Nelson Wilmarth Aldrich

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nelson Wilmarth Aldrich
Retrato de Nelson W. Aldrich (tirado entre 1905 e 1915)
Senador dos Estados Unidos
por Rhode Island
Período de governo 1881
até 1911
Antecessor(a) Ambrose Burnside
Sucessor(a) Henry Frederick Lippitt
Vida
Nascimento 6 de novembro de 1841
Foster, Rhode Island
Morte 16 de abril de 1915 (73 anos)
Nova Iorque
Nacionalidade Estados Unidos americano
Progenitores Mãe: Abby Burgess
Pai: Anan E. Aldrich
Dados pessoais
Alma mater East Greenwich Academy
Cônjuge Abigail "Abby" Pearce Truman Chapman
Partido Republicano
Profissão Empresário
O presidente Taft tenta colocar ideias progressistas em Aldrich. O título diz: Vinho Novo em Garrafas Velhas.

Nelson Wilmarth Aldrich (Foster, Rhode Island, 6 de novembro de 1841 - Nova Iorque, 16 de abril de 1915) foi um proeminente político americano e um líder do Partido Republicano no Senado, onde atuou de 1881 a 1911.

Por causa de seu impacto sobre a política nacional e a posição central na crucial Comissão de Finanças do Senado, foi chamado pela imprensa e pelo público de o "Gerente Geral da Nação", controlando todas as tarifas e políticas monetárias na primeira década do século XX. Em uma carreira que durou três décadas, Aldrich ajudou a criar um amplo sistema de tarifas que protegia as indústrias e o campo americanos da concorrência estrangeira, enquanto mantinha artificialmente alto os preços de bens de consumo prejudicando muitos trabalhadores e fazendeiros. Foi um partidário da reestruturação do sistema financeiro americano por meio da instituição de alterações no imposto de renda, que originalmente era contrário, e o Federal Reserve. Afirmou que acreditava que estas reformas levariam a uma maior eficiência. Aldrich ficou rico com investimentos em sistemas de bondes elétricos, borracha, açúcar e no setor bancário. Seu filho Richard Steere Aldrich tornou-se um representante americano, e sua filha, Abby, casou com John D. Rockefeller, Jr., o filho único de John Davison Rockefeller. O filho dela, e seu neto, Nelson Aldrich Rockefeller, serviu como vice-presidente dos Estados Unidos no governo de Gerald Ford.

Família[editar | editar código-fonte]

Aldrich nasceu em uma família de descendentes de John Winthrop, William Wickenden e Roger Williams.[1] [2] O seu ramo atravessou gerações em circunstâncias de declínio econômico. Sua mãe era Abby Burgess e seu pai, Anan E. Aldrich, um moageiro. O primeiro dos ancestrais americanos de Aldrich foi o imigrante George Aldrich, que se estabeleceu em Mendon, Massachusetts, no século XVII. Hoje, a Associação da Família Aldrich, e o cemitério da família, estão localizados na comunidade vizinha de Uxbridge na divisa com Rhode Island. Foi em Rhode Island que Nelson Aldrich cresceu e prosperou. Estudou na East Greenwich Academy. A família Aldrich cresceu e se tornou uma dinastia política no cenário americano, com senadores, um vice-presidente, e várias figuras políticas em diversos estados.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

A casa de Aldrich em Providence, um Patrimônio Histórico Nacional.

O primeiro emprego de Aldrich foi no escritório da maior rede de supermercados por atacado do estado, onde trabalhou com empenho até se tornar um dos sócios da empresa. Em 9 de outubro de 1866 casou-se com Abigail "Abby" Pearce Truman Chapman, uma mulher rica com ancestrais famosos. Em 1877, Nelson produziu um efeito importante sobre a política estadual, antes mesmo de sua eleição para o Congresso dos Estados Unidos.[3] Serviu como presidente do conselho da cidade de Providence e presidente da Câmara dos Representantes de Rhode Island.

Em 1878, os líderes republicanos de Rhode Island aprovaram seu nome para a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos; em 1881 foi eleito para o Senado. Serviu no Senado de 1881 a 1911 como um influente republicano, tornando-se presidente do Comitê de Finanças do Senado.

Em 1906, Aldrich vendeu sua participação no sistema de bondes elétricos de Rhode Island para a New York, New Haven and Hartford Railroad, cujo presidente era o aliado leal de John Pierpont Morgan, Charles Sanger Mellen. Também em 1906, Aldrich e outros financistas americanos investiram pesadamente em minas e borracha no Congo Belga. Apoiaram o rei da Bélgica, Leopoldo II, que impôs condições de trabalho escravo na colônia.[4]

Em 1907, J.P. Morgan publicou rumores de que a Knickerbocker Trust Company estava insolvente. Alguns historiadores acreditam que este foi um ato deliberado de manipulação de mercado que precipitou o Pânico de 1907, e consolidou a supremacia dos bancos controlados por Morgan.[5] O pânico gerou a aprovação da lei Aldrich-Vreeland em 1908, que criou a Comissão Monetária Nacional, patrocinada e dirigida por Aldrich. Depois de emitir uma série de trinta relatórios, esta comissão elaborou o Plano Aldrich, formando a base para o sistema de Reserva Federal.

Como coautor da lei da Tarifa Payne-Aldrich de 1909, Aldrich removeu as taxas restritivas à importação de obras de arte, o que permitiu aos americanos a compra de obras europeias muito caras, que posteriormente se tornaram a base de muitos importantes museus.

Em 1909, Aldrich apresentou uma emenda constitucional para a criação do imposto de renda, embora tivesse chamado uma década antes uma medida semelhante de "comunista".

Atuou também como presidente da Conferência Republicana do Senado. Durante seu mandato no Senado, presidiu as comissões de Finanças, Rotas de Transporte para o Litoral, Regras, e a Comissão Especial sobre corporações organizadas no Distrito Columbia.

Um forte defensor de temas progressistas de eficiência e conhecimentos científicos, Aldrich liderou uma equipe de peritos para estudar os bancos nacionais europeus. Depois de sua viagem, chegou a acreditar que a Grã-Bretanha, a Alemanha e a França tinham um sistema bancário central muito superior.[6] Trabalhou com vários importantes banqueiros e economistas, incluindo Paul Warburg, Abram Andrew e Henry Davison, para criar um plano para um banco central americano em 1911. Em 1913 Woodrow Wilson assinou a Lei da Reserva Federal, que foi modelada pela visão de Aldrich.

Devido o seu controle do Senado (e o casamento de sua filha Abby Greene Aldrich com John D. Rockefeller, Jr., e mais tarde a presidência do Chase National Bank por seu filho Winthrop Williams Aldrich), Aldrich, que representou o menor estado da União, foi considerado como um dos políticos mais poderosos de seu tempo. Seu neto e homônimo Nelson Aldrich Rockefeller se tornou um dos políticos mais poderosos de uma época posterior e serviu como vice-presidente dos Estados Unidos no governo do presidente Gerald Ford.

Aldrich foi muito ativo na Maçonaria e era o Tesoureiro da Grande Loja de Rhode Island. Morreu em 16 de abril de 1915, em Nova Iorque, e foi sepultado no cemitério Swan Point, em Providence, Rhode Island. A Casa Nelson W. Aldrich, na Benevolent Street, 110, Providence, está aberta para o público como um museu administrado pela Rhode Island Historical Society.

Notas e referências

  1. William G. McLoughlin, Rhode Island, a History, (W.W. Norton & Co. 1986), 149 [1]
  2. James Pierce Root, Steere Genealogy: A Record of the Descendants of John Steere, who Settled in Providence, Rhode Island, about the year 1660, (Providence: Riverside Press, 1890).
  3. Bernice Kert, Abby Aldrich Rockefeller: The Woman in the Family, 1993, p. 17
  4. Jerome L. Sternstein, "King Leopold II, Senator Nelson W. Aldrich, and the Strange Beginnings of American Economic Penetration of the Congo," African Historical Studies, Vol. 2, No. 2 (1969), pp. 189-204
  5. Frederick Allen. (25 de abril de 1949). "Morgan the Great". Life Magazine 26: 126.
  6. Europe and Central Banks, New York Times, January 9, 1910, Annual Financial Review, pg 8.

Wikisource  "Aldrich, Nelson Wilmarth". Encyclopædia Britannica (11th). (1911). Ed. Chisholm, Hugh. Cambridge University Press. 

Leituras adicionais[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Câmara dos Representantes dos Estados Unidos
Precedido por
Benjamin T. Eames
Membro da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos
pelo 1º distrito de Rhode Island

4 de março de 1879 - 4 de outubro de 1881
Sucedido por
Henry J. Spooner
Senado dos Estados Unidos
Precedido por
Ambrose Burnside
Senador dos Estados Unidos (Classe 1)
por Rhode Island

5 de outubro de 1881 - 4 de março de 1911
Serviu com: Henry B. Anthony, William P. Sheffield, Jonathan Chace, Nathan F. Dixon, George Peabody Wetmore
Sucedido por
Henry F. Lippitt
Cargos Legais
Precedido por
Justin Morrill
Vermont
Presidente da Comissão do Senado dos Estados Unidos sobre Finanças
1899 - 1911
Sucedido por
Boies Penrose
Pensilvânia