Myriapoda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaMiriápodes
Cylinroiulus caeruleocinctus 2.jpg

Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Subfilo: Myriapoda
Classes
Chilopoda

Diplopoda
Pauropoda
Symphyla

Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Myriapoda

Myriapoda é um subfilo dos artrópodes que agrupa os animais segmentados com um elevado número de pernas, como as lacraias e os piolhos-de-cobra.

Os miriápodes são agregados com os Hexapoda (insetos e classes próximas) num grupo geralmente sem categoria taxonómica denominado Tracheata, antigo Uniramia, que inclui os artrópodes cujos apêndices não são ramificados.

São tradicionalmente divididos em quatro classes: quilópodes (lacraias), diplópodes (piolho-de-cobra), paurópodes e sínfilos e agregam aproximadamente 13.000 espécies.

Anatomia[editar | editar código-fonte]


o myriapoda é conhecido também como piolho de cobra Esse traqueados apresentam um constituído por uma cabeça e um tronco alongado que contém muitos segmentos portadores de pernas, mas o tronco não está dividido em tórax e abdomen. Na cabeça existe um par de antenas. Os ocelos medianos estão ausentes nos miriápodes, mas olhos laterais simples, talvez derivados dos olhos compostos, estão presentes nos quilópodes e nos diplópodes. Esses estão constituídos por alguns omatídios frouxamente agrupados, mas não existe cone cristalino. Sínfilos e paurópodes não apresentam olhos.

Na porção anterior da cabeça está o labro (lábio superior), que forma o teto da cavidade pré-oral. As peças bucais ficam na face ventral da cabeça. O lábio que fecha a cavidade pré-oral na porção posterior, é formado pelas primeiras ou segundas maxilas, dependendo do táxon. Duas mandíbulas flanqueiam a boca e uma hipofarige carnosa localiza-se em posição posterior à da boca, na cavidade pré-oral. A hipofaringe é uma dobra mediana ímpar da parede do corpo, e não um apêndice.

Os órgãos de Tömösváry, ou seus homólogos, localizados na cabeça, são prováveis, higrorreceptores (umidade) ou quimiorreceptores. A troca de gases é efetuada por um sistema de traquéias no qual os espiráculos geralmente não podem fechar, formando, dessa forma, uma avenida eterna para a inevitável perda de água. Os miriápodes não são tão bem adaptados ao ambiente terrestre como os insetos.

A excreção ocorre pelos túbulos de Malpighi, mas nefrídios saculiformes (glândulas coxais) de função incerta também estão presentes. O coração é um tubo dorsal que se estende por todo o comprimento do tronco e apresenta um par de óstios em cada segmento, mas artérias ramificadas raramente estão presentes.

O sistema nervoso típico de artrópodes não está fortemente cefalizado. Ele inclui um cérebro tripartido, conectivos circum-entéricos e um pequeno gânglio subesofágico. Os sexos são separados, a fertilização é interna e a transferência indireta de espermatozóides por espermatóforos está amplamente desenvolvida e os miriápodes apresentam um paralelo aos aracnídeos em muitos aspectos desse processo.

A maioria dos miriápodes necessita de um ambiente úmido porque sua epicutícula é relativamente permeável, e não impermeável, e normalmente não apresentam os lipídios e cera característicos de aranhas e insetos. Os tipos de lipídios presentes podem ser mais importantes para repelir a água que vem de fora (funcionando de forma hidrófuga) do que para reduzir a perda de água que vem de dentro. Os miriápodes, amplamente distribuidos, vivem sob pedras e madeiras, dentro do solo e do húmus nas regiões temperadas e tropicais.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Ruppert, Fox & Barnes.2005."Zoologia dos Invertebrados".7ªEdição

Ligações externas[editar | editar código-fonte]