Não-Me-Toque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Município de Não-Me-Toque
Bandeira desconhecida
Brasão de Não-Me-Toque
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Aniversário 18 de dezembro
Fundação 18 de dezembro de 1954 (60 anos)
Gentílico não-me-toquense
Prefeito(a) Antônio Vicente Piva (PP)
(2013–2016)
Localização
Localização de Não-Me-Toque
Localização de Não-Me-Toque no Rio Grande do Sul
Não-Me-Toque está localizado em: Brasil
Não-Me-Toque
Localização de Não-Me-Toque no Brasil
28° 27' 32" S 52° 49' 15" O28° 27' 32" S 52° 49' 15" O
Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Noroeste Rio-grandense IBGE/2008 [1]
Microrregião Não-Me-Toque IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Carazinho, Santo Antônio do Planalto, Victor Graeff, Lagoa dos Três Cantos e Colorado
Distância até a capital 282 km
Características geográficas
Área 361,670 km² [2]
População 16 894 hab. IBGE/2014[3]
Densidade 46,71 hab./km²
Altitude 514 m
Clima subtropical úmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,833 muito alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 462 674,266 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 29 143,00 IBGE/2008[5]
Página oficial

Não-Me-Toque é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul.

História[editar | editar código-fonte]

As terras do hoje município de Não-Me-Toque, como em outros municípios da região, tiveram a presença de índios como primeiros habitantes nativos.

A partir de 1827, começaram a chegar na região do Planalto Médio elementos lusos, iniciando a atividade pecuária nas grandes estâncias por eles instaladas.

Em meados do século XX, os descendentes de italianos e alemães buscaram na Colônia Nova do "Alto Jacuhy" (hoje Alto Jacuí) melhores condições de vida e, nos lotes de terras adquiridos, começaram a dedicar-se à agricultura e à extração de madeira, bem como instalação de pequenas fábricas e casas comerciais, tornando Não-Me-Toque sede da Colônia do Alto Jacuhy (1900).

A religião e a educação foram sempre as molas propulsoras do pequeno povoado que passou à vila, fazendo parte das terras de Rio Pardo, Cruz Alta, para posteriormente tornar-se distrito de Passo Fundo e Carazinho.

A partir de 1949 começam a chegar os imigrantes holandeses e o município passa a ser o berço da imigração holandesa no Rio Grande do Sul.

Em 18 de dezembro de 1954 foi criado o município de Não-Me-Toque, sendo instalado em 28 de fevereiro de 1955.

A sua população é composta, principalmente, por descendentes de alemães, italianos, holandeses e uma parcela de portugueses.

A origem e troca do nome[editar | editar código-fonte]

Entre as várias versões que explicam a origem de Não-Me-Toque encontram-se:

  • Um arbusto de tronco curto e recorto de espinhos, popularmente conhecido como não-me-toques, de nome científico Dasyphyllum spinescens (Less.) Cabrera, muito abundante na região na época da colonização italo-germânica.
  • A expressão "não me toque nestas terras", ou "não me toque daqui" ditas por um fazendeiro português, referindo-se à sua grande fazenda, da qual nunca pretendia se desfazer.

Entre a variedade de culturas e a produção de boas sementes, o trigo foi considerado por muitos anos o "cereal rei" das plantações, inspirando os munícipes a optarem pela troca do nome de Não-Me-Toque para Campo Real (1971).

Depois de intensas campanhas, a população, através de um plebiscito, optou pela antiga denominação de Não-Me-Toque (1976).

Na Bíblia, "não me toque" é uma frase dita por Jesus no episódio conhecido como Noli me tangere, muito famoso na arte cristã.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 28º27'33" sul e a uma longitude 52º49'15" oeste. Está a uma altitude de 514 metros.

Economia[editar | editar código-fonte]

O município é sede da Expodireto Cotrijal, feira agrodinâmica de grande expressão à nível nacional e internacional, onde são realizados anualmente o Fórum Nacional da Soja e da Conferência Mercosul sobre Agronegócio.

Eventos turísticos[editar | editar código-fonte]

  • Março: Páscoa Étnica e Expodireto Cotrijal;
  • Abril: Baile do Alemão;
  • Maio: Torneio de Laço (CTG Galpão Amigo);
  • Junho: Noite Italiana Festijanta;
  • Julho: Festa do Imigrante e Festival Municipal de Corais;
  • Outubro: Oktoberfest e Encontro Estadual de Corais;
  • Dezembro: Baile do Chope do Clube União, Festa de São Nicolau, Rodeio Crioulo e Natal Étnico;

Agricultura de precisão[editar | editar código-fonte]

Não-Me-Toque já foi conhecida como "Capital da lavoura mecanizada" pois, nas décadas de 50 e 60 iniciaram-se aqui grande empreendimentos na agricultura ,tornando-a o maior potencial econômico da região.

Em 29 de outubro de 2009 a municipalidade recebeu o título de "Capital Nacional da Agricultura de Precisão".

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Estimativa populacional 2014 IBGE Estimativa populacional 2014 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2014). Visitado em 29 de agosto de 2014.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Não-Me-Toque