Museu do Ar e Espaço

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Museu do Ar e Espaço
Inauguração 1 de julho de 1976 (38 anos)
Visitantes 5 023 565 (em 2006)
Website http://www.nasm.si.edu/
Geografia
País  Estados Unidos
Cidade  Distrito de Colúmbia
Localidade National Mall

O Museu do Ar e do Espaço (em inglês: National Air and Space Museum, NASM) do Instituto Smithsoniano é um museu em Washington, D.C., Estados Unidos, e é o mais popular dos museus do Smithsonian. Ele mantém a maior coleção de aeronaves e naves espaciais de todo o mundo. É também um centro vital de pesquisa sobre a história, ciência, tecnologia da aviação e daTerra, assim como ciência terrestre e planetária, geologia e geofísica. Quase todos as espaçonaves e aeronaves em exposição são originais.

O Museu do Ar e Espaço é considerado uma das mais importantes obras de arquitectura moderna de Washington. Devido a proximidade do museu ao Capitólio dos Estados Unidos, a Smithsonian Institution queria que fosse um edifício arquitetonicamente impressionante, mas que não se destacasse contra o Capitólio. O arquiteto Gyo Obata da Hellmuth, Obata e Kassabaum de St. Louis aceitou o desafio e projetou o museu como quatro cubos travertinos contendo as exibições menores, conectados por três espaçosos átrios de aço e vidro que exibem os maiores itens, tais como mísseis, aviões e naves espaciais. O museu, construído pela Companhia Gilbane Building, foi concluída em 1976. A parede de vidro oeste do prédio é utilizado para a entrada dos aviões, funcionando como uma porta gigante.[1]

Coleção[editar | editar código-fonte]

O átrio central do museu possui a exibição Marcos do Voo, com alguns dos mais importantes artefatos e veículos da história da aviação e espaço.

Uma variedade de aeronaves em exposição no Museu do Ar e Espaço. Entre elas Ford Trimotor e Douglas DC-3 (topo e segundo a partir do topo).

Suspensos no teto[editar | editar código-fonte]

No piso do átrio[editar | editar código-fonte]

Outros itens relevantes[editar | editar código-fonte]

  • O Wright Flyer original que fez o primeiro voo controlado, desenvolvido em 1903.
Wright Flyer, Museu do Ar e Espaço.

O Museu do Ar e Espaço possui 50000 artefatos, aos quais são adicionados milhares de outros artefatos todo ano. Além disso para melhorar a experiência do visitante e permitir que o público sinta o gosto de voar existem dois simuladores de voo interativos ([1] e [2]).

Centro Steven F. Udvar-Hazy[editar | editar código-fonte]

Space Shuttle Enterprise em display no centro Udvar-Hazy.

O museu tem um anexo maior, o Centro Steven F. Udvar-Hazy, localizado perto do Aeroporto Dulles, inaugurado em 15 de dezembro de 2003 . O seu projeto prevê uma coleção de 900 aeronaves[2] com 135 aeronaves em exibição. O centro foi viabilizado 65 milhões de dólares de doações, em outubro de 1999, para o Smithsonian Institution, por Steven F. Udvar-Hazy, um imigrante da Hungria e co-fundador da International Lease Finance Corporation.[2] A construção do centro exigiu quinze anos de preparação[3]

Algumas aeronaves do Centro Steven F. Udvar-Hazy.

Itens selecionados[editar | editar código-fonte]

Unidade de restauração[editar | editar código-fonte]

A coleção possui um total superior a 30000 ítens relacionados com a aviação e 9000 relacionados ao espaço, e é, assim, muito maior do que cabe no salão principal. Muitas das aeronaves estão no Centro Paul E. Garber de Conservação, Restauração e Armazenamento, também às vezes chamado de Unidade Silver Hill", em Suitland Silver-Hill, Maryland. A unidade foi adquirida pela Smithsonian Institution em 1952 como um local de armazenamento para a crescente coleção de aeronaves. É chamado de Paul E. Garber em homenagem ao ex-curador da coleção, e é constituída por 32 prédios.

Outras unidades[editar | editar código-fonte]

Os arquivos do museu de são divididos entre o prédio principal e a unidade Garber, em Suitland. As coleções incluem artigos pessoais e profissionais, registros corporativos, e outras coleções montadas por assunto.

O museu inclui o Centro de Estudos da Terra e Planetas (Center for Earth and Planetary Studies - CEPS), que realiza pesquisas geológicas e geofísicas relacionadas a todos os planetas do sistema solar. O CEPS participa de programas que envolvem sensoriamento remoto, satélites e sondas não tripuladas.

O museu possui também uma biblioteca de pesquisa, no prédio principal do museu.

História[editar | editar código-fonte]

Foi inicialmente chamado de Museu Nacional Aéreo (National Air Museum), quando foi criado em 12 de agosto de 1946, através de ato do Congresso dos Estados Unidos[2] [4] algumas peças da coleção do museu datam de 1876, quando da Feira da Filadélfia, onde a Comissão Imperial Chinesa doou um grupo de pipas para o Smithsonian. O motor a vapor de John Sringfellow para aeronaves, entrou na coleção em 1889, a primeira peça ativamente adquirida pelo Museu do Smithsonian, e agora na atual coleção.

Quando da criação do museu, não havia um prédio que poderia armazenar os itens a serem exibidos. Algumas peças estavam em exibição na Museu de Artes e Indústrias, alguns foram armazenados em um galpão no jardim sul do Smithsonian, que veio a ser conhecido como o "Air and Space Building", os mísseis e foguetes maiores eram exibidos ao ar livre na "Rocket Row".

A combinação de um grande número de aeronaves doado ao Smithsonian depois da Segunda Guerra Mundial e a necessidade de espaço em hangares e fábrica para Guerra da Coreia levou a Smithsonian a procurar por instalações próprias para armazenar e recuperar aviões . A atual unidade Garber foi cedida ao Smithsonian pelo Parque Nacional e Comissão de Planejamento de Maryland, em 1952, após o curador Paul E. Garber ter encontrado esta área florestal a partir do ar. Construções pré-fabricadas da Marinha dos Estados Unidos mantiveram os custos iniciais baixos.

A corrida espacial nos anos 1950 e 1960 levou à renomear o museu para o "Museu do Ar e Espaço", e finalmente houve a dotação do Congresso para a construção do novo prédio de exposição, que tem início 1 de julho 1976 no auge das festividades pelo bicentenário dos Estados Unidos .

Diretores[editar | editar código-fonte]

Carl W. Mitman foi o primeiro chefe do museu, sob o título de Assistente do Secretário para o Museu Nacional Aéreo, posição que exerceu no museu de 1946 até sua aposentadoria em 1952.[5]

Depois dele as seguintes pessoas dirigiram o museu:

  • Philip S. Hopkins, 1958-1964[5]
  • S. Paul Johnston, 1964-1969[5]
  • Frank A. Taylor, 1969-1971[5]
  • Michael Collins (astronauta), 1971-1978;[6]
  • Melvin B. Zisfein, 1978-1979[6]
  • Noel W. Hinners, 1979-1982[6]
  • Walter J. Boyne 1982–1986)[6]
  • James C. Tyler, 1986-1987[6]
  • Martin O. Harwit, 1987-1995[6]
  • Donald D. Engen, 1996-1999[7]
  • John R. Dailey,2000-presente[7]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Uma controvérsia explodiu em 1994 sobre a exposição proposta, comemorando o 50 º aniversário do bombardeio atômico do Japão. A peça central da exposição era o Enola Gay, o bombardeiro B-29 que lançou uma bomba atômica sobre a cidade japonesa de Hiroshima. Por outro lado, grupos de veteranos, apoiados por alguns congressistas, acusaram que a exposição insultava os aviadores pois incluía histórias japonesas e fotografias das vítimas.[8]

Também foi contestado número estimado de vítimas fatais americanas que teria resultado de uma invasão do Japão, se esta invasão houvesse sido necessária. No final, o diretor do museu, Martin O. Harwit, foi forçado a demitir-se, e a exibição foi radicalmente reduzida para a "menor mostra da história do Smithsonian."[9]

Brasil[editar | editar código-fonte]

Nenhuma aeronave brasileira está em exposição ou sendo armazenada pelo museu, porém dois modelos em escala de aeronaves de Santos-Dumont estão em exposição: um 14-bis no prédio principal, e um modelo de um dirigível no centro Centro Steven F. Udvar-Hazy.

Em 2002, a Embraer doou 500 000 dólares ao museu para ajudar no término do Centro Steven F. Udvar-Hazy.[10] Logo em seguida fez doação semelhante ao MUSAL, cuja salas Embraer foi inaugurada em 2005.[11]

Imagens[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Museu do Ar e Espaço

Referências

  1. A Guide to Smithsonian Architecture. [S.l.]: Smithsonian Institution, 2005. pg. 15 p.
  2. a b c Small, L. M. "A century's roar and buzz: Thanks to an immigrant's generosity, the Steven F. Udvar-Hazy Center opens to the public". In "From the Secretary". Smithsonian. Vol. 34, p. 20.
  3. Triplett, W. "Hold everything!" Smithsonian. Vol. 34, December 2003, p. 59.
  4. National Air and Space Museum - NASM Chronology, Smithsonian Institution
  5. a b c d Finding Aids to Official Records of the Smithsonian Institution, Record Unit 330: Series 1, National Air and Space Museum, Records, 1912-1971
  6. a b c d e f Finding Aids to Official Records of the Smithsonian Institution, Record Unit 338, National Air and Space Museum, Records, circa 1972-1989
  7. a b National Air and Space Museum, Office of the Director - Agency History
  8. Los Angeles Times, May 3rd, 1995, p. 21
  9. New York Times, Aug. 6th, 1995 http://query.nytimes.com/gst/fullpage.html?res=990CE4D61238F935A3575BC0A963958260
  10. EMBRAER TORNA-SE PATROCINADORA DAS NOVAS INSTALAÇÕES DA SMITHSONIAN NATIONAL AIR AND SPACE MUSEUM
  11. EMBRAER E MUSAL INAUGURAM DUAS NOVAS SALAS

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Henderson, Mary. Star Wars: The Magic of Myth. Companion volume to the exhibition at the National Air and Space Museum of the Smithsonian Institution. New York: Bantam, 1997.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]