NE Brasil (U-27)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NE Brasil (U-27) - Fundeado na Baia da Guanabara.

O NE Brasil (U-27) é um navio-escola da Marinha do Brasil. Sendo o terceiro navio da Marinha do Brasil a ostentar esse nome.

Construído a partir do projeto das embarcações da Classe Niterói, todas as suas instalações foram reprojetadas visando dar o mais amplo suporte à instrução. Desse modo, possui, entre outros itens, salas de aula, câmara de instrução de navegação, estações repetidoras de radar e equipamento de simulação tática.

A sua construção iniciou-se em 1981, com o batimento de sua quilha em 18 de setembro de 1981 no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro. Lançado ao mar em 23 de setembro de1983, foi incorporado à Armada a 21 de agosto de 1986. Sob o comando do Capitão de Mar-e-Guerra Alberto Annaruma Júnior, realizou a sua primeira Viagem de Instrução de Guardas-Marinha (VIGM) em 1987, missão que, anual e tradicionalmente, marca o ingresso dos jovens oficiais na Marinha do Brasil.

Ao longo de sua vida, o navio recebeu diversas atualizações tecnológicas, como um sistema simulador de treinamento tático de 2a. geração (SSTT-2), um Centro de Informações de Combate equipado com sistema nacional de informações táticas (Terminal Tático Inteligente - TTI) e um simulador nacionalizado de controle de avarias (Sistema Controle de Avarias - SISCAV), com a finalidade de oferecer um padrão de excelências aos futuros oficiais da Marinha.

NE Brasil (U-27) - No Estreito de Magalhães
julho de 2009.

Dois outros navios receberam o nome de "Brasil" na Marinha, foram eles a Corveta Encouraçada Brasil (1864) e o Vapor Mercante Brasil (1865).

Características[editar | editar código-fonte]

  • Deslocamento (ton): 3.168-padrão / 3.729-plena carga
  • Dimensões (m): 131,3 x 13,5 x 4,2
  • Velocidade (nós): 15 nós de cruzeiro e 18 nós máxima
  • Raio de Ação (milhas): 7.000 a 15 nós e autonomia para 30 dias
  • Energia Elétrica: 4 geradores diesel
  • Tripulação: 224 homens e 201 Guardas-Marinha.
  • Armamento: 2 canhões Bofors L/70 de 40 mm, em dois reparos singelos e 4 canhões de salva Hidroar 3APR de 47 mm; 2 lançadores CBV de foguetes iluminativos 50.8 mm e 2 lançadores de foguetes iluminativos Schermully de 51 mm
  • Equipamentos: salas de aula com capacidade para 36 GM, com circuito interno de TV; câmara de instrução de navegação com capacidade para 40 GM, com vinte mesas de navegação, quatro repetidoras-radar e quatro conjuntos de repetidoras de giro, anemômetro e odômetro; um Sistema de Simulação Tática e Treinamento com três CIC secundários; uma câmara de direção de tiro; oito repetidoras de giro para navegação visual; além da possibilidade de instrução no Centro de Controle de Máquinas, no Centro de Informações de Combate e no Compartimento de Comunicações
  • Construtor: Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro
  • Código Internacional de Chamada: PWBL

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a Marinha do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.