Naoki Hattori

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Naoki Hattori
Naoki Hattori 2008 Super GT.jpg
Naoki Hattori em 2008.
Nome completo Naoki Hattori
Nacionalidade    Japão Japonês
Data de nascimento 13 de junho de 1966 (48 anos)
Registros na Fórmula 1
Anos 1991
Times 1 (Coloni)
Voltas mais rápidas 0
Primeiro GP GP do Japão, 1991
Último GP GP da Austrália, 1991
GPs Poles Pódios Vitórias
2 (0 largadas) 0 0 0
Registros na CART/Champ Car
Anos 1999
Times 1 (Walker)
Voltas mais rápidas 0
Primeira corrida GP de Miami, 1999
Última corrida GP de Fontana, 1999
GPs Poles Pódios Vitórias
8 0 0 0

Naoki Hattori (Tóquio, 13 de junho de 1966) é um jornalista e ex-piloto de Fórmula 1 do Japão. Apesar do sobrenome igual, não possui parentesco com Shigeaki Hattori, com quem correu na Champ Car em 1999.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Campeão da Fórmula 3 japonesa em 1990, Hattori foi contratado pela equipe Coloni, que demitira o português Pedro Chaves após este ter fracassado em todas as tentativas de se classificar para 14 provas da temporada de 1991 da Fórmula 1.

Assim como o português, também falhou em se classificar para os GPs do Japão e da Austrália. Com o encerramento das atividades da Coloni, Hattori ficou sem vaga para 1992. Chegou a testar o carro da equipe Dome, que pretendia ingressar na F-1 em 1996, mas acabou abandonando seu projeto.

Fórmula 3000[editar | editar código-fonte]

Quatro anos depois da tentativa de se classificar na parte final da temporada de 1991 da F-1, Hattori se aventurou na Fórmula 3000, contratado pela equipe Auto Sport Racing para disputar os GPs da Espanha e de Portugal. Assim como em 1991, a passagem de Hattori na F-3000 foi um fracasso, pois não terminou as duas provas.

Depois disso, pilotou na Fórmula Nippon em 1996.

CART/Champ Car[editar | editar código-fonte]

Depois de ter sido praticamente esquecido pelas grandes categorias do automobilismo, Hattori foi contratado pela equipe Walker, então uma das principais da extinta Champ Car, em 1999. Seria a primeira dupla montada pelo time desde 1996, quando foi composta pelo norte-americano Robby Gordon e pelo canadense Scott Goodyear.

Escolhido para ser companheiro de equipe do brasileiro Gil de Ferran, o japonês teve uma estreia malsucedida no GP de Miami, depois que seu carro bateu forte no muro depois de um toque na Penske do experiente Al Unser, Jr.. Os dois pilotos saíram machucados do acidente. Pior para Hattori, que fraturou a perna e ficou fora de 11 corridas, sendo substituído pelo brasileiro Gualter Salles e pelo mexicano-americano Memo Gidley.

O japonês regressou à CC na etapa de Detroit, terminando em décimo-sexto lugar. Chegou a largar em um surpreendente 7º posto no grid do GP de Houston, mas acabou abandonando a corrida.

Ícone de esboço Este artigo sobre Automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.