Novo Repartimento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Novo Repartimento
"Princesinha da Amazônia"
Bandeira de Novo Repartimento
Brasão de Novo Repartimento
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 1993
Gentílico neo–repartimentense
Prefeito(a) Valmira Alves da Silva[1] (PR)
(2013–2016)
Localização
Localização de Novo Repartimento
Localização de Novo Repartimento no Pará
Novo Repartimento está localizado em: Brasil
Novo Repartimento
Localização de Novo Repartimento no Brasil
4° 15' 4" S 49° 56' 49" O4° 15' 4" S 49° 56' 49" O
Unidade federativa  Pará
Mesorregião Sudeste Paraense IBGE/2008[2]
Microrregião Tucuruí IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes Marabá, Jacundá, Tucuruí, Pacajá, Itupiranga e Goianésia do Pará.
Distância até a capital 560 km
Características geográficas
Área 15 398,627 km² [3]
População 65 106 hab. IBGE/2012[4]
Densidade 4,23 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,537 baixo PNUD/2010[5]
PIB R$ 304 847,866 mil IDESP/2010[6]
PIB per capita R$ 4 907,07 IDESP/2010[6]
Página oficial

Novo Repartimento é um município brasileiro do estado do Pará. Localiza-se a uma latitude 04º19'50" sul e a uma longitude 49º47'47" oeste, estando a uma altitude de 0 metros. Sua população estimada em 2012 era de 65.106 habitantes.[4] Possui uma área de 15464,19 km².

História[editar | editar código-fonte]

A origem do município de Novo Repartimento está relacionada à tribo indígena Parakanã, à construção da Rodovia Transamazônica e à construção da Usina Hidrelétrica de Tucuruí. O nome Repartimento, segundo os historiadores, teve origem com os índios Parakanãs, os quais denominaram de Repartimento um rio que fazia a divisão de suas terras.

A vila de Repartimento foi a denominação dada ao local onde fixou-se a povoação oriunda do acampamento da empresa que construíu a Rodovia Transamazônica. O município surgiu a partir da mudança obrigatória da vila de Repartimento Velho, em decorrência da inundação daquela área pelas águas da represa da barragem da Usina Hidrelétrica de Tucuruí. O município foi criado pela Lei 5.702, de 13 de dezembro de 1991. Foi desmembrado dos municípios de Tucuruí, Jacundá e Pacajá.[7]

Saúde[editar | editar código-fonte]

O município conta com um hospital municipal, localizado na sede, e oito postos na zona rural: Vila Maracajá, Divinópolis, Paracanã, Projeto Tuerê, Vila S. Vicente, Vila Belo do Monte, Gleba Baiano e Bacajazinho. O município conta ainda com um posto da Fundação de Saúde.

Educação[editar | editar código-fonte]

O município possui 150 escolas, distribuídas na zona rural e na sede municipal. Novo Repartimento também possui sete creches conveniadas com o Ministério da Educação.

Segurança[editar | editar código-fonte]

A segurança do município de Novo Repartimento está sob a responsabilidade da Policia Militar do Estado do Pará, que possui uma equipe destacada do 13º Batalhão de Tucuruí. O DPM de Novo Repartimento possui um Sub-destacamento na vila de Maracajá. Em 2009 o município recebeu um posto da Polícia Rodoviária Federal.[8]

Saneamento[editar | editar código-fonte]

A distribuição de água atende uma pequena parcela da população que mora na sede do município, este ocorre através de poços artesianos e coleta com tratamento em um rio, a maioria das casa apresenta poços e na maioria dos bairros existe esgoto, porém não a tratamento destes resíduos. Nas vilas não existe sistema de esgoto, em algumas existe sistema de abastecimento de água. Ocorre coleta de lixo em todo o município, porém todo o material coletado não recebe tratamento e é jogado a céu aberto.

Economia[editar | editar código-fonte]

Cerca de 90% da população vive no meio rural, em projetos criados pelo INCRA, e estão ligados direta ou indiretamente à atividade agrícola. A pecuária tem pequena participação no contexto econômico, sendo praticada por médios e grandes produtores. No extrativismo vegetal, os produtos que mais se destacam são a madeira e a castanha do Pará.

Este contexto prevaleceu até a década de 90, a partir deste período a população urbana se igualou a rural oriundo da formação de novas vilas, chegada de novas pessoas e principalmente através do êxodo rural. As principais fonte econômicas é o funcionalismo público, comércio e pecuária.

Referências

  1. Eleições 2012: confira quais foram os prefeitos eleitos na região do Carajás. Jornal do Zedudu.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. a b Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data de Referência em 1º de julho de 2012. Estimativa Populacional para 2012. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1º de julho de 2012). Página visitada em 16 de janeiro de 2013.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 22 de setembro de 2013.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios do estado do Pará - 2010. Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará. Página visitada em 13 de março de 2012.
  7. Site Ordem - Novo Repartimento
  8. Folha do Bico - Polícia desvenda sequestro em Novo Repartimento
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Pará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.