OK

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

"O.K." é uma expressão de origem desconhecida e etimologia muito discutida. Equivale à expressão em português "Está bem!" e suas derivações.

A primeira vez que apareceu o acrônimo O.K. foi no dia 23 de Março de 1839 no jornal "Boston Morning Post", cuja autoria é atribuída ao seu editor Charles Gordon Greene.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A expressão pode ter diversas origens etimológicas possíveis. Ainda não se pode afirmar onde ou em que data surgiu a expressão OK.

Origem alemã[editar | editar código-fonte]

A etimologia da palavra é muito discutida. Muitos estudiosos acreditam que é uma deformação da expressão All Correct (por "Oll Korrekt"), que quer dizer "tudo está correto", cuja origem provavelmente remonta à expressão Olles kloer do baixo alemão..

Origem Indígena norte-americana[editar | editar código-fonte]

Também se acha que provem de okeh que na língua nativa americana Choctaw significava "sim".[1] [2]

Origem afro-americana[editar | editar código-fonte]

Outras teorias indicam que OK pode ter uma origem africana e que foi levada para os EUA pelos escravos provenientes daquele continente, o que deriva da forma de afirmação latina hoc ille ou do occitano oc que significa "sim".[3] [4] [5]

Origem grega[editar | editar código-fonte]

Outra fonte possível para o OK pode ser a expressão grega transliterada a seguir: olla kalá, que significa tudo bem.

Origem norte-americana[editar | editar código-fonte]

Diz outra teoria que a expressão "OK" tenha se originado dentro dos quartéis militares durante a Guerra da Secessão. Quando as tropas voltavam para os alojamentos depois de um dia de batalha sem a morte de nenhum militar, era exposto um grande painel com os caracteres "0K", que significava "0 Killed", (que em português quer dizer zero mortos) que era um bom sinal, pois após um dia inteiro não havia mortos, por esse motivo foi traduzido como "tudo bem".

Expressão Americana[editar | editar código-fonte]

Segundo Vance Packard, em seu livro "Nova técnica de convencer", Editora Ibrasa 1965r, a expressão "OK" teria sido usada durante a guerra pelos soldados americanos, quando na conferência das baixas do dia, dizia-se está tudo OK, ou seja, referencia a Zero ("O") Killed ("k"), portanto sem baixas ou mortos. O sinal é também expresso pelo gesto de encostar a ponta do dedo indicador na ponta do polegar da mesma mão, enquanto mantém-se os demais dedos abertos.


Fontes[editar | editar código-fonte]

Aventuras na História (abril,2006)

Referências

  1. Jim Fay, The Choctaw Expression "Okeh" and the Americanism "Okay", http://www.illinoisprairie.info/chocokeh.htm retrieved 18 Mar 2012
  2. Cyrus Byington (1915), A Dictionary of the Choctaw Language Página acedida em 30 de Maio de 2012
  3. J. F. D. Smyth. (1784) A Tour in the United States of America (London, 1784), 1:118–21. Página acedida em 30 de Maio de 2012
  4. Yngve, Victor. "On getting a word in edgewise," page 568. Papers from the Sixth Regional Meeting [of the] Chicago Linguistic Society, 1970.
  5. Joseph E.Holloway & Winifred K. Vass (1993), The African Heritage of American English, p. 145-6
Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.