Never on Sunday

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde abril de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Never on Sunday
Nunca ao Domingo (PT)
Nunca aos Domingos (BR)
 Grécia  Estados Unidos
1960 • cor • 91 min 
Direção Jules Dassin
Produção Jules Dassin
Elenco Melina Mercouri
Jules Dassin
Giorgos Foundas
Gênero comédia romântica
Idioma inglês
greco
russo
Edição Roger Dwyre
Distribuição Lopert Pictures Corporation
(1960, original)
Metro-Goldwyn-Mayer (2003, DVD)
Lançamento 1 de outubro de 1960
Orçamento US$ 150,000
Receita US$ 4 milhões (renda conjunta nos Estados Unidos e Canadá)
Página no IMDb (em inglês)

Never on Sunday (Nunca aos Domingos (título no Brasil) ou Nunca ao Domingo (título em Portugal)), do original grego Ποτέ Την Κυριακή, é um filme grego de 1960 do gênero comédia romântica, dirigido por Jules Dassin. O filme é falado em grego, russo e inglês.

A protagonista Melina Mercouri era casada com o diretor e ganhou o prêmio do Festival de Cannes de melhor atriz por esse trabalho. A história é uma variação do mito de Pigmaleão.

As canções e as músicas tocadas em bouzouki são de Manos Hadjidakis.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Ilya é uma prostituta de "bom coração" que vive no porto grego de Pireus e, ao contrário de suas colegas, não depende do misterioso Sem Rosto, que explora as mulheres cobrando alugueis pelos prédios que elas moram. Certo dia chega ao porto o turista americano Homer, escritor e pretenso filósofo que veio à Grécia em busca de uma explicação para a "decadência" daquela grande civilização. Quando conhece Ilya ele acredita ser ela um símbolo dessa transformação e passa a querer mudá-la, tentando provar que seria possível a civilização grega ressurgir. Ele recebe ajuda do Sem Rosto, que quer afastar Ilya das outras prostitutas pois a considera uma "má influência".

Premiação[editar | editar código-fonte]

  • Oscar de "Melhor Canção Original" para Manos Hadjidakis. Recebeu indicações para melhor atriz (Melina Mercouri), melhor figurinos para filmes em preto-e-branco, melhor diretor e melhor roteiro original
  • Venceu como melhor atriz do Festival de Cannes.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]