Negrão de Lima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde fevereiro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Negrão de Lima
Nascimento 24 de agosto de 1901
Nepomuceno
Morte 26 de outubro de 1981 (80 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade  Brasileiro

Francisco Negrão de Lima (Nepomuceno, 24 de agosto de 1901Rio de Janeiro, 26 de outubro de 1981) foi um político brasileiro; governador do estado da Guanabara de 1965 até 1970. Irmão do também político Otacílio Negrão de Lima.

Sua vitória na eleição para o governo da Guanabara, de forma direta, juntamente com a de Israel Pinheiro em Minas Gerais, precipitou a edição do AI-2, que acabou com o pluripartidarismo no Brasil.

Em 1933 foi deputado constituinte por Minas Gerais, reelegendo-se como deputado federal em 1935. Em 1941, foi designado embaixador do Brasil na Venezuela. De 1951 até 1953 foi ministro da Justiça do segundo governo de Getúlio Vargas.

Em 1956 foi nomeado prefeito do Distrito Federal (Rio de Janeiro, à época), permanecendo na prefeitura até 1958. Depois disso, foi indicado para embaixador brasileiro em Portugal, exercendo o cargo de 1959 até 1963.

Seu governo do estado da Guanabara foi de intensa radicalização política, pois não era o candidato preferido da ditadura militar, em virtude de seu envolvimento político com Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek (de quem foi Ministro das Relações Exteriores), tendo havido inclusive uma tentativa frustrada, por parte de Carlos Lacerda, de depô-lo antes do início de seu mandato.

Após o fim de seu mandato, retirou-se da política, vindo a falecer em 1981. Seu nome hoje batiza o importante Viaduto Negrão de Lima, que corta os bairros de Oswaldo Cruz e Madureira, nos subúrbios da cidade do Rio de Janeiro, além de nomear um bairro da cidade de Goiânia - Goiás.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
José Francisco Bias Fortes
Ministro da Justiça
e
Negócios do Interior do Brasil

1951 — 1953
Sucedido por
Tancredo Neves
Precedido por
Francisco de Sá Lessa
Prefeito do Distrito Federal
(Rio de Janeiro)

1956 — 1958
Sucedido por
José Joaquim de Sá Freire Alvim
Precedido por
José Carlos de Macedo Soares
Ministro das Relações Exteriores do Brasil
1958 — 1959
Sucedido por
Horácio Lafer
Precedido por
Raphael de Almeida Magalhães
Governador da Guanabara
1965 — 1971
Sucedido por
Chagas Freitas


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.