Nachtzug nach Lissabon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nachtzug nach Lissabon
Comboio Nocturno para Lisboa (PT)
Trem Noturno para Lisboa (BR)
Autor (es) Pascal Mercier
Idioma alemão
País Suíça
Género Suspense
Filosófico
Editora Carl Hanser Verlag
Lançamento 2004
ISBN 3-446-20555-1
Edição portuguesa
Tradução João Bouza da Costa
Editora Dom Quixote
Lançamento 2008
ISBN 978-972-20-2983-4
Edição brasileira
Tradução Kristina Michahelles
Editora Editora Record
Lançamento 2009
ISBN 9788501083487

Nachtzug nach Lissabon (Comboio Nocturno para Lisboa, em Portugal; Trem Noturno para Lisboa, no Brasil) é um romance filosófico de Pascal Mercier (pseudónimo de Peter Bieri[1] ) publicado em 2004. Narra as viagens de um professor suíço de literaturas clássicas, Raimund Gregorious conhecido por "Mundo", enquanto ele explora a vida de Amadeu Prado, médico português que viveu durante o período ditatorial do Estado Novo de António de Oliveira Salazar. Prado é um pensador cuja mente activa se torna evidente numa série de reflexões coligidas e lidas por Gregorius.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Tudo começa numa manhã chuvosa. Uma mulher prepara-se para saltar de uma ponte de Berna. Raimund Gregorius, um banal professor de grego e latim de 57 anos, evita o acto desesperado e fica surpreendido com o som de uma palavra. Português, responde ela, ao ser questionada sobre a língua que fala. Antes de desaparecer da história ainda tem tempo de escrever um número de telefone na testa deste míope professor que descobre, por acaso, um livro de um autor português, Amadeu Inácio de Almeida Prado, intitulado Um Ourives das Palavras. Sem conseguir explicar porquê, entra num comboio para Lisboa atrás deste médico que morreu 30 anos antes, em 1975, pouco depois da Revolução, numa descoberta do outro que acaba por ser uma descoberta de si próprio.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Raimund Gregorious

Personagem principal, acompanhado pelo narrador ao longo do livro. É um docente num colégio Suíço, Raimund decide viajar para Lisboa, na sequência de um encontro em Berna com uma mulher misteriosa que o convence a comprar um texto misterioso. Intrigado por este texto, escrito por Amadeu Prado, Gregorious abandona o colégio e viaja para Lisboa investigar Prado e os seus amigos que povoam o livro. Devido ao seu conhecimento de línguas clássicas (Grego, Romanas e Hebreu), os seus amigos deram-lhe a alcunha de "Mundo"

Amadeu de Prado

Autor do livro que Mundo adquire. Viveu durante o Estado Novo, ditadura estabelecida em 1933 e que chegará ao fim em 1974. Ao longo da sua vida, Prado denota grande interesse pela literatura, o que o leva a questionar o mundo, as experiências que acumulou e as palavras contidas no reflexões faladas e escritas. Prado redige estes pensamentos numa série de apontamentos e de entradas de diário que sua irmã, Adriana, vem a editar e a publicar. A sua vida e os seus pensamentos são fortemente influenciadas pela ditadura que o rodeia. O seu pai é membro do Supremo Tribunal de Justiça e Prado salvará a vida de um chefe da Polícia Secreta do regime e, em reacção às criticas de terceiros, junta-se ao movimento de resistência.

Temas abordados[editar | editar código-fonte]

Comboio Noturno para Lisboa gasta um tempo considerável a explorar as ideias contemplativas tanto as de Gregorious e as explorações filosóficas contidas no Diário de Prado[2] Epígrafos incluem Michel de Montaigne, Ensaios, livro segundo – Da inconstância das nossas acções e Fernando Pessoa, o Livro do desassossego. Mercier usa várias actividades e subtemas para ajudar a explorar estes sujeitos auto-reflexivos, incluindo “viagens nocturnas, insónias, e sonhos de estar preso num lugar, mas ao mesmo tempo sentir-se à deriva e confuso acerca do sentido da vida” Com esta perspectiva introspectiva, Mercier é capaz de rever conceitos de “Quem somos nós”, “Como controlamos a experiência de vida” e “Quão frágil é a construção”. [3] .

Adaptação cinematográfica[editar | editar código-fonte]

A rodagem da longa-metragem "Comboio Noturno para Lisboa", do realizador dinamarquês Bille August, começou em Março 2012 em Berna, e mais tarde na capital portuguesa. O filme conta no elenco com nomes como Jeremy Irons, Charlotte Rampling, Christopher Lee, Mélanie Laurent, Bruno Ganz, Jack Huston, Nicolau Breyner, Adriano Luz, Beatriz Batarda, Filipe Vargas e Joaquim Leitão.[4] É uma co-produção entre Portugal, Alemanha e Suíça.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Comboio Noturno para Lisboa – O Discurso de Formatura de Amadeu de Prado
  2. Laurence MacKin. (14 de Fevereiro de 2009) "The Irish Times: Go Read". Irish Times.
  3. Moyle, Robin. (7 de Junho de 2008). "Riddle in Portuguese". Herald Sun.
  4. Rodagem de "Comboio Noturno Para Lisboa" RTP Online, 19 de março 2012