Nhaneca-Humbe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapa étnico de Angola em 1970 (Área dos Nyaneka-Nkhumbi marcada a azul claro

O termo Nhaneca-Humbe (ortografia internacional Nyaneka-Nkhumbi) é utilizado para designar um conjunto de etnias agropastoras do Sudoeste de Angola.

Localizadas ao longo do curso do Rio Cunene, na sua maior parte na Província da Huíla, estas etnias combinam a criação de gado bovino com uma agricultura geralmente destinada mais à auto-subsistência do que à comercialização[1] . Cada etnia (Mwila, Handa etc.) tem a sua identidade social e suas características culturais e linguísticas próprias, e elas não se consideram como fazendo parte de um conjunto abrangente. [2]

A maior parte dos Nhaneca-Humbe aderiu ao cristianismo, predominantemente à Igreja Católica, no decorrer do período colonial. A escolarização fez progressos lentos e continua a baixo da média nacional. Uma parte significativa passou a viver nas vilas e cidades, abandonando, completamente ou em parte, o seu modo de vida tradicional.

O cortejo anual do Boi Sagrado praticado em partes mais tradicionais da região, tem de acordo com algumas fontes a sua origem no culto ao boi Ápis da Mitologia Egípcia[3] .

Referências

  1. Carlos Estermann. Etnografia do Sudoeste de Angola. Lisboa: Junta de Investigações do Ultramar, 1956. 3 vols. (A fonte básica continua a ser este livro)
  2. Rosa Melo, "Nyaneka-Nkhumbi": uma carapuça que não serve aos Handa, nem aos Nyaneka, nem aos Nkhumbi, Cadernos de Estudos Africanos (Lisboa), 7/8, 2004/2005, pp. 157 - 177. A autora é Handa.
  3. Consulado Geral da República de Angola no Rio de Janeiro

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre etnologia ou grupos étnicos é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

]