Ninidrina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ninidrina
Alerta sobre risco à saúde
Ninhydrin-2D-skeletal.png
Ninhydrin-3D.jpg
Outros nomes 2,2-diidroxi-1,3-dioxoidrindeno
2,2-diidroxi-hidrindeno-1,3-diona
2,2-diidroxi-indano-1,3-diona
indanotriona-hidrato
2,2-diidroxi-1,3-indenodiona
2,2-diidroxi-1H-indeno-1,3(2H)-diona
Identificadores
Número CAS 485-47-2
PubChem 10236
ChemSpider 9819
Propriedades
Fórmula química C9H6O4
Massa molar 178.12 g mol-1
Aparência sólido
Ponto de fusão

decompõe-se a 250 °C [1]

Solubilidade em água solúvel (20 g·l-1 a 20 °C)[1]
Solubilidade solúvel em água fervente e etanol, solúvel em éter dietílico [2]
Riscos associados
MSDS External MSDS
Frases R R22, R36, R37, R38
Frases S S26, S28, S36
Compostos relacionados
Cetonas relacionados Indano-1,3-diona
Indanotriona
Compostos relacionados Indano (benzociclopentano)
Excepto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições PTN

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

A ninidrina (2,2-diidroxi-hidrindeno-1,3-diona) é um produto químico utilizado para a detecção de aminas primárias, particularmente de aminoácidos. Ao reagir com essas aminas livres, uma cor azul escura ou roxa, conhecida como púrpura de Ruhemann é produzida. A ninidrina é comumente usada para detectar impressões digitais, já que, graças a sua reação com os aminogrupos terminais das moléculas de lisina incorporadas nas proteínas ou peptídeos, é suficientemente sensível para revelar resíduos de pele. [3]


Notas e referências

  1. a b Registo de Ninhydrin na Base de Dados de Substâncias GESTIS do IFA, accessado em 16 de Janeiro de 2008
  2. Andreas Schmidt, in: Römpp Online - Version 3.5, 2009, Georg Thieme Verlag, Stuttgart.
  3. Ciência forense: impressões digitais