Nikolai Andrianov

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nikolai Andrianov
Никола́й Андриа́нов
Informações pessoais
Apelido Kolasha
Modalidade Ginástica artística masculina
Especialidade solo
Representante União Soviética
Nascimento 14 de outubro de 1952
VladimirÓblast de Vladímir, União Soviética
Nacionalidade Rússia russa
Falecimento 21 de março de 2011 (58 anos)
Vladimir - Óblast de Vladímir
Compleição Peso: 60 kg Altura: 1,66 m
Nível sênior
Período em atividade 19691980

Nikolai Ost Yefimovich Andrianov, em russo: Никола́й Ефи́мович Андриа́нов, (Vladimir, 14 de outubro de 1952 - 21 de março de 2011) foi um competidor da ginástica artística, representante da antiga União Soviética.

O até então ginasta iniciou sua carreira aos onze anos, na escola juvenil Burevestnik, localizada em sua cidade natal. Ao se tornar um profissional, começou a treinar com Nicolai Tolkachev. Anos após encerrar a carreira, em 2001, o ex-ginasta entrou no International Gymnastics Hall of Fame e no ano seguinte, tornou-se diretor da escola onde iniciou seus treinamentos.

Nikolai detém o recorde do ginasta masculino que mais medalhas conquistou em Olimpíadas, somando um total de quinze.[1] A também soviética Larissa Latynina sustenta, desde 1964, o recorde de maior medalhista olímpica entre ginastas, enquanto nas demais modalidades o recordista é Michael Phelps, nadador. Andrianov é também conhecido por suas treze medalhas em mundiais e suas dezoito medalhas europeias, sendo dez delas de ouro. O ex-ginasta foi bicampeão olímpico no solo e no salto, bicampeão mundial nas argolas e tricampeão europeu no salto, além de bicampeão europeu no solo e campeão europeu, mundial e olímpico do individual geral.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

O pai de Nikolai abandonou a família – ele, a mãe e suas três irmãs - enquanto o ginasta ainda era um menino. Sua reação foi a rebeldia: fugia das aulas e constantemente entrava em atrito com os professores. Ao completar onze anos, Zhenya Skurlov, melhor amigo do rapaz, convenceu-o a acompanhá-lo em uma aula de ginástica. O instrutor dos atletas era Nikolai Tolkachev, que aceitou ensinar a modalidade ao jovem Andrianov.[3]

Não demorou muito e Tolkachev logo percebeu a necessidade de uma figura mais forte e influente sobre o rebelde garoto. Nesse momento, o treinador decidiu que Andrianov deveria morar com ele, para ser melhor orientado. O resultado veio logo em seguida: O comportamento do jovem havia melhorado e mais do que um treinador, Tolkachev era visto como um pai.[3]

Cinco anos mais tarde, veio a estreia em uma competição, o Espartacus Júnior de 1969, em Yerevan. Terminados os eventos, Tolkachev retornou com ideias para a reformulação das rotinas do ginasta. No ano seguinte, Andrianov entrou para a equipe principal, como reserva. Em sua contínua melhora, em 1971, o atleta participava de seu primeiro Campeonato Europeu. Nele, conquistou seis medalhas - duas delas de ouro - e o reconhecimento internacional.[3]

Em 1972, o ginasta sagrou-se a maior esperança soviética para a Olimpíada de Munique, ao tornar-se campeão no Campeonato Soviético. Apesar dos bons desempenhos, o concurso geral olímpico fora conquistado pelo japonês Sawao Kato e Andrianov, após uma queda na prova do cavalo com alças, encerrou sua participação com a quarta posição.[4] [5] Ainda que o predomínio fosse da equipe japonesa, a União Soviética mostrava competitividade ao ter Nikolai Andrianov como número um do solo.[3]

Nos quatro anos seguintes, Andrianov conquistou importantes medalhas nacionais e internacionais. Durante este momento, ele casou-se com a ginasta soviética Lyubov Burda, bicampeã olímpica por equipes (1968 e 1972).[4] Em 1975, o casal teve seu primeiro filho, Sergei, vindo a ter o segundo, dois anos mais tarde, chamado Dimitri.[3]

Em 1976, nos Jogos Olímpicos de Montreal, Andrianov viveu o melhor momento de sua carreira: conquistou sete medalhas olímpicas – quatro delas de ouro -, entre elas o concurso geral,[6] ao superar – pela maior margem em 42 anos[5] - Sawao Kato,[1] antes vencedor da disputa. Por este feito, o ginasta fora condecorado com a Ordem de Lenin e nomeado, pelos jornalistas, o esportista soviético o ano.[7] Quatro anos mais tarde, aos 28, Nikolai participara de sua última Olimpíada, na qual conquistava mais cinco medalhas.[3] [4]

O ginasta retirou-se das competições neste mesmo ano e substitui seu técnico, Tolkachev, na escola de ginástica, em Vladimir. Um de seus alunos foi seu filho, Sergei, um jovem ginasta não tão expressivo quanto o pai. Nikolai ainda assistiu ginastas como Vladimir Artemov e Alexei Nemov, ambos medalhistas olímpicos.[3]

Após a dissolução da União Soviética, Andrianov mudou-se para o Japão, onde treinou o filho de Mitsuo Tsukahara, Naoya, campeão olímpico em Sydney.[3] [4] Em 2011, sofrendo de atrofia sistêmica múltipla que o impedia de falar e movimentar os membros inferiores e superiores,[8] ficou confinado em sua casa em Vladimir, na Rússia. Em 21 de março do mesmo ano, o ex-ginasta faleceu em decorrência da doença, aos 58 anos.[9]

Principais resultados[editar | editar código-fonte]

Ano Evento AA Equipe Solo Cavalo com alças Argolas Salto sobre o cavalo Barras paralelas Barra fixa
1971 Campeonato Europeu Medalha de bronze Medalha de bronze Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de ouro Medalha de prata
Campeonato Nacional Soviético Medalha de ouro
1972 Campeonato Nacional Soviético Medalha de ouro Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de prata Medalha de prata Medalha de prata Medalha de ouro
Jogos Olímpicos Medalha de prata Medalha de ouro Medalha de bronze
Copa Soviética Medalha de ouro
1973 Campeonato Europeu Medalha de prata Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de ouro Medalha de prata
Jogos Universitários Medalha de ouro Medalha de ouro Medalha de ouro Medalha de ouro Medalha de ouro
Campeonato Nacional Soviético Medalha de ouro
1974 Campeonato Mundial de Ginástica Artística Medalha de prata Medalha de prata Medalha de prata Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de prata
Campeonato Nacional Soviético Medalha de ouro Medalha de ouro Medalha de ouro Medalha de bronze Medalha de ouro
Copa Soviética Medalha de ouro
1975 Copa do Mundo Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de prata Medalha de ouro
Campeonato Europeu Medalha de ouro Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de ouro Medalha de ouro Medalha de ouro
Campeonato Nacional Soviético Medalha de ouro Medalha de ouro
1976 Jogos Olímpicos Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de ouro Medalha de bronze Medalha de ouro Medalha de ouro
1977 Copa do Mundo Medalha de ouro Medalha de ouro Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de ouro
1978 Campeonato Mundial de Ginástica Artística Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de prata
Copa Soviética Medalha de bronze
1979 Campeonato Mundial de Ginástica Artística Medalha de ouro Medalha de prata
Campeonato Nacional Soviético Medalha de bronze Medalha de bronze
1980 Jogos Olímpicos Medalha de prata Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de ouro Medalha de bronze

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Nikolai Andrianov - URSS (em inglês) Intenational Gymnastics Hall of Fame. Visitado em 23 de janeiro de 2009.
  2. Nikolay ANDRIANOV: The Only Man to Win 15 Medals (em inglês) International Olympic Committee. Visitado em 2 de novembro de 2008.
  3. a b c d e f g h Whatever hapened with Nikolai Andrianov? (em inglês) GymPics. Visitado em 23 de janeiro de 2009.
  4. a b c d Nicolai Andrianov (em inglês) GymnForum. Visitado em 23 de janeiro de 2009.
  5. a b Nikolai Andrianov (em inglês) COI. Visitado em 23 de janeiro de 2009.
  6. Nikolai Andrianov – Olympic Games (em inglês) GettyImages. Visitado em 23 de janeiro de 2009.
  7. Nikolai Andrianov (em inglês) BeijingSite. Visitado em 23 de janeiro de 2009.
  8. Fyodorov (agência Reuters), Gennady (21 de março de 2011). Morre ginasta russo recordista de medalhas olímpicas Andrianov (em Português) Esporte.uol.com.br. Visitado em 1 de dezembro de 2011.
  9. Olympic Legend Andrianov Dies at 59 (em inglês) International Gymnast. Visitado em 21 de março de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]