Nonsense

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Gravura retirada de Alice no país das maravilhas

Nonsense ("sem sentido", "contra-senso" ou "absurdo" em inglês) é uma expressão inglesa que denota algo disparatado, sem nexo.[1]

A expressão é frequentemente utilizada para denotar um estilo característico de humor perturbado e sem sentido, que pode aparecer em diversas artes.

Nas artes literárias, o nonsense encontra como autores Lewis Carroll e Edward Lear, ambos ingleses.

Lewis Carroll é famoso não apenas pelos livros nonsense ("Alice no país das maravilhas" e "Alice através do espelho") mas também pelos seus desafios matemáticos que parecem se contrapor à lógica. É importante ressaltar suas poesias de caráter surreal tais qual "O tagarelão". Naturalmente, isto implica dizer que o surrealismo, bem como o dadaísmo, explora o nonsense.

Já Edward Lear publicou três livros de poemas: Nonsense songs, stories, Botany and alphabets, More nonsense pictures, Rhymes, Botany etc. e Laughable lyrics.

Referências

  1. Colóquio: Letras, Edições 117-118. Fundação Calouste Gulbenkian, 1990. pp. 256.
Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.