Nusa Kambangan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Localização de Nusa Kambangan (a verde na imagem)

Nusa Kambangan é uma ilha do Oceano Índico, separada por um estreito da costa meridional de Java, frente ao porto de Cilacap. A sua área é de 121 km². Administrativamente, a ilha faz parte do kabupaten de Cilacap na província de Java Central.

A ilha tem uma prisão de alta segurança onde ficam detidos os prisioneiros mais perigosos do país, nomeadamente assassinos, terroristas, traficantes de droga e condenados por alta corrupção.

História[editar | editar código-fonte]

Nusa Kambangan foi convertida em prisão em 1920. O governo colonial das Índias Orientais Neerlandesas aí construiu uma prisão para criminosos e dissidentes políticos.

Com a independência, Nusa Kambangan continuou a ser uma prisão. Sob o governo de Suharto, centenas de dissidentes políticos foram presos nesse local. A maioria eram ex-membros do Partido Comunista Indonésio, organização proibida.

Em 1996, a ilha foi finalmente aberta ao público como um destino turístico.

Nusa Kambangan também serviu como uma casa para os refugiados. Em 2001, 140 afegãos foram aí detidos quando, a caminho da ilha de Natal, o seu barco afundou. Mais de 90 deles conseguiram fugir em pequenas embarcações e chegar à Austrália.

A ilha também foi afetada pelo terremoto em Java, em Julho de 2006. Pelo menos 11 moradores desapareceram e 8 pessoas morreram, incluindo 2 prisioneiros da prisão Permisan.

Ambiente[editar | editar código-fonte]

O lutung, um dos primatas de Nusa Kambangan

Nusa Kambangan está separada de Java pelo estreito chamado Segara Anakan. Pouco povoada, preservou a vida selvagem. A parte oriental é uma reserva natural. Há uma velha fortaleza neerlandesa na praia de Karangbandung.

A ilha conta com pelo menos 71 espécies de aves, 14 de répteis e diferentes espécies de mamíferos. 23 espécies de aves são protegidas, como o kuntul karang (egretta sacra), a garça-negra (ciconia episcopus), o bangau tongtong (leptoptilos javanicus), o haliaeetus leucogaster), o elang bondol (haliastur indus) e o elang bido (spilornis cheela). Entre os mamíferos protegidos estão a espécie panthera pardus), o muntiacus muntjak e o tragulus javanicus. Quatro dos seis primatas endémicos de Java - o lutung de Java (trachypithecus auratus), o macaca fascicularis, o presbytis comata e o kukang (nyctibus sp.) foram já avistados em Nusa Kambangan.

Economia[editar | editar código-fonte]

Se se excluir os detidos, a população da ilha é de 3000 habitantes, a maior parte vivendo da pesca. Também há plantações de cautchu e de teca.

As prisões[editar | editar código-fonte]

Há 9 prisões na ilha, 4 ainda em funcionamento: Permisan (construída em 1908), Batu (1925), Besi (1929) e Kembangkuning (1950). As outras são: Nirbaya (1912), Karanganyar (1912), Karangtengah (1928), Gliger (1929) e Limusbuntu (1935).

Todas, exceto Kembangkuning, foram construídas antes da independência. Batu é a mais conhecida.

Prisioneiros célebres[editar | editar código-fonte]

Nusa Kambangan também deteve centenas de membros da Gerakan Aceh Merdeka, libertados entretanto.[5]

Referências