Novell (empresa)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde julho de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Novell é uma empresa de Software americana, especializada em tecnologia de redes e internet, que adquiriu em 2003 a distribuição Linux Suse, tornando-se assim também um dos maiores nomes no mundo do Linux.

História[editar | editar código-fonte]

A empresa começou em 1979 com o nome Novell Data Systems Inc. como produtora de Hardware para sistemas CP/M. Em Janeiro de 1983 foi-lhe dado um novo nome de Novell Inc. e Ray Noorda tornou-se o chefe da empresa. Também em 1983, foi apresentado o seu mais importante produto até então, um sistema operacional para redes: Netware. Novell Inc. está listada na Nasdaq com o nome de NOVL.

O protocolo de rede que a Firma apresentou baseia-se nos serviços XNS (Xerox network services) e desenvolveu-se a partir do IDP e SPP, passando os seus protocolos a ser chamados de IPX (Internetwork Packet eXchange) e SPX (Sequenced Packet eXchange). Serviços de ficheiros e impressão correm no NCP (NetWare Core Protocol) sobre IPX, tal como a informação de Routing RIP e informação de serviços (SAP).

A Novell comprou a empresa Digital Research, o produtor do DR-DOS, um sistema parecido com o MS-DOS mas capaz de Multitasking e vendeu-o sob o nome de Novell DOS (mais tarde conhecido como OpenDOS e depois como DR-DOS e vendido através da Caldera Systems.

Durante os anos 80, os negócios corriam muito bem. A empresa detinha com o seu sistema operativo de rede uma posição de monopólio e podia vender os seus produtos a um preço alto. Isto alterou-se nos anos 90, à medida que o Windows ganhou a pouco e pouco funções de rede.

Com base no Unix SVR4, a Novell começou também a desenvolver um derivado Unix próprio, que em Novembro de 1992 foi publicado com o nome de UnixWare.

Com a compra de diferentes empresas, a Novell tentou fortalecer-se contra a concorrência. Em 1993 comprou a Unix System Laboratories à AT&T e licenciou is direitos às outras empresas. No mesmo ano comprou a WordPerfect Corp. e o Quattro Pro à empresa Borland.

Mas com estes passos, a Novell estava a disversificar de uma forma pouco inteligente, mudando de clientes, investindo pouco na pesquisa e deixando o seu produto principal opaco e difícil de controlar e administrar.

À medida que a performance da companhia diminuia, Noorda foi obrigado a sair em 1994 e a partir de 1996 a empresa começou a dirigir-se (tardiamente) para os produtos relacionados com a internet, abandonando o seu protocolo de rede proprietário a favor do IP nativo. Esta mudança foi acelerada quando Eric Schmidt se tornou CEO em 1997 e o resultado foi o NetWare 5 e os associados directory services através do Novell Directory Service. Com as receitas caindo, a empresa fez uma aposta forte nos serviços de rede e na interoperabilidade de plataformas.

Em 1995 o Unix foi vendido ao SCO Group. Os termos da venda permanecem controversos entre a Novell e o SCO Group, especialmente no que diz respeito aos Copyright.

A Digital Research passou para a Caldera Systems. Com o WordPerfect Office a Novell estava muito insatisfeita. Perdia quota de mercado sem parar. Enquanto que o Groupware GroupWise que lhe era pertencente permaneceu na Novell e era vendido separadamente, o resto do WordPerfect Office, nomeadamente WordPerfect, Presentations e Quattro Pro, foi vendido à Corel.

Em Julho de 2001 a Novell comprou a empresa de Consultoria Cambridge Technology Partners para a transformar no seu departamento de venda. O CEO desta empresa, Jack Messman, em breve se tornaria chefe da Novell.

A 4 de Agosto de 2003 a Novell anunciou a compra do produtor de software Ximian (fundado em 1999 por Nat Friedman e Miguel de Icaza). A empresa Ximian vendia Open Source Software e oferecia um Desktop próprio para várias distribuições Linux, conhecido como GNOME.

A 4 de Novembro de 2003, a Novell anunciou a compra da SuSE Linux AG pelo preço de 210 Milhões de dólares. Para muitos esta aquisição jà era um sinal claro de uma mudança estratégica na política de desenvolvimento, e em que esta iniciaria um processo de transiçao a longo prazo, do seu sistema operativo, para uma plataforma Linux. Ainda no final de 2003 a Novell deu o ar da sua graça ao garantir os serviços do seu Netware 6x para o Monstro da Fastfood "McDonald's" no Brasil.

A transação foi concluida em Fevereiro de 2004. Com isso, a Novell tornou-se um dos maiores distribuidores de Linux no mundo.

Em Março de 2005 a Novell anunciou o OES (Open Enterprise Server). Este compreende ao mesmo tempo Netware e o Suse Enterprise Server e oferece aos clientes Novell de longa data a possibilidade de migração para o Linux.

Este foi sem dúvida o ano chave de uma assumidissima mudança da Novell, para a integração e migração suave dos seus produtos para Linux. Não significando na continuação da aposta destes na àrea de Segurança e Groupware ainda para o Netware 6.5, que apesar de tudo que se apregoa, continuam a ser uma referência no mercado, como seja ZENWorks 7 e Groupwise 7.

Poderia aqui inventar mil e uma teorias da conspiração para a perda de supremacia da Novell para a Microsoft,(se bem que esta continua a ser uma força poderosa nos mercados da América do Norte e Central) mas só pode se queixar dela própria, pois a apostas tardias, uma postura algo altiva perante o mercado contribuíram para o desfecho inevitável.

Em 2006 ironia do destino a Novell e Microsoft assinaram uma parceria conjunta que tanto tinta fez correr, nas comunidade Linux.

Em Julho de 2007, Um Juiz da Corte Distrital do estado de Utah, nos Estados Unidos, considerou que a Novell é a proprietária dos direitos do Unix e UnixWare. A sentença refuta os argumentos de quebra de contrato da SCO e significa um duro revés em sua batalha pelos direitos autorais do Unix. a justiça também determinou que a SCO deve ressarcir à Novell parte das receitas de licenciamento de sistemas Sun Microsystems e Microsoft, que deveria ter pago pela venda de licenças.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]