Nigéria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Nigeria)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Federal Republic of Nigeria
República Federal da Nigéria
Bandeira da Nigéria
Brasão  República Federal da Nigéria
Bandeira Brasão de armas
Lema: "Unity and Faith, Peace and Progress"
("Unidade e Fé, Paz e Progresso")
Hino nacional: "Arise, O compatriots"
("Levantem-se, ó compatriotas")
Gentílico: nigeriano(a)[1]

Localização  República Federal da Nigéria

Capital Abuja
9° 04' N 7° 29' E
Cidade mais populosa Lagos
Língua oficial Inglês
Governo República presidencialista
 - Presidente Goodluck Jonathan
 - Vice-presidente Namadi Sambo
Independência do Reino Unido 
 - Data 1 de outubro de 1960 
Área  
 - Total 923 768 km² (31.º)
 - Água (%) 1,4
 Fronteira Níger (N), Chade (L), Camarões (L e S), e
Benim (O)
População  
 - Estimativa de 2007 148 000 000 [2] hab. (8.º)
 - Densidade 139 hab./km² (53.º)
PIB (base PPC) Estimativa de 2007
 - Total US$ : 294,800 bilhões (38.º)
 - Per capita US$ : 2.035 (137.º)
IDH (2012) 0,471 (153.º) – baixo[3]
Gini (2003) 43,7 [4]
Moeda Naira (NGN)
Fuso horário (UTC+1)
 - Verão (DST) não observado (UTC+1)
Clima Tropical e semiárido
Org. internacionais ONU, OMC, UA, OCI, CEN-SAD, G15, D-8, OPEP, ZPCAS, G20 (países em desenvolvimento), Comunidade
das Nações
Cód. ISO NGA
Cód. Internet .ng
Cód. telef. +234
Website governamental http://www.nigeria.gov.ng/

Mapa  República Federal da Nigéria

Nigéria, oficialmente República Federal da Nigéria, é uma república constitucional federal, compreendendo trinta e seis estados e um Território da Capital Federal. O país é localizado na África Ocidental e compartilha fronteiras terrestres com Benim a oeste, Chade e Camarões a leste e Níger a norte. Sua costa está no Golfo da Guiné, uma parte do Oceano Atlântico, ao sul. A capital é a cidade de Abuja. Os três maiores e mais influentes grupos étnicos na Nigéria são os Hauçás, Igbos e Iorubás.

O povo da Nigéria tem uma extensa história; evidências arqueológicas mostram que a ocupação humana da área remonta a, pelo menos, 9000 a.C.[5] A área do Rio Benue é considerada a moradia original dos migrantes Bantos, que se espalharam pela parte central e sul da África em épocas entre o Primeiro milénio a.C. e o Segundo milénio d.C..

A Nigéria é o país mais populoso da África e o oitavo país mais populoso do mundo; com uma população de mais de 148 milhões de habitantes, o país contém a maior população 'negra' no mundo. É uma potência regional, está listado entre as economias "Próximos Onze", e é um membro da Commonwealth. É atualmente a maior economia do continente africano[6] [7] e uma das com o crescimento mais rápido do mundo; o Fundo Monetário Internacional projetou um crescimento de 9% no país em 2008 e 8.3% em 2009.[8] [9] [10] [11] A maioria da população do país vive na pobreza absoluta.[12]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome "Nigéria" foi criado de uma fusão das palavras Niger (referente ao Rio Níger) e area (termo inglês para "área"), em contraste ao país Níger (colônia Francesa vizinha). Esse nome foi cunhado pela Flora Shaw, futura esposa do Barão Lugard, uma administradora colonial britânica, no final do século XIX. [carece de fontes?]

História[editar | editar código-fonte]

O Império Kanem-Bornu, próximo ao Lago Chade, dominou a parte norte da Nigéria por mais de 600 anos, prosperando como rota de comércio entre os bárbaros norte-africanos e o povo da floresta. No começo do século XIX, Usman dan Fodio reuniu a maior parte das áreas do norte sob o controle de um império islâmico tendo como centro Sokoto. Ambos os reinos de Oyo, no sudoeste, e Benim, no sudeste, desenvolveram sistemas elaborados de organização política nos séculos XV, XVI e XVII.

Até 1471, navios portugueses haviam descido o litoral africano até o delta do Rio Níger. Em 1481 emissários do rei de Portugal visitaram a corte do oba de Benim, com o qual mantiveram por um tempo laços estreitos, usufruindo de monopólio comercial até o fim do século XVI.[13]

Entre os séculos XVII e XIX, comerciantes europeus estabeleceram portos costeiros para o aumento do tráfico de escravos(prisioneiros de guerra das tribos africanas mais fortes e dominadoras regionais) para as Américas, concorrendo fortemente com os árabes neste comércio. O comércio de commodities substituiu o de escravos no século XIX.

A Compania Real do Níger foi criada pelo governo britânico em 1886 e, em 1900, criou os protetorados britânicos do Norte da Nigéria e do Sul da Nigéria. Estes protetorados foram fundidos em 1914, para formar a colônia da Nigéria. Em resposta ao crescimento do nacionalismo nigeriano ao final da Segunda Guerra Mundial, o governo britânico iniciou um processo de transição da colônia para um governo próprio com base federal, concedendo independência total em 1960, tornando-se a Nigéria uma federação de três regiões, cada uma contendo uma parcela de autonomia (Norte, Leste e Oeste).

Em 1966, dois golpes sucessivos por diferentes grupos militares deixaram o país sob uma ditadura militar. Os líderes do segundo golpe tentaram aumentar o poder do governo federal, e substituíram os governos regionais por doze governos estaduais. Os igbos, grupo dominante etnicamente na região leste, declararam independência como a República de Biafra em 1967, iniciando uma sangrenta guerra civil que terminou com sua derrota.

Em 1975, um golpe pacífico levou Murtala Ramat Mohammed ao poder, que prometeu um retorno ao estado civil. Entretanto, ele foi morto em seguida, tendo como sucessor Olusegun Obasanjo. Uma nova constituição foi promulgada em 1977 e eleições foram realizadas em 1979, sendo ganhas por Shehu Shagari.

A Nigéria retornou ao governo militar em 1983, através de um golpe que estabeleceu o Supremo Conselho Militar como o novo órgão regulamentador do país. Depois das eleições de 1993, que foram canceladas pelo governo militar, o general Sani Abacha subiu ao poder. Quando ele morreu subitamente em 1998, Abdulsalami Abubakar tornou-se o líder do conselho, agora conhecido como o Conselho Provisório de Regulamentação. Ele anulou a suspensão da constituição de 1979 e, em 1999, a Nigéria elegeu Olusegun Obasanjo como presidente nas suas primeiras eleições em dezesseis anos. Obasanjo e seu partido também ganharam as turbulentas eleições de 2003.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A Nigéria situa-se no Golfo da Guiné. As suas maiores cidades localizam-se nas terras baixas do sul. A parte central do país é composta por colinas e planaltos. A leste, na divisa com Camarões, encontra-se parte do planalto ou maciço de Adamawa (conhecidas como Montanhas Gotel, atingindo 2419 metros em Chappal Waddi, o ponto mais elevado do país. O norte consiste de terras baixas áridas. Os países limítrofes são o Benim, o Níger, o Chade e Camarões.

Em tamanho é um pouco maior que o estado de Mato Grosso.

A floresta e os bosques ocorrem principalmente no terço sul do país, que é afetado por chuvas sazonais vindas do oceano Atlântico entre Junho e Setembro. À medida que se segue para norte, o país vai-se tornando mais seco e a vegetação mais semelhante à da savana. O terço norte do país inclui-se na região semiárida do Sahel, que marca o limite sul do deserto do Saara.

A Nigéria é dividida em três pelos rios Níger e Benue, que chegam ao país vindos de nordeste e noroeste e se vão juntar mais ou menos no centro, perto da nova capital, Abuja. Daí, o rio Níger acrescentado com água do Benue flui para sul até desaguar no mar num grande delta.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Densidade populacional da Nigéria.
Em verde, os estados que adotam a charia são criticados por desfavorecerem minorias religiosas.

O país mais populoso da África, a Nigéria, representa aproximadamente um quarto da população do Oeste Africano. Embora menos de 25% dos nigerianos sejam populações urbanas, pelo menos 24 cidades têm uma população de mais de 100.000 habitantes. A variedade dos costumes, línguas, tradições entre 389 grupos étnicos do país, oferece uma rica diversidade. É impossível indicar os montantes demográficos sobre a Nigéria, autoritariamente, pois os resultados dos censos nacionais foram contestados.

As Nações Unidas estimam que a população em 2005 era de 141 milhões, e previu que iria atingir os 289 milhões em 2050. A Nigéria tem uma grande taxa de fecundidade e um grande crescimento populacional. O Departamento de Recenseamento dos Estados Unidos estima que a população da Nigéria irá atingir 356 milhões em 2050 e 602 milhões em 2100, ultrapassando os próprios Estados Unidos como o terceiro país mais populoso do mundo.

A Nigéria é composta por mais de 250 grupos étnicos; as seguintes são as mais populosas e, politicamente, mais influentes: hauçá-fulani com 29%, yorubás com 20%, igbos com 20%, ijaw com 6,5%, kanuris com 4%, ibibios com 3,5%, annangs com 2,5%, tiv com 2,5%, efik com 2%. Estas percentagens são estimativas, com base no número de colonatos, incluindo o número de cidades, vilas e aldeias, com as informações fornecidas pelo serviço postal da Nigéria.

Na ausência de um censo até à data, outros números da população não seguem procedimentos científicos. Só estes são cientificamente apoiados por liquidação de números fornecidos pelo governo.

As maiores religiões são o islamismo, com 50%, e o cristianismo, com 40%. A língua oficial é o inglês.

Cidades mais populosas[editar | editar código-fonte]

Política[editar | editar código-fonte]

Câmara dos Representantes da Nigéria.

A Nigéria é uma república federativa composta por 36 estados e o Território da Capital Federal de Abuja. Abuja é capital desde 1982, e é o centro de decisões do país. As concentrações urbanas mais importantes, porém, são Lagos, a ex-capital, com cerca de 10 milhões de habitantes, Ibadan e Kano. O presidente da Nigéria era o general Olusegun Obasanjo, que é conhecido por ter sido o primeiro líder militar africano a ter entregado o poder para um civil, em 1979. Vinte anos depois, ele se tornou um líder civil, venceu as eleições presidenciais e substituiu os militares no poder.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

A Nigéria é um Estado federal constituído por 36 estados. A capital, Abuja, localiza-se no Território da Capital Federal que não pertence a nenhum estado. Os estados são subdivididos em 774 Áreas de Governo Local (LGAs).

Estados da Nigéria, há um total de 36 estados na Nigéria e Abuja, o território da capital federal.

Estados:

  1. Anambra
  2. Enugu
  3. Akwa Ibom
  4. Adamawa
  5. Abia
  6. Bauchi
  7. Bayelsa
  8. Benue
  9. Borno
  10. Cross River
  11. Delta
  12. Ebonyi
  1. Edo
  2. Ekiti
  3. Gombe
  4. Imo
  5. Jigawa
  6. Kaduna
  7. Kano
  8. Katsina
  9. Kebbi
  10. Kogi
  11. Kwara
  12. Lagos
  13. Nasarawa
  1. Níger
  2. Ogun
  3. Ondo
  4. Osun
  5. Oyo
  6. Plateau
  7. Rivers
  8. Sokoto
  9. Taraba
  10. Yobe
  11. Zamfara

Território da Capital Federal: Abuja


Economia[editar | editar código-fonte]

A economia da Nigéria assenta no petróleo, mas devido à má gestão macroeconómica, atravessa uma reforma substancial, posta em prática pela nova liderança civil do país. Os anteriores governantes militares da Nigéria não foram capazes de diversificar a economia e afastá-la da sobredependência de um sector petrolífero de capitais intensivos, o qual é responsável por 20% do PIB, 95% das receitas de exportação e cerca de 65% das receitas orçamentais. O sector agrícola, em grande medida de subsistência, não acompanhou o rápido crescimento da população e a Nigéria, em tempos um grande exportador de alimentos, precisa agora de importá-los.

Os recursos minerais incluem o petróleo, o carvão e o estanho. Os produtos agrícolas incluem amendoim, óleo de palma, cacau, citrinos, milho, sorgo, mandioca, inhames e cana-de-açúcar.

A Nigéria é local de operação da maioria dos vigaristas da chamada fraude da Nigéria. Estima-se que haja entre 100 000 e 300 000 vigaristas a atuar a partir da Nigéria, embora muitos se encontrem noutros locais do mundo. A fraude da Nigéria, também conhecida por "419", o número do código legal nigeriano que trata do assunto, é responsável pela larga maioria das transferências financeiras para a região e desempenha um papel importante na economia de cidades-chave como Lagos. Embora nos últimos anos outros países tenham tido problemas com este tipo de vigarice, a Nigéria permanece no seu centro.

Na segunda década do século XXI, a Nigéria ultrapassou a África do Sul como maior economia da África.[6] [7]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

A Nigéria não possui um bom ensino, atingindo cerca de 2,7 pontos na escala global, ou seja, comparado a países como o Brasil, que possui 3,9 pontos em escala global, o país não fica muito atrás, porém, ainda está longe da média dos países desenvolvidos, que é de 6 pontos, como é o caso do Canadá, que tem cerca de 8,9 pontos na escala global.

Cultura[editar | editar código-fonte]

A Nigéria tem a terceira maior indústria cinematográfica do mundo, atrás apenas de Hollywood e Bollywood. A maioria dos filmes é produzida sem grandes luxos, com equipamentos baratos e orçamento reduzido. São cerca de 1,2 mil filmes por ano, segundo a revista francesa Cahiers du Cinéma, muito acima da média norte-americana ou indiana, envolvendo cada ano o que se estima em 200 milhões de dólares. O maior sucesso nigeriano é o filme Living in Bondage, de 1992.

Feriados
Data Nome em português Nome local Observações
1 de outubro Dia da Independência Independência do Reino Unido (1960).

Referências

  1. Portal da Língua Portuguesa, Dicionário de Gentílicos e Topónimos da Nigéria
  2. "Country profile: Nigeria", BBC News, 20 de abril de 2008. Página visitada em 5 de agosto de 2008.
  3. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD): Relatório de Desenvolvimento Humano 2013 – Ascensão do Sul: progresso humano num mundo diversificado (14 de março de 2013). Página visitada em 15 de março de 2013.
  4. CIA World Factbook, Lista de Países por Coeficiente de Gini (em inglês)
  5. McIntosh, Susan Keech, Current directions in west African prehistory. Palo Alto, California: Annual Reviews Inc., 1981. 215-258 p.: ill.
  6. a b Patrick McGroarty; Drew Hinshaw (07 de abril de 2014). Economia da Nigéria agora é a maior da África (em português). The Wall Street Journal. Página visitada em 07 de abril de 2014.
  7. a b Reuters (06 de abril de 2014). Nigéria ultrapassa África do Sul como maior economia africana (em português). Folha de S.Paulo. Página visitada em 07 de abril de 2014.
  8. IMF Survey: Nigeria Needs Sustained Reforms to Build on Success. Imf.org. Página visitada em 21 de novembro de 2008.
  9. Aminu, Ayodele. allAfrica.com: Africa: IMF Forecasts 9 Percent Growth for Nigeria (Page 1 of 1). Allafrica.com. Página visitada em 21 de novembro de 2008.
  10. Godwin, Atser. The Punch: IMF predicts 9% GDP growth rate for Nigeria. Punchng.com. Página visitada em 21 de novembro de 2008.
  11. [http://www.independentngonline.com/news/head/article08
    Welcome to Independent Newspapers Limited - A voice of your own]. Independentngonline.com. Página visitada em 21 de novembro de 2008.
  12. Kostbar, teuer und selten – das Erdöl aus Nigeria (em em alemão). Ngo-Online.de. Página visitada em 18 de junho de 2009.
  13. Helen Chapin Metz, ed. Nigeria: A Country Study. Washington: GPO for the Library of Congress, 1991.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal Nigeria.jpg

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Flag-map of Nigeria.svg Nigéria
História • Política • Subdivisões • Geografia • Economia • Demografia • Cultura • Turismo • Portal • Imagens