No armário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

"No armário" é uma expressão que geralmente refere-se a comportamento sexual, orientação sexual ou identidade de gênero reservados. O mais comum é dizer respeito a pessoas lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT), bem como pessoas que praticam comportamentos sexuais diferentes, tais como BDSM ou fetiches.[1] [2] [3] Alguém que sai do armário é considerada "out" ou "aberta". Por exemplo, alguém que é "abertamente gay" evita parecer que é heterossexual.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Chauncey, George (1994). Gay New York: Gender, Urban Culture, and the Making of the Gay Male World, 1890-1940. New York: Basic Books. Cited in Seidman 2003.
  • Humphreys, L. (1970). Tearoom Trade: Impersonal Sex in Public Places. Chicago: Aldine.
  • Kennedy, Elizabeth. "'But We Would Never Talk about It': The Structure of Lesbian Discretion in South Dakota, 1928-1933" in Inventing Lesbian Cultures in America, ed. Ellen Lewin (1996). Boston: Beacon Press. Cited in Seidman 2003.
  • Seidman, Steven (2003). Beyond the Closet; The Transformation of Gay and Lesbian Life. ISBN 0-415-93207-6.
  • Seidman, Steven, Meeks, Chet, and Traschen, Francie (1999), "Beyond the Closet? The Changing Social Meaning of Homosexuality in the United States." Sexualities 2 (1)

Bibliografia complementar[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. When Someone You Love Is Kinky by Dossie Easton, Catherine A. Liszt;, published by Greenery Turnaround, 2000; ISBN 1890159239, 9781890159238.
  2. [1]
  3. [2]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre LGBT é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.