Neil Harbisson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Neil Harbisson
Neil Harbisson Cyborg.jpg
Neil Harbisson fotografado por Dan Wilton em 2011
Nascimento 27 de julho de 1982 (32 anos)
Londres, Inglaterra
Reino Unido
Escola/tradição Dartington College of Arts, Inglaterra

Neil Harbisson (Londres, 27 de julho de 1982)[1] é um artista audiovisual e presidente da Fundação Cyborg. Em 2004, se tornou a primeira pessoa reconhecida como ciborgue por um governo.[2] Harbisson tem acromatopsia, uma condição que desde o nascimento o obrigou a ver o mundo em preto e branco. Desde os 20 anos, tem instalado um olho eletrônico chamado eyeborg, que permite ao artista escutar as cores.[3] Em 2010, inaugurou a Fundação Cyborg, uma organização internacional para ajudar os seres humanos a converterem-se em cyborgs e defender os direitos dos cyborgs.[4]

Vida e Carreira[editar | editar código-fonte]

Neil Harbisson nasceu com acromatopsia, uma condição que só lhe permite ver em preto e branco. Ele cresceu em Mataró, na Província de Barcelona (Espanha), onde estudou música, dança e dramaturgia em várias escolas.[5] [6] Harbisson começou a compor peças para piano com 11 anos de idade.[7] Na escola, quando perguntava aos colegas para passar a tinta vermelha ou para pegar uma caneta azul, estes muitas vezes pensavam que Harbisson estava apenas sendo preguiçoso. Vestia-se exclusivamente em preto e branco. "Qual é o sentido de usar algo que eu não posso apreciar?", perguntava ele.[8] Aos 16 anos de idade começou a estudar belas Artes no Instituto Alexandre Satorras, onde recebeu permissão para desenvolver suas obras usando apenas preto e branco. Os primeiros trabalhos de Harbisson são todos em preto e branco.[9]

Em maio de 2001, depois de subir em uma árvore no centro de Mataró para evitar que fosse cortada, Harbisson ganhou a atenção da mídia na Espanha.[10] Nesta ocasião, permaneceu nas árvores por vários dias,[11] recebendo o apoio de mais 3.000 pessoas, que assinaram uma petição para evitar que as árvores fossem derrubadas.[12] O protesto surtiu efeito e a prefeitura anunciou que as árvores não seriam mais cortadas.[13]

Harbisson mudou-se para a Irlanda em setembro de 2001 para concluir seus estudos de piano na "Walton's New School of Music", Dublin. Em 2002, ele se mudou para a Inglaterra, onde estudou composição musical no "Dartington College of Arts".[14]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wiki em Inglês: Neil Harbisson

TED Talk: "I listen to color"

Referências

  1. Registre El Maresme Número 224, Verano 1982
  2. *Tibballs, Geoff. Ripley's Believe it or not! p.61 (USA 2006) ISBN 978-1-893951-12-9
  3. Quo [1]
  4. García, F.C. "Nace una fundación dedicada a convertir humanos en ciborgs", La Vanguardia, 1 de marzo de 2011.
  5. FC "Més de 4000 espectadors ja han vist els Pastorets que acaben diumenge" Capgros 12–19 de fevereiro de 1999
  6. JV "Alumnes del Campeny representen Terra Baixa" Crònica de Mataró 16 de maio de 1998
  7. Mas, Pere. "Neil Harbisson, ciborg de colors", Catalunya Ràdio, 25 de agosto de 2009
  8. Gordonin, Bryony. "From black and white to colour . . . eyes opened to sound of socks", The Independent, 13 de janeiro de 2005.
  9. Brennan, Ciarán. "When what you see is not in colour", The Irish Times, 5 de maio de 2008.
  10. Ferran, Helena. "Un «cyborg» català al Regne Unit", El Punt, 5 de dezembro de 2004.
  11. de la Fuente, Antonia. "Barones rampantes de Mataró se instalan en árboles para impedir que los corten", La Vanguardia, 27 de maio de 2001.
  12. "Penjats pels arbres" Front page of El Punt 26 de maio de 2001
  13. Ferran, Helena. "Famós a Mataró per <<salvar>> arbres", El Punt, 5 de dezembro de 2004.
  14. Martinez Arias, Alberto. "Primer ciborg del mundo reconocido por un gobierno”, Puntos de Vista,Radio Exterior de España, 23 de janeiro de 2012.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Neil Harbisson