Nevalı Çori

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde janeiro de 2011)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Nevalı Çori
Fertile Crescent 7500 BC DAN.PNG
Mapa do Crescente Fértil em 7 500 a.C. onde consta Nevalı Çori
Localização atual
Nevalı Çori está localizado em: Turquia
Nevalı Çori
Localização de Nevalı Çori na Turquia
Coordenadas 37° 31' 6" N 38° 36' 20" E
País  Turquia
Região Sudeste da Anatólia
Província Şanlıurfa
Altitude 490 m
Dados históricos
Fundação 10º ou 9º milénio a.C.
Período/era Neolítico
Notas
Escavações 1993 (Universidade de Heidelberg)
Arqueólogos Harald Hauptmann
Site halvo-Projekt

Nevalı Çori é um antigo assentamento do Neolítico situado no Médio Eufrates, na província de Şanlıurfa (Urfa), no leste da Turquia. O local é famoso principalmente pelos seus templos, os mais antigos conhecidos, e pelas suas esculturas monumentais. Juntamente como o sítio de Göbekli Tepe, revolucionou o entedimento científico do Neolítico da Eurásia. Provavelmente é o assentamento humano mais antigo que se conhece.[nt 1]

Situa-se a cerca de 490 m de altitude, no sopé dos Montes Tauro, em ambas as margens da ribeira de Kantara, um afluente do Eufrates.

Escavações[editar | editar código-fonte]

O local foi examinado em 1993 no âmbito de escavações de emergência motivadas pela construção da Barragem Atatürk, a jusante de Samsat. Os trabalhos foram efetuados por uma equipa da Universidade de Heidelberg, liderada por Harald Hauptmann. Juntamente com numerosas estações arqueológicas vizinhas, Nevalı Çori foi submersa pelas águas da albufeira do Eufrates.

Cronologia[editar | editar código-fonte]

Nevalı Çori poderia ser enquadrada na cronologia relativa local com base nos seus utensílios de pederneira. A ocorrência de pontas estreitas do tipo de Biblos coloca-a no período O. Aurenche's Fase 3, ou seja, nos primeiros tempos do "Neolítico pré-cerâmico B (PPNB). Alguns artefatos indicam continuidade para a Fase 4, a qual equivale cronologicamente ao PPNB tardio. A arquitetura permite uma distinção mais detalhada dentro da Fase 3; o tipod e casa com canais debaixo do chão, típicos dos estratos I a IV de Nevalı Çori também caracterizam o "Nível Intermédio" em Çayönü, enquanto a planta distinta do único edifício do estrato V (Casa 1), está mais claramente relacionado com os edifícios de "Nível da Planta Celular" em Çayönü.

Em termos de datação absoluta, há quatro datas resultantes de análises de radiocarbono. Três delas são do Estrato II e apontam para a segunda metade do 9º milénio a.C., que coincide com as datas mais antigas de Çayönü e Mureybet IVA, o que suporta a cronologia relativa antes mencionada. A quarta análise aponta para o 10º milénio a.C., o que, a verificar-se correto, indica a presença de uma fase extremamente precoce do PPNB em Nevalı Çori.

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

O povoado tinha quatro níveis arquitetónicos. As ruínas escavadas consistem em casas retangulares compridas contendo duas ou três filas paralelas de compartimentos, que foram interpretadas como armazéns. Estes compartimentos são adjacentes a uma estrutura igualmente retangular subdividida por paredes salientes, que se supõe serem o espaço residencial. Este tipo de casa é caracterizada por fundações espessas com diversos níveis, feitas de grandes pedras e seixos, cujos interstícios eram preenchidos com pedras mais pequenas de modo a proporcionar uma superfície relativamente nivelada que suportava a estrutura da casa. Estas fundações são interrompidas a cada 1 a 1,5 m por canais subterrâneos, cobertos por placas de pedra, mas abertos nos lados. Os canais podem ter servido para drenagem, arejamento ou arrefecimento das casas. Foram escavadas 23 destas estruturas, claramente similares às estruturas da chamada "subfase dos canais" em Çayönü.

Uma área na parte noroeste da povoação aparenta ter tido especial importância. Aí, um complexo religioso foi escavado na encosta da colina. Aí se distinguem três fases arquitetónicas subsequentes, pertencendo a mais recente ao Estrato III, a intermédia ao Estrato II e a mais antiga ao Estrato I. As duas fases mais recentes tinham um pavimento em cal ao estilo de terrazzo,[nt 2] uma ocorrência com paralelos observados em Cayönü e Göbekli Tepe. As paredes de pedra seca [nt 3] tinham pilares monolíticos similares aos de Göbekli Tepe. No interior existiam dois pilares isolados com três metros de altura. Supõe-se que os telhados seriam leves e planos. Só são conhecidas estruturas similares em Göbekli Tepe.

Escultura e estatuetas[editar | editar código-fonte]

A pedra calcária local foi usada para esculpir numerosas estátuas e esculturas mais pequenas, incluindo uma cabeça humana calva de dimensões superiores às naturais, com uma serpente uma madeixa de cabelo semelhante às sikhas de alguns hindus ortodoxos. [nt 4] Foi também descoberta uma estátua de uma ave. Alguns dos pilares apresentam relevos, incluindo alguns com mãos humanas. As esculturas antropomórficas de calcário escavadas em Nevalı Çori são das mais antigas esculturas em tamanho natural conhecidas. Material semelhante foi encontrado em Göbekli Tepe.

Foram encontradas várias centenas de pequenas figuras em barro, com cerca de 5 cm de altura, a maior parte delas representando seres humanos. Estas figuras foram interpretadas como oferendas votivas. Eram cozidas a temperaturas entre 500 e 600ºC, o que suegre o desenvolvimento de tecnologia de cerâmica de fogo antes do advento da olaria propriamente dita.

Sepulturas[editar | editar código-fonte]

Algumas das casas continham caveiras e esqueletos incompletos.

Notas

  1. a b c d A maior parte do texto foi inicialmente baseado no artigo «Nevalı Çori» na Wikipédia em inglês (acessado nesta versão).
  2. «terrazzo» no texto original.[nt 1] O terrazzo é um tipo de pavimento a imitar mármore ou feito de pequenas pedras misturadas com argamassa ou cimento . Ver artigo «Terrazzo» na Wikipédia em inglês. Ver artigo «Terrazo» na Wikipédia em espanhol.
  3. «dry stone walls» no texto original.[nt 1] As paredes de pedra seca ou paredes secas referem-se a uma técnica de construção de paredes ou muros em pedra em que não é usada argamassa, sendo a estabilidade assegurada pela escolha criteriosa das pedras de forma a que se encaixem umas nas outras . Ver artigo «Dry stone» na Wikipédia em inglês. Ver artigo «Piedra seca» na Wikipédia em espanhol.
  4. «bare human head with a snake or sikha-like tuft» no texto original.[nt 1] A sikha é uma madeixa longa usada por alguns hindus . Ver artigo «Sikha» na Wikipédia em inglês.

Bibliografia

  • Badisches Landesmuseum Karlsruhe (ed.): Die ältesten Monumente der Menschheit. Vor 12.000 Jahren in Anatolien, Begleitbuch zur Ausstellung im Badischen Landesmuseum vom 20. Januar bis zum 17. Juni 2007. Theiss, Stuttgart 2007, ISBN 978-3-8062-2072-8.
  • MediaCultura (Hrsg.): Die ältesten Monumente der Menschheit. Vor 12.000 Jahren in Anatolien. DVD-ROM. Theiss, Stuttgart 2007, ISBN 978-3-8062-2090-2.
  • Hauptmann, H. Nevalı Çori: Architektur. (1988) Anatolica 15, 99-110.
  • Hauptmann, H. Nevalı Çori: Eine Siedlung des akeramischen Neolithikums am mittleren Euphrat (1991/92) Nürnberger Blätter 8/9, 15-33.
  • Hauptmann, H., Ein Kultgebäude in Nevalı Çori, in: M. Frangipane u.a. (Hrsg.), Between the Rivers and over the Mountains, Archaeologica Anatolica et Mesopotamica Alba Palmieri dedicata (Rome 1993), 37-69.
  • H. Hauptmann, Frühneolithische Steingebäude in Südwestasien. In: Karl W. Beinhauer et al., Studien zur Megalithik: Forschungsstand und ethnoarchäologische Perspektiven / The megalithic phenomenon: recent research and ethnoarchaeological approaches (Mannheim : Beier & Beran, 1999). Beiträge zur Ur- und Frühgeschichte Mitteleuropas 21.
  • M. Morsch, Magic figurines? A view from Nevalı Çori, in: H.G.K. Gebel, Bo Dahl Hermansen and Charlott Hoffmann Jensen. (Hrsg.) Magic Practices and Ritual in the Near Eastern Neolithic. (Berlin: ex oriente, 2002) SENEPSE 8.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Nevali Cori (em alemão) . Projeto Halvo (halvo-Projekt). Página visitada em 7 de janeiro de 2011.