Nancy Fraser

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia
Nancy Fraser 2008

Nancy Fraser (Baltimore, 20 de maio de 1947) [1] é uma filósofa afiliada à escola de pensamento conhecida como Teoria Crítica.

Estudou Filosofia na City University of New York. É titular da cátedra Henry A. and Louise Loeb de Ciências Políticas e Sociais da New School University, também em Nova York.

Pensamento[editar | editar código-fonte]

Fraser é uma importante pensadora feminista, preocupada com as concepções de justiça. Argumenta que a justiça é um conceito complexo que deve ser entendido sob três dimensões separadas, embora interrelacionadas:

  • distribuição (de recursos produtivos e de renda),
  • reconhecimento (das contribuições variadas dos diferentes grupos sociais) e
  • representação (na linguagem e em todo o domínio do simbólico).

Para evitar concepções redutoras dos conceitos de justiça e participação democrática, ela argumenta também que os teóricos sociais deveriam sintetizar os elementos da Teoria Crítica e do Pós-estruturalismo, superando a "falsa antítese" entre os dois, para ganhar um completo conhecimento dos problemas sociais e políticos sobre o qual ambos trabalham.

Isto não significa que Fraser defenda uma vaga fusão entre as duas vertentes de pensamento. De fato, o que ela propõe é uma aproximação "neo-pragmatista", em que cada escola de pensamento separe rigorosamente os elementos úteis dos que lhe são menos úteis (ou até prejudiciais) tendo em vista as análises progressistas das instituições e dos movimentos sociais. Assim autora está plenamente inserida na tradição das teorias progressistas, ao mesmo tempo em que modifica essa tradição com elementos de teorias recentes - do feminismo, da Teoria Crítica e do Pós-estruturalismo. Além de seus vários livros e palestras, Fraser é editora de Constellations[2] , uma revista international de Teoria Crítica.

Bibliografia (em português)[editar | editar código-fonte]

  • Da redistribuição ao reconhecimento? Dilemas da justiça na era pós-socialista (1997)
  • Políticas Feministas na Era do Reconhecimento: Uma Abordagem Bidimensional da Justiça de Gênero

Bibliografia (em inglês)[editar | editar código-fonte]

  • Unruly Practices: Power, Discourse, and Gender in Contemporary Social Theory (1989)
  • Revaluing French Feminism: Critical Essays on Difference, Agency, and Culture (co-editado com Sandra Bartky, 1992)
  • Feminist Contentions: A Philosophical Exchange (com Seyla Benhabib, Judith Butler e Drucilla Cornell, 1994)
  • Justice Interruptus: Critical Reflections on the "Postsocialist" Condition (1997)
  • The Radical Imagination: Between Redistribution and Recognition (2003)
  • Redistribution or Recognition? A Political-Philosophical Exchange (escrito com Axel Honneth, 2003)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]