Nephila clavipes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaNephila clavipes
Nephila-clavipes-2.jpg

Estado de conservação
Status iucn3.1 LC pt.svg
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Classe: Arachnida
Ordem: Araneae
Família: Nephilidae
Género: Nephila
Espécie: N. clavipes
Nome binomial
Nephila clavipes
(Linnaeus, 1767)

Nephila clavipes é uma espécie comum de aranha. Vive nas regiões mais quentes das Américas, podendo ser encontrada da Argentina aos Estados Unidos, o que inclui também o Brasil. Suas grandes dimensões, seu formato exótico e sua bela coloração a torna distinta entre as demais aranhas. Como é comum nas espécies do mesmo gênero (Nephila), a fêmea é muitas vezes maior do que o macho.[1]

Hábitos[editar | editar código-fonte]

As fêmeas destas aranhas constroem teias enormes, muito bem elaboradas e simétricas, às vezes chegando a 1 metro de diâmetro. Elas as elaboram estrategicamente entre os galhos das àrvores, numa altura em que costumam voar insetos como borboletas, mariposas, gafanhotos, dentre outros, das quais ficam presos na teia e de que essas aranhas se alimentam.

A seda pegajosa de sua teia é conhecida por sua grande resistência, sendo às vezes comparada com cabos de aço (no sentido proporcional). Tamanha resistência faz com que até mesmo pequenos pássaros, em pleno voo, sejam capturados pela teia.[2] [3]

No Brasil, estas aranhas são encontradas por toda a Mata Atlântica. Por ser um animal peçonhento, estas aranhas, naturalmente, podem picar o homem. Entretanto, não são animais agressivos, dificilmente abandonam suas teias e a ação de seu veneno não tem importância médica, causando no homem apenas vermelhidão e leve dor no local da picada. Exceções ocorrem nos casos em que a vítima é alérgica a este tipo de picada, onde neste caso, deve-se procurar atendimento médico.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Página da "Sociedade de Ecologia do Brasil", no artigo: "FENOLOGIA DE NEPHILA CLAVIPES". Acessado em 17 de Agosto de 2011.
  2. Revista "Superinteressante", no artigo: "As aranhas, sexo e violência" abaixo do sub-tópico: "A força da fiação". Acessado em 17 de Agosto de 2011.
  3. Página do portal de notícias "G1" das Organizações Globo, no artigo: "Aranha venenosa gigante ataca pássaro na Austrália". Acessado em 17 de Agosto de 2011.