Nothing Gold Can Stay (poema)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation arrow.svg
Este artigo foi traduzido de uma versão noutra língua (versão original). Você pode continuar traduzindo ou colaborar em outras traduções.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

"Nothing Gold Can Stay" (literalmente Nada que é dourado fica) é um dos poemas mais famosos de Robert Frost. Escrito em 1923, este poema foi publicado na The Yale Review em outubro daquele ano. Foi publicado posteriormente numa coleção chamada "New Hampshire" (1923), que apresentava outros poemas notáveis de Frost, como Two Look at Two e Stopping by Woods on a Snowy Evening. Com somente oito linhas, o poema é ainda considerado um dos melhores de Frost.

"Nothing Gold Can Stay" também é retratado no romance de 1967 The Outsiders de Susan E. Hinton e sua adaptação para o cinema em 1983. O título "Nothing Gold Can Stay" foi dado ao nome do álbum da banda punk New Found Glory, lançado em 1999.

Poema[editar | editar código-fonte]

Significado[editar | editar código-fonte]

O poema significa que qualquer coisa que é genuína irá eventualmente desaparecer, e que tudo que tem uma beleza verdadeira precisa eventualmente desaparecer. É também uma maneira diferente, mais profunda de mostrar a mudança das estações.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. A tradução para o português é de Heloisa Jahn, encontrada na página 86 do livro Outsiders - Vidas sem rumo, quinta reimpressão, 1996.
Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.