Neo-Geo CD

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Junho de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Neo-Geo CD
NEO-GEOCD.jpg
Fabricante SNK Playmore
Família do
produto
Neo-Geo
Tipo Console de videogame
Geração 4ª geração
Lançamento Japão 1994
Mídia CD-ROM
CPU Motorola 68000, Zilog Z80

Devido ao alto preço do Neo-Geo AES, a SNK resolve lançar um modelo mais barato, já que o console de cartucho era extremamente caro, e seus jogos também (um bom jogo custava cerca de $300, o preço de lançamento do Neo-Geo CD), a solução foi usar o CD no lugar do cartucho. Nasceu então, em 1994, o Neo-Geo CD, que não devia nada em potência ao Neo-Geo original, e tinha um som melhorado, devido ao sistema de cd, seus jogos também eram bem mais baratos, devido ao uso do cd, que custava em média 5 vezes menos do que os cartuchos utilizados no Neo-Geo, o console lia também cds de música.

Neo Geo CD com 4 CDs.

Versões do Neo-Geo CD[editar | editar código-fonte]

A primeira versão lançada foi o Neo-Geo CD de gaveta, que saiu apenas no mercado japonês. Hoje em dia é um console bastante difícil de encontrar, pois teve sua fabricação limitada em 25.000 mil unidades.

Logo depois, devido ao alto custo de produção do modelo de gaveta, é lançado o modelo de tampa, aonde o cd era posto na parte superior do console, o "top loading", com as mesma especificações técnicas. O modelo mais conhecido e popular. Foi lançado em todo mundo.

Apesar de tudo, o Neo-Geo CD tinha um grave problema, devido ao seu drive de cd de 1X de velocidade, os jogos eram carregados muito lentamente, o que tornava o gameplay uma tarefa de muita paciência diversas vezes. Para tentar solucionar isso, a SNK lançou em 1995 o que seria a solução, nasce o NeoGeo CDZ, lançado somente no Japão, esse aparelho de fato tem o carregamento mais rápido dos jogos, graças ao drive de dupla velocidade, reduzinho a duração de cada loading. Mas o mercado já estava dominado pelo PlayStation e Sega Saturn, mais modernos, tinham carregamento mais rápido e já estavam bastante popularizados, além do Nintendo 64, lançado no final de 1996.

Nessa época, o Neo-Geo já estava em declínio, devido ao alto preço das versões de cartucho, e a lentidão da versão cd, o que tornou o Neo-Geo um fracasso comercial, no entanto, sua lista de jogos era ótima, com conversões perfeitas do arcade. O Neo-Geo possui um grande número de fãs até hoje.

Projeto Cancelado[editar | editar código-fonte]

A princípio o plano da SNK, seria lançar um adaptador de cd para o Neo-Geo AES, mas o projeto foi abandonado, já que a versão cartucho não tinha sido projetada para receber tal adaptador. Projeto cancelado, a SNK opta por lançar um novo console, o Neo Geo Cd.

Hardware[editar | editar código-fonte]

O hardware do neogeo cd era extremamente poderoso para a época, e consiste de:

  • CPU: 16bit 68000chip rodando a 12Mhz com um chip Z80 de 4Mhz. Ela pode fazer 4.096 cores na tela e 380 sprites de uma só vez com 3 planos ao mesmo tempo.
  • Som: Chip de som stereo Yamaha com 13 canais.
  • Memória: 7Mb DRAM, 512K VRAM e 64K SRAM.
  • Resolução: 320 x 224
  • Paleta de cores: 65,536 cores
  • RAM interna: 56 Mbits
  • CD: Drive de 1x que também reproduz cd de áudio.

Jogos[editar | editar código-fonte]

O Neo-Geo CD, apesar de não ter sido um sucesso de vendas, tinha uma biblioteca de jogos invejável para a época, com conversões perfeitas das versões de arcade, devido a potência do Neo-Geo, que tinha o melhor hardware dentre todos os consoles da época, e teve uma longevidade incrível se comparada às vendas, pois jogos continuavam a sair, principalmente para a versão de cartucho por um bom tempo, grande parte produzida para a MVS, a placa de arcade da SNK.

Fatal Fury[editar | editar código-fonte]

Um dos pioneiros dos jogos de luta, conta a história principalmente dos irmãos Terry Bogard e Andy Bogard, que tinham como objetivo derrotar o maligno Geese Howard e vingar a morte de seus pais.

O jogo, lançado no início dos anos 90, foi dos mais inovadores para a época, o sistema de luta em dois planos ampliava o leque de estratégias possíveis para uma luta, além de Fatal Fury 1, 2, 3 e Special, saíram também dois jogos da série Real Bout (Real Bout: Fatal Fury, e Real Bout 2: The Newcomers), além do excelente Garou: Mark Of The Wolves, com gráficos fantásticos para uma placa com quase 10 anos de idade, apesar de não ter muito a ver com a história principal (a história se passa 10 anos depois de Fatal Fury 3: Road to the Final Victory), e também um Fatal Fury com gráficos 3d chamado Fatal Fury: Wild Ambition, além disso, foram produzidas inúmeras animações contando a história do jogo, incluindo um longa metragem.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre hardware de jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.