Norma Blum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde Junho de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Norma Blum
Nascimento 11 de outubro de 1939 (74 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Ocupação Atriz
IMDb: (inglês)

Norma Blum (Rio de Janeiro, 11 de outubro de 1939) é uma atriz brasileira. Atua também como terapeuta holística.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Aos doze anos, Norma Blum ingressou na TV Tupi, dando aulas de inglês como assistente de seu pai, o professor Robert Blum. Em 1954, passou a integrar o quadro fixo de atores da TV Tupi, tendo participado da maioria dos programas da época, como o Teatro de Comédia, comandado por Maurício Sherman, o Grande Teatro Tupi, dirigido por Sérgio Britto e Fernando Torres e o Teatrinho Trol, de Fábio Sabag. Na TV Tupi, esteve também no elenco de telenovelas, como A Canção de Bernadete, no papel de Nossa Senhora de Lourdes. Além da TV Tupi, a atriz passou pela TV Excelsior, TV Rio e TV Continental.

Em 1964, foi convidada a participar do elenco de estréia da Rede Globo. Em seu primeiro trabalho na emissora, participou do programa Romance na Tarde, onde fazia a apresentação de filmes e realizava entrevistas com atores e cantores. Participou ainda dos especiais de Dercy Gonçalves e de telenovelas, como A Gata de Vison, em 1968. Ao lado de Hilton Gomes, comandou a apresentação do Festival Internacional da Canção, de 1968 e o de 1969.

Em 1975, retornou à TV Globo para atuar em Pluft, o Fantasminha. No mesmo ano, Norma Blum protagonizou a telenovela Senhora, escrita por Gilberto Braga e dirigida por Herval Rossano. Esteve no elenco de muitas telenovelas da Rede Globo que se seguiram, como Bravo!, em 1975; Vejo a Lua no Céu, em 1976; Marina em 1980; Elas por Elas, em 1982; Sinhá Moça, em 1986, Bambolê, em 1987 e Lua Cheia de Amor em 1990, entre outras. Mas, com certeza, seus personagens mais marcantes foram a doce e corajosa Malvina de Escrava Isaura em 1976 e a cruel governanta Frau Herta de Ciranda de Pedra em 1981.

A atriz também participou do elenco de muitos episódios do Caso Verdade e de minisséries, como Anos Rebeldes, em 1992. Voltou às telenovelas em agosto de 2001, em a Pícara Sonhadora, uma produção do SBT.

Suas últimas atuações na televisão foram nas telenovelas Celebridade, em 2003; A Escrava Isaura, em 2004, Floribella, em 2005; e Malhação em 2007. Retornou em 2011 ao horário nobre na novela de Gilberto Braga Insensato Coração da Rede Globo.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Telenovelas[editar | editar código-fonte]

Atuação no cinema[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o

Atuação no teatro[editar | editar código-fonte]

  • 2003 - O despertar dos anjos, de Gabriel Veiga Castellani
  • 2000/ 2001 - E a Vida Continua, de Chico Xavier
  • 1996 a 1998 - Francisco e Clara
  • 1989 / 1989 a 1992 - Além da vida, de Chico Xavier
  • 1989 - Tutti buona gente
  • 1988 - Os amores de Casanova
  • 1982 / 1983 - Adorável Júlia, de Somerset Maugham
  • 1981 / 1982 - A bomba de Elizabeth, de Álvaro Valle
  • 1976 / 1077 / 1078 - Cinderela do petróleo, de João Bethencourt
  • 1966 - As inocentes do Leblon, de Barillet e Gredy
  • 1965 - Electra, de Sófocles
  • 1964 - Weekend, de Noel Coward
  • 1964 - A quinta cabeça, de Marcel Aymé
  • 1962 /1963 - A terceira pessoa, de Andrew Rosenthal
  • 1962 - Oscar, de Claude Magnier
  • 1962 - Você pode ser pai, de Alexandre Bisson e Vast Ricouard
  • 1959 - Nossa cidade, de Thornton Wilder

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]