Myasishchev M-55

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

M-55
New Zealand PW-51.svg
M-55 Geophysica no MAKS Airshow 2001
Descrição
Tipo Aeronave de Reconhecimento em Alta Altitude
Fabricante Myasishchev
Primeiro voo 26 de Maio de 1982
Dimensões
Comprimento 22,86 metros
Envergadura 37,46 metros
Altura 4,8 metros
Pesos
Peso máx. decolagem 24.000 kg
Propulsão
Motorização 2 × Aviadvigatel PS-30-V12 turbofan
Potência 98 kN (22.000 lbf)
Performance
Velocidade máxima 750 km/h
Altitude máxima 21.500 metros
Alcance (MTOW) 4.965 km km


O Myasishchev M-55 (Mystic) é uma aeronave para reconhecimento em alta altitude desenvolvida na União Soviética pela Myasishchev. É similiar em sua missão e desenho da asa ao americano Lockheed U-2, mas com uma fuselagem tipo twin boom (duas caudas e dois estabilizadores verticais). Esta aeronave foi desenvolvida a partir do M-17. As diferenças incluem dois turbofan ao invés de um, e um maior peso máximo de decolagem (MTOW).

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O M-55 foi pela primeira vez conhecido como M-17. Seu projeto iniciou-se em 1978 quando alguns engenheiros soviéticos procuraram alguma forma de interceptar balões não tripulados de reconhecimento americanos (por exemplo Projeto Genetrix).[1] O primeiro voo do M-17 foi em 26 de Maio de 1982; esta aeronave logo foi detectada por observadores americanos.[1] Com a introdução de outro modelo deste tipo, o interceptador M-17 tornaria-se mais tarde conhecido como M-17 Mystic-A.[1] Em 28 de Março de 1990, o M-17 '17401' pilotado por Vladimir Arkhipenko[2] bateu um recorde de 21.830 m (71.621 pés). Este ainda continua sendo um recorde para aeronaves na faixa de peso entre 16 e 20 toneladas. O M-17 bateu um total de 12 Recordes Mundiais da Fédération Aéronautique Internationale, 5 deles ainda permanecem até hoje.[3]

O interceptador de balões M-17 encerrou as operações em 1987 e foi logo substituído pelo M-17RN, também conhecido como M-55 Geophysica, nomeado pela OTAN de Mystic-B.[1] O primeiro deste modelo voou pela primeira vez em 1988,mas assim que a União Soviética foi às ruínas, a demanda militar diminuiu. Em 1994, a produção versão de reconhecimento foi oficialmente encerrada após apenas cinco aeronaves construídas.

No dia 21 de Setembro 1993, um M-55 pilotado por Victor Vasenkov no aeródromo de Akhtubinsk alcançou uma altitude de 21.360 m (70.078 pés) (O M-55 estando em classe mais pesada que o M-17). O M-55 bateu um total de 15 recordes mundiais, sendo todos ainda válidos.[4]

Alguns M-55 Geophysica continuam em serviço, executando papéis de pesquisa. Um M-55 tornou-se parte de estudos na estratosfera no Ártico em 1996 e 1997.[1] Experimentos similares foram realizados em 1999 na Antarctica.[5]

Uma empresa baseada na Irlanda, Qucomhaps, focando-se no sudeste da Ásia, negociou com US$1 bilhão para usar o M55 como Estação de Plataforma de Alta Altitude para comunicações digitais.[6]

Operadores[editar | editar código-fonte]

Myasishchev M-55 no MAKS Airshow 2005
 União Soviética
 Rússia

Veja Também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Taylor, Michael J.H. Brassey's World Aircraft & Systems Directory 1999-2000, 2000. ISBN 1-85753-245-7, pág. 157.
  2. Thornborough, Anthony M.. Spy Planes and Other Reconnaissance Aircraft. London, UK: Arms and Armour Press, 1991. p. 7. ISBN 1-85409-096-8
  3. List of records established by the 'Myasishchev M-17' Fédération Aéronautique Internationale. Visitado em 19 de Junho de 2008.
  4. List of records established by the 'Myasishchev M-55' Fédération Aéronautique Internationale. Visitado em 19 de Junho de 2008.
  5. Airborne Polar Experiment - Geophysica Aircraft In Antarctica (APE-GAIA)
  6. Qucomhaps Press Release Qucomhaps. Visitado em 22 de Outubro de 2008.

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]