Nível trófico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde abril de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo.
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Editor: considere colocar o mês e o ano da marcação. Isso pode ser feito automaticamente, substituindo esta predefinição por {{subst:rec}}

O nível trófico, também conhecido por nível alimentar, representa o conjunto biótico (animais e vegetais) que integra o mesmo ecossistema, e nesse possui semelhantes hábitos alimentares,ou seja, o nível de nutrição a que pertence um indivíduo ou uma espécie, que indica a passagem de energia entre os seres vivos presentes, na cadeia ou teia alimentar num ecossistema.

Existem três níveis tróficos importantes:

  • Produtores: reúnem todos os seres capazes de autotrofia.
  • Consumidores: são organismos que consomem produtores e outros consumidores, geralmente são heterótrofos. Estes podem ser:
  1. Consumidores de primeira ordem(primários): alimentam-se de produtores.
  2. Consumidores de segunda ordem(secundários): alimentam-se de consumidores de primeira ordem.
  3. Consumidores de terceira ordem(terciários): alimentam-se de consumidores de segunda ordem.
  • Decompositores: Consomem os restos de plantas e animais. Responsáveis pela devolução de minerais e nutrientes para o ambiente, que servirão para produtores mais uma vez, fechando o ciclo.

Cadeias e Teias alimentares[editar | editar código-fonte]

A cadeia alimentar mostra relações alimentares simples em um ecossistema. Temos como exemplo para este conceito:

Em um ecossistema existem plantas, gafanhotos, ratos e cobras. Nele obviamente:

Logo:

Planta → Gafanhoto → Rato → Cobra → Falcão → Decompositores.

Teia alimentar[editar | editar código-fonte]

Devido à complexidade que uma relação trófica pode alcançar em um ambiente, o conceito de cadeia alimentar tende a evoluir para uma teia alimentar. Para este conceito temos o seguintes exemplos:

Em uma lagoa temos plantas, caramujos, peixes pequenos, peixes grandes, zooplâncton e aves. Ali é possível (a única certeza é a autotrofia da planta) que:

  • A planta produz seu próprio alimento (produtor);
  • O caramujo consome a planta (consumidor de primeira ordem);
  • O peixe pequeno consome o caramujo (consumidor de segunda ordem);
  • O peixe grande consome o peixe pequeno (consumidor de terceira ordem);
  • A ave consome o peixe grande (consumidor de quarta ordem);
  • Decompositores consomem os restos dos sais minerais que o indivíduo deixou.

Outra possibilidade:

  • A planta produz seu próprio alimento (produtor);
  • O caramujo consome a planta (consumidor de primeira ordem);
  • O peixe pequeno consome o caramujo (consumidor de segunda ordem);
  • A ave consome o peixe pequeno (consumidor de terceira ordem);
  • Decompositores agem.

Mas, também pode ocorrer o seguinte:

  • O caramujo consome o zooplâncton (consumidor de segunda ordem);
  • O peixe grande consome a planta (consumidor de primeira ordem);
  • A ave consome o peixe grande (consumidor de segunda ordem).
  • Decompositores agem.

Assim, fica claro que teias alimentares são cadeias alimentares mais complexas, que exploram diversas possibilidades.

Referências