Nova Pinacoteca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Auto-retrato com turbante branco, Paul Cézanne

A Neue Pinakothek (em português Nova Pinacoteca) é um museu em Munique, Alemanha. Tem colecções de arte europeia nos séculos XVIII e XIX.

História[editar | editar código-fonte]

O museu foi fundado pelo rei Ludwig I da Baviera em 1853. Todavia, este iniciou a sua colecção de arte em 1807, quando adquiriu A Madalena Penitente de Heinrich Füger.

Em 1915 o antigo edifício da Nova Pinacoteca tornou-se propriedade do Estado da Baviera, e, com a ascensão ao poder de Ludwig I, a colecção aumentava a cada instante.

Anos mais tarde Ludwig I comprou a colecção de 58 pinturas de Leo von Klenze, que incluiam pinturas de artistas contemporâneos como Carl Rottmann, Franz Ludwig Catel, Georg von Dillis, Julius Schnorr von Carolsfeld, Peter von Hess, entre outros. Cinco anos mais tarde, a 12 de Outubro de 1846, é posta a primeira pedra do antigo edifício. Já com 302 pinturas o museu foi inaugurado em 1853 e aberto ao público.

Com a colecção sempre a crescer, à data da morte de Ludwig, em 1868, o museu contava com 425 obras de pintores, na sua maioria, alemães. Com variadas doações recebidas, em 1909 o museu adquiriu várias obras de Claude Monet, Edouard Vuillard, Paul Cézanne, Gauguin, Manet e Vincent van Gogh.

O edifício original foi então destruído durante a Segunda Grande Guerra, em 1944, por um bombardeamento à cidade.

Desenhado pelo arquitecto Alexander Freiherr von Branca o novo edifício, que viu a sua primeira pedra a 16 de Julho de 1975, abriu em 1981. Em 2003, a Nova Pinacoteca completou 150 anos de existência e, foi neste mesmo ano, que o museu inaugurou a grande sala de paisagens gregas pintadas por Carl Rottmann.

Hoje é um dos mais importantes museus da Europa.


Colecção[editar | editar código-fonte]

O museu possui possui uma colecção que se constitui por mais de 3000 obras de arte, entre pinturas e esculturas e desenhos. A rica colecção contém essencialmente obras de pintores europeus.


Pintura Francesa

Pequena colecção de notável valor artístico e cultural. Especial atenção para os trabalhos de nomes maiores do romantismo francês.

Manet:Pequeno almoço no estúdio

Uma boa compilação de obras da corrente artística do século XIX. Resume muito bem o percurso da mesmo: o início, o auge e o declínio. Da colecção, a obra mais notável é com certeza A ponte sobre o Sena em Argenteuil, do mais conhecido impressionista europeu.

  • Retrato de uma jovem senhora, Pierre-Auguste Renoir
  • Vista sobre Montmartre, com a Sacre-Coeur em construção, Pierre-Auguste Renoir
  • Pequeno-Almoço no estúdio, Edouard Manet
  • Monet pintado no seu «barco-estúdio», Edouard Manet
  • A ponte sobre o Sena em Argenteuil, Claude Monet
  • Nenúfares, Claude Monet
  • Mulher passando a ferro, Edgar Degas
  • Depois do banho, Edgar Degas
  • A rua para Hampton Court, Alfred Sisley

É neste belo conjunto de obras que se reserva um dos mais conhecidos quadros mais conhecidos do Mundo: Doze girassóis numa jarra. Trabalho maior de Van Gogh, resume as fortes alterações na paleta de cores do artista, assim que passou a viver na pictórica cidade de Arles. Atenção também para os excelentes trabalhos de Gauguin, Edouard Vuillard e Odilon Redon.

Peru Depenado, Francisco Goya, 1810


Pintura Espanhola

Embora mínima esta colecção contém belíssimos trabalhos de Goya e um testemunho único da passagem espanhola do século XVIII para o século XIX.

  • Peru depenado, Francisco Goya
  • Don José Queraltó, médico do exército espanhol, Francisco Goya
  • Marquesa de Caballero, Francisco Goya
  • Retrato de D. María Teresa de Borbón y Villabriga, Francisco Goya


Pintura Inglesa


Esta colecção é constituída essencialmente por obras do Barroco e do século XIX e figura entre as maiores fora do Reino Unido e das suas posseções. Especial atenção para os trabalhos de excelência de John Constable, Thomas Gainsborough, Heinrich Reinhold, Joshua Reynolds e George Romney.


Pintura Alemã

Itália e Germania, Friedrich Overbeck

Esta pequena colecção, porém de grande importância comercial, retrata a passagem dos pintores do oitocento alemão pela cidade de Roma. Aqui foram muito bem sucedidos e incentivaram a internacionalização e o reconhecimento do público, da restante Europa, dos pintores alemães.

Uma colecção digna que forma uma boa passagem do Impressionismo na Alemanha, com trabalhos de Max Liebermann, entre outros.

Retrato de Margaret Stonborough-Wittgenstein, Gustav Klimt


A fantástica Art Nouveau e o Expressionismo europeu



Escultura


Um óptima conjunto de trabalhos, maioritariamente franceses, com especial atenção para as esculturas de Picasso e Rodin

Selecção de obras[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Nova Pinacoteca

Aqui poder-se-á encontrar uma selecção de quinze obras maiores na Nova Pinacoteca, em Munique.

1*Mistress Thomas Hibbert, Thomas Gainsborough

2*Sante Agnès de Roma, Johann von Schraudolph

3*Páris, Antonio Canova

4*Don José Queraltó, médico do exército espanol, Francisco Goya

5*Marquesa de Caballero, Francisco Goya

6*Vista sobre Montmartre, com a Sacre-Coeur em construção, Pierre-Auguste Renoir

7*Nenúfares, Claude Monet

8*Quatro mulheres bretãs, Paul Gauguin

9*Retrato de Mulher, Edvard Munch

10*Banhistas, Max Lieberman

11*Clorinda resgatando Olindo e Sophronia, Eugène Delacroix

12*Ostende, Joseph Mallord William Turner

13*Don Quixote, Honoré Daumier

14*Demolição das casas na Pont-au-Change, Hubert Robert

15*Vittoria Caldoni, Friedrich Overbeck

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]