Nossa Senhora da Nazaré

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Imagem de Nossa Senhora da Nazaré.

Nossa Senhora da Nazaré é a denominação conferida a uma imagem esculpida em madeira, com cerca de 25 cm de altura, representando Maria sentada num banco a amamentar o Menino Jesus, com as caras e as mãos pintadas de cor "morena". Conforme a tradição oral terá sido esculpida por São José carpinteiro quando Jesus era ainda um bébé, sendo as caras e as mãos pintadas, décadas mais tarde, por São Lucas. É venerada no Santuário de Nossa Senhora da Nazaré, no Sítio da Nazaré, em Portugal.

A história da imagem foi publicada, em 1609, pela primeira vez, por Frei Bernardo de Brito, na Monarquia Lusitana. Este monge de Alcobaça, cronista mór de Portugal, relata ter encontrado no cartório do seu mosteiro uma doação territorial, de 1182, na qual constava a história da imagem, a qual terá sido venerada nos primeiros tempos do cristianismo em Nazaré na Galileia, cidade natal de Maria. Daí a invocação de Nossa Senhora - da Nazaré. Da Galileia terá sido trazida, no século quinto, para um convento perto de Mérida, em Espanha, e dali, em 711 para o Sítio (de nossa Senhora) da Nazaré, onde continua a ser venerada.

A história desta imagem é indissociável do milagre que salvou D. Fuas Roupinho, em 1182, episódio a que se convencionou chamar Lenda da Nazaré.

Durante a Idade Média apareceram centenas de imagens de Virgens Marias Negras por toda a Europa a maioria das quais, tal como esta, esculpidas em madeira, de pequenas dimensões e ligadas a uma lenda miraculosa. Hoje, existem cerca de quatrocentas destas imagens, antigas ou as suas réplicas, em igrejas por toda a Europa, bem como algumas mais recentes no resto do mundo.

A verdadeira e sagrada imagem de Nossa Senhora da Nazaré ainda não foi sujeita a uma perícia laboratorial para a datar científicamente e paralelamente obter a confirmação de se estar perante uma imagem bi-milenar, ou de uma réplica produzida posteriormente[1] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Brito, Frei Bernardo de Brito; Monarquia Lusitana, Tomo II, pgs 272-283; Lisboa, 1609.
  • Alão, Brito, Antiguidade da Sagrada Imagem de Nossa Senhora de Nazaré; Lisboa, 1628.
  • Santa Maria, Frei Agostinho de Santa Maria; Santuário Mariano, tomo II; Lisboa, 1707.
  • Santos, Frei Manoel dos Santos; Alcobaça Ilustrada; Coimbra, 1710.
  • Costa, Padre António Carvalho da; Corografia Portuguesa; Lisboa, 1712.
  • Boga, Padre Mendes; D. Fuas Roupinho e o Santuário de Nossa Senhora da Nazaré; Porto, 1988
  • Granada, João António Godinho, Nossa Senhora da Nazaré e D. Fuas Roupinho, Lenda - História - Tradição; Batalha, 1998.

Referências