Nefertum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Janeiro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Nefertum
Nascimento
adorado em Mênfis
Parentesco Ptah,Sekhmet
Estátua de Nefertum no Museu do Louvre.

Nefertum ou Nefertem era, na mitologia egípcia, uma divindade primeva de Mênfis, deus do Sol e dos perfumes,[1] cujo símbolo era a flór de lótus.[2]

Pertence a uma tríade composta por Ptah, Sakhmet e ele; Nefertum e Hórus, filho do Sol, teriam se unido para formar uma entidade única. É representado por vezes com uma cabeça de leão ou como um jovem sentado sobre uma flor que desabrocha.[1] Veste uma coroa em forma de lótus, ornada por duas plumas e com dois colares, símbolos hatóricos de fertilidade.[3] e por vezes ele próprio está sobre um leão inclinado, e carregando um sabre.[1]

Seu nome significaria, de acordo com os vários autores, "Lótus", "Perfeição absoluta" ou "Atum, o belo". É um deus antigo, já mencionado nos Textos das Pirâmides (século XXIV a.C.).

Na cosmogonia de Heliópolis o deus era associado a Atum, sendo visto como a manifestação deste deus como criança que saiu da flor de lótus que apareceu no monte primordial que emergiu das águas. De acordo com o relato, as lágrimas derramadas por este menino deram origem à humanidade.

De acordo com um mito de criação antigo, o deus-sol teria surgido do oceano primevo sobre uma flor de lótus; Nefertem teria, então, se tornado o "filho do Sol", que traz a luz.[2] Como a lótus é a flor que espalha um perfume fragrante, Nefertem também seria a flor sobre o nariz de .[2] Para o egiptólogo alemã Rudolf Anthes, Nefertum seria um deus primevo e universal cuja influência foi reduzida posteriormente, e cujo nome pode ser traduzido como "o Todo ressurgiu" ou "o recém-surgido é completo".[2]

Em Buto, no Delta do Nilo, Nefertum é o filho original de Wadjet, uma deusa-serpente que assume a forma de leão.[3] A deusa felina Bastet também já foi especulada como sendo sua mãe.[3]

Referências

  1. a b c Patricia Turner, Charles Russell Coulter, Dictionary of Ancient Deities. Oxford University Press US, 2001. ISBN 0195145046, 9780195145045
  2. a b c d C. J. Bleeken, Egyptian Festivals, E. J. Brill, 1967.
  3. a b c George Hart, The Routledge dictionary of Egyptian gods and goddesses. Routledge dictionaries, Oxford reference online. 2ª edição, ilustrada. Routledge, 2005. ISBN 0415344956, 9780415344951.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Nefertum