OS/400

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde dezembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
IBM i
Produção IBM
Modelo Código Fechado
Versão estável 6.1
Licença Proprietária
Página oficial IBM Internacional

IBM i (previamente i5/OS ou OS/400) é um sistema operativo desenvolvido pela IBM Corporation e utilizado pela primeira vez em 1988 nos sistemas AS/400. O novo nome, IBM i, foi revelado a 2 de Abril de 2008.[1]

O OS/400, i5/OS e IBM i têm um subsistema integrado que providencia compatibilidade com as versões antigas dos sistemas IBM, tais como as séries IBM System/36 e IBM System/38.

A 25 de Fevereiro de 2005, a Zend Technologies e a IBM anunciaram uma parceria estratégica para a inclusão da linguagem de programação PHP nos seus sistemas[2] . Em 2007, a IBM, a Zend Technologies e a MySQL AB anunciaram o suporte na plataforma IBM i para a linguagem de programação PHP e a base de dados open source MySQL.

IBM i é um dos três sistemas operativos com suporte nos IBM Power Systems, juntamente com AIX e Linux.

Características[editar | editar código-fonte]

  • Baseado em objectos: é um sistema operativo baseado em objectos que podem ser “modelados", ou seja, torna o sistema operativo independente do hardware o que lhe permite que a sua utilização em sistemas diferentes seja possível sem a sua compilação. Exemplos de tipos de objectos são: directórios, perfil de utilizadores, livrarias, descrições de dispositivos, etc…
  • Flexibilidade de aplicações: suporta aplicações de outros sistemas operativos, por exemplo do Linux, do Windows, do NT2000, do UNIX, etc.
  • Multiutilizador e multitarefa: permite vários utilizadores em sessão simultânea, bem como várias tarefas.
  • Linha de comandos CL (control language): este sistema operativo possui uma linha de comandos com comandos próprios designados por Control Languages (CL)
    • · CRT - create
    • · DEL - delete
    • · WRK - work
    • · CHG - change
    • ·RNM - Rename
  • Integridade e segurança: possui cinco níveis de segurança que tornam este sistema operativo seguro e fiável.
  • SO primário dividido em duas partes: está dividido em duas partições o que permite a instalação e execução de outros sistemas operativos, sem que estes entrem em conflito dado que este sistema operativo consegue distribuir os seus recursos (memória interna, espaço em disco e tempo de processamento).
  • Armazenamento num único plano: a informação é armazenada na mesma estrutura o que torna mais fácil e rápido o acesso à informação.

Funções[editar | editar código-fonte]

  • Control Language – conjunto de comandos utilizados para gerir e navegar no sistema.
  • Data Management – permite ao utilizador consultar e administrar informação.
  • Work management – permite executar várias tarefas ou trabalhos em simultâneo.
  • Programmer services – fornecem a sustentação para fazer desenvolvimento de programas.
  • System operator services – o operador de sistema presta serviço de manutenção.
  • Communication support – o programa OS/400 suporta uma larga escala de funções de comunicação que permite que o seu sistema AS/400 comunique com outros sistemas.
  • Security – o sistema implementa um conjunto de elementos que garantem a segurança dos dados e dos recursos.

Níveis de segurança[editar | editar código-fonte]

  • GO SECURITY – comando de verificação do nível de segurança implementado no sistema.
  • Nível 10 – tem acesso total ao sistema sem recorrer a palavra-passe. Este nível já não é utilizado.
  • Nível 20 – é necessário a introdução de palavra-passe e dá acesso a todos os recursos do sistema.
  • Nível 30 – requer palavra-passe para iniciar sessão e os utilizadores têm de possuir permissões para ter acesso a objectos e recursos do sistema.
  • Nível 40 - requer palavra-passe para iniciar sessão e os utilizadores têm de possuir permissões para ter acesso a objectos e recursos do sistema. Os programas falham se tentarem ter acesso a objectos através de interfaces não suportadas.
  • Nível 50 - requer palavra-passe para iniciar sessão e os utilizadores têm de possuir permissões para ter acesso a objectos e recursos do sistema. Os programas falham se tentarem passar valores de parâmetros não suportados para interfaces suportadas ou se tentarem ter acesso a objectos através de interfaces não suportadas.

Outros Comandos CL[editar | editar código-fonte]

  • CHGCURLIB – Alterar a Biblioteca corrente
  • EDTLIBL – Editar Lista de Bibliotecas
  • DLTLIB – Eliminar Biblioteca
    • CRTLIB – Criar Biblioteca
    • ADDLIBLE – Adicionar Entrada de Lista de Biblioteca
    • RMVLIBLE – Remover Entrada da Lista de Biblioteca

Lista de comandos para Processos[editar | editar código-fonte]

  • WRKACTJOB – Trabalhar com processos/ trabalhos activos
  • WRKJOB – Trabalhar com trabalho
  • WRKSBSJOB – Trabalhar com trabalhos de subsistema
  • WRKSBMJOB – Trabalhar com trabalhos submetidos
  • WRKUSRJOB – Trabalhar com trabalhos de utilizador
  • CHGSYSJOB – Alterar o sistema de trabalho
  • CHGJOB – Alterar trabalho
  • WRKRDR – Trabalhar com Leitor
  • WRKWTR – Trabalhar com Escritor
  • WLSJOB – Libertar Trabalho
  • RLSJOB – Libertar trabalho se estiver na condição de retido
  • RLSRDR – Libertar Leitor
  • RLSWRT – Libertar Escritor
  • SBMJOB – Submeter Trabalho
  • HLDJOB – Reter Trabalho
  • SPLFILE - Reter Ficheiros em Spool
  • HLDRDR – Reter Leitor
  • HLDWTR – Reter Escritor
  • ENDJOB – Terminar trabalho
  • ENDRDR – Terminar leitor
  • ENDWTR – Terminar escritor

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Informática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.