Nazarenos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Nazarenos e nazareu são termos provavelmente derivado do hebraico nétser ou do aramaico natsaraya, e cujo significado, apesar de incerto, pode ser "rebento ou renovo", ou seja, a haste que se desenvolve na base de certas plantas e que, separadas, poderão propagar a espécie. De forma abrangente, "nazareno" poderá ser o gentílico aplicável a qualquer pessoa nascida ou moradora em povoações ou locais geográficos de nome Nazaré. Em sentido mais restrito, "nazareno" costuma ser utilizado para se referir ao mais conhecido habitante da antiga vila de Nazaré, na região da Galileia, cerca de cem quilómetros a norte de Jerusalém, a que a Bíblia chama de Jesus, bem como aos seus seguidores.

Jesus, o nazareno[editar | editar código-fonte]

Segundo a Bíblia, Jesus, fundador do Cristianismo(?), bem como a sua mãe Maria e o marido desta, José, viveu a maior parte da sua vida na localidade de Nazaré. Assim, visto que desde a infância foi criado como filho do carpinteiro local, ele veio a ser conhecido como "Jesus, o Nazareno" ou "Jesus de Nazaré". O termo Nazareno também pode designar um grupo religioso ao qual Jesus talvez tenha pertencido (ver nazireu). O Novo Testamento menciona que o próprio Jesus aceitou e usou este termo:

"Jesus, portanto, sabendo todas as coisas que lhe sobrevinham, saiu e disse-lhes: 'A quem procurais?' Responderam-lhe: 'A Jesus, o nazareno.' Disse-lhes ele: 'Sou eu.' " - NM - Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, (1986)
"Eu respondi: 'Quem és, Senhor?' E ele me disse: 'Eu sou Jesus, o nazareno, a quem persegues.' " - NM

No letreiro que Pilatos mandou colocar na Cruz em que Jesus foi pregado, ele escreveu em hebraico, latim e grego:

"Pilatos escreveu também um título e o pôs na estaca de tortura. Estava escrito: 'Jesus Nazareu, o rei dos judeus.' " - NM
"Pilatos redigiu também um letreiro e o fez colocar sobre a cruz; nele estava escrito: 'Jesus, o Nazareno, o Rei dos Judeus.' " - Bíblia de Jerusalém, nova edição revista e ampliada, de 2002
"E Pilatos escreveu também um título, e pô-lo em cima da cruz; e nele estava escrito: Jesus nazareno, o rei dos judeus." - Almeida, Versão Corrigida e Fiel

Título profético[editar | editar código-fonte]

Segundo um dos Evangelhos que narram a biografia de Jesus, a aplicação do termo Nazareno ou Nazareu já havia sido predito.

"Com a morte de Herodes, o anjo do Senhor apareceu em sonhos a José, no Egito, e disse: Levanta-te, toma o menino e sua mãe e retorna à terra de Israel, porque morreram os que atentavam contra a vida do menino. José levantou-se, tomou o menino e sua mãe e foi para a terra de Israel. Ao ouvir, porém, que Arquelau reinava na Judéia, em lugar de seu pai Herodes, não ousou ir para lá. Avisado divinamente em sonhos, retirou-se para a província da Galileia e veio habitar na cidade de Nazaré para que se cumprisse o que foi dito pelos profetas: Será chamado Nazareno." - Bíblia Avé Maria

Visto que a localidade de Nazaré não é mencionada nas Escrituras Hebraicas, ou Antigo Testamento, alguns supõem que Mateus se referiu a algum livro profético perdido ou a uma tradição oral, não escrita. No entanto, algumas denominações religiosas cristãs, em especial as Testemunhas de Jeová, entendem que esta declaração se refere às referências messiânicas proferidas por alguns profetas, especialmente por Isaías:

"Do toco de Jessé terá de sair um renovo; e das suas raízes frutificará um rebentão [we·né·tser]." - NM

No início deste poema claramente messiânico, é usada a palavra hebraica que dá origem ao nome da localidade onde Jesus viveu, Nazaré. Outra palavra hebraica, tsémahh, também significa renovo, ou rebentão, e foi usada por outros profetas ao se referirem ao Messias. Visto que Mateus usou o plural "profetas", são assim lembradas essas declarações que profetizam a chegada futura de um renovo, ou rebentão, tais como:

" 'Eis que vêm dias', é a pronunciação de Jeová, 'e eu vou suscitar a Davi um renovo justo. E um rei há de reinar e agir com discrição, e executar o juízo e a justiça na terra.' " - NM
"Naqueles dias e naquele tempo farei brotar um renovo justo para Davi, e ele certamente executará o juízo e a justiça no país." - NM
"Ouve, por favor, ó Josué, sumo sacerdote, tu e teus companheiros sentados diante de ti, pois são homens servindo como portentos; pois eis que estou trazendo meu servo Renovo!" - NM

Seguidores de Jesus[editar | editar código-fonte]

Segundo a Bíblia, o epíteto descritivo "nazareno" foi aplicado a Jesus e, mais tarde, também aos seus seguidores. Essa conclusão pode ser retirada ao se verificar a acusação que o sumo-sacerdote judeu Ananias, junto com alguns anciãos e um advogado e orador público de nome Tértulo, levantaram contra o apóstolo Paulo, perante o governador romano Félix, em Cesareia:

"Verificámos que este homem é uma peste: ele promove conflitos entre os judeus do mundo inteiro e é também um dos cabecilhas da seita dos nazarenos." - Bíblia Pastoral

Esta é a única ocorrência bíblica da expressão "nazarenos" como referência aos seguidores de Jesus de Nazaré. Alguns creem que os seguidores de Jesus nunca adotaram esta designação, sendo que seria uma forma depreciativa de serem identificados pelos seus opositores que usariam a expressão "seita dos nazarenos" ou simplesmente de "esta seita".

Segundo mencionado na Bíblia no livro do Atos dos Apóstolos, foi primeiro em Antioquia que os seguidores de Jesus, convencidos que ele seria o Messias ou Cristo, passaram a ser conhecidos como cristãos. Segundo alguns eruditos, é pouco provável que tivessem sido os opositores entre os judeus os primeiros a chamar os seguidores de Jesus de "cristãos" (ou "messianistas", em hebraico). Raciocinam que não seria lógico rejeitarem a Jesus como o Messias, ou Cristo, para depois o reconhecer tacitamente como tal ao classificar os seguidores dele de "cristãos". Assim, estes termos, "cristão" e "cristianismo", são as designações mais utilizadas pelos seguidores de Jesus para se referirem a si mesmos ou à religião que praticam.[1] [2] [3] O termo é usado para os cristãos em hebraico moderno também.[4]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Die Neronische Christenverfolgung: eine kritische Untersuchung Carl Franklin Arnold - 1888 "Tertullian spricht von einer ständigen Gewohnheit der Juden, wenn er sagt (adv. Marc. IV. 8) „Nazaraeus vocari debebat, secundum prophetiam Christus creatoris; unde et ipso nomine nos Judaei Nazaraeos appellant per eum. .."
  2. Birkat haMinim: Jews and Christians in conflict in the ancient world - Page 52 Yaakov Y. Teppler, Susan Weingarten - 2007 -"This presumption is strengthened by the statement of Tertullian: The Christ of the Creator had to be called a Nazarene ... Unde et ipso nomine nos ludaei Nazarenos appellant per eum. Nam et sumus iie auibus scriptum est: Nazaraei ..."
  3. Udo Schnelle Antidoketische Christologie im Johannesevangelium p41 1987 "usquehodiein synagogis suis sub nomine Nazarenorum blasphemant populum christianum ...191; In Esaiam 5,18-19: ... in blasphemiis et ter per singulos dies in omnibus synagogis sub nomine Nazarenorum anathematizent uocabulum Christianum."
  4. Livro Dicionário Português-Hebraico / Hebraico-Português Editora Sêfer ISBN: 8585583274

Ver também[editar | editar código-fonte]