, Cândido Portinari, Anita Malfatti, Ismael Nery e Antônio Dias.

Normalmente, as exibições ao público podem ser vistas a qualquer momento do ano e sempre mudam, alterando-se o tema da mostra.

Serviços[editar | editar código-fonte]

O museu possui um atelier para a conservação e restauração de objetos artísticos. Tem um auditório e uma área disponível para atividades culturais e de lazer. Oferece para a comunidade oficinas de arte para adultos e crianças, sessões de vídeos, e apoia movimentos culturais e artísticos com seminários, cursos e palestras.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]