Oólito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Setembro de 2008).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Microscopia de uma lâmina de oosparite com oólitos calcíticos num cimento de calcite (rocha da Carmel Formation, Jurássico, do sul de Utah, USA). O maior ooide tem 1,2 mm de diâmetro.

Oólito (do grego: òoion, ovo + lithos, pedra) é a designação dada a grãos arredondados do tamanho de areia (0,25 a 2,00 mm) formados por precipitação química inorgânica de carbonato de cálcio em águas agitadas e com pouca deposição de material clástico. A precipitação ocorre geralmente em camadas concêntricas em torno de um núcleo de quartzo ou de fragmento de concha, dando origem a pequenos grãos que se assemelham, na forma, a ovos de peixe (daí o nome). Embora sejam constituídos predominantemente por CaCO3, os oólitos apresentam por vezes quantidades apreciáveis de outros materiais, nomeadamente sílica, dolomita e fosfatos diversos.

A sua litificação dos oólitos origina os calcários oolíticos, muito comuns em jazidas exploradas para produção de rochas ornamentais e para material de revestimento em arquitectura. Um exemplo é a Pedra de Ançã.

Quando atingem dimensões da ordem dos 0,5 a 1,0 cm denominam-se pisólitos.