O Cravo e a Rosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Cravo e a Rosa
O Cravo e a Rosa (PT/BR)
Logotipo o oficial da novela.
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 45 min (aprox.)
Criador(es) Walcyr Carrasco
Mário Teixeira
País de origem  Brasil
Idioma original Língua portuguesa
Produção
Produtor(es) Walter Avancini
Elenco Adriana Esteves
Eduardo Moscovis
Drica Moraes
ver mais
Tema de abertura "Jura", Zeca Pagodinho
Transmissão original 26 de junho de 20009 de março de 2001
Nº de episódios 221 (original)
144 (primeira reprise)
120 (segunda reprise)
Cronologia
Último
Último
Esplendor
Estrela-Guia
Próximo
Próximo
Programas relacionados A Indomável
O Machão
Os Inocentes
Chocolate com Pimenta
Alma Gêmea

O Cravo e a Rosa é uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas, pela Rede Globo, de 26 de junho de 2000 a 9 de março de 2001, em 221 capítulos,[1] substituindo Esplendor e sendo substituída por Estrela-Guia.

Foi escrita por Walcyr Carrasco e Mário Teixeira, com a colaboração de Duca Rachid, tendo direção de Amora Mautner, Ivan Zettel e Vicente Barcellos, direção geral de Walter Avancini e Mário Márcio Bandarra, com direção de núcleo de Dennis Carvalho. [2]

É baseada na peça teatral A Megera Domada, de William Shakespeare, e com referências nas novelas A Indomável de Ivani Ribeiro na Rede Excelsior e O Machão, de Sérgio Jockyman na Rede Tupi. A peça teatral Cyrano de Bérgerac, de Edmond Rostand, foi outra referência usada pelo autor.[3]

Contou com Adriana Esteves, Eduardo Moscovis, Leandra Leal, Ângelo Antônio, Rodrigo Faro, Carlos Vereza, Eva Todor, Taumaturgo Ferreira, Vanessa Gerbelli, Pedro Paulo Rangel, Suely Franco, Tássia Camargo, Luís Mello, Maria Padilha, Ney Latorraca e Drica Moraes nos papéis centrais da trama.

Foi reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo entre 13 de janeiro e 1º de agosto de 2003 em 144 capítulos, substituindo Por Amor e antecedendo Anjo Mau.

Foi reapresentada novamente no Vale a Pena Ver de Novo entre 5 de agosto de 2013 e 17 de janeiro de 2014, em 120 capítulos, substituindo O Profeta e sendo substituída por Caras & Bocas.[4] Esta foi a sua segunda exibição dentro do programa. Foi a última reprise da sessão Vale a Pena Ver de Novo a ser exibida depois do Vídeo Show e antes da Sessão da Tarde.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O contraponto desta divertida história é o amor de cão e gato entre Catarina Batista (Adriana Esteves) e Julião Petruchio (Eduardo Moscovis). Ela é a mulher moderna e feminista, na sociedade paulista da década de 20, que recusa o papel feminino de restringir a lavar ceroulas em um tanque. Já ele é um homem machista cuja crença é a de que a mulher deve ser a rainha do lar. Duas pessoas tão diferentes vivem um romance contraditório. Conhecida como "a fera" por colocar todos os seus pretendentes para correr, Catarina vai esbarrar na teimosia de Petruchio que, inicialmente, decide conquistá-la para, com o dote do casamento, salvar a sua fazenda de ser leiloada. Eles acabam se apaixonando, mas não dão o braço a torcer, vivendo cenas divertidas de discussões e brigas vulcânicas.

Nicanor Batista (Luís Melo), o pai de Catarina, é um banqueiro milionário que quer ver a filha casada e livrar-se do constrangimento que passa por causa das atitudes da mesma e lançar sua candidatura a prefeito. O banqueiro porém esconde de todos que tem uma segunda família com Joana (Tássia Camargo), uma moça pobre, lavadeira de roupas que acredita que Batista se chama Manoel e é um caixeiro-viajante. O que ela não imagina é que é seu amante há dez anos e que ele é um viúvo com dois filhos. Além de Catarina, ele é pai de Bianca (Leandra Leal), uma menina sonhadora e romântica que quer noivar e casar, diferente da irmã. Ela é apaixonada pelo mulherengo esportista Heitor (Rodrigo Faro), filho da divertida Josefa (Eva Todor) e irmão da interesseira Dinorá (Maria Padilha), uma mulher fútil casada com o submisso Cornélio Valente (Ney Latorraca), tio de Petruchio e que morre de medo da esposa. Dinorá e Josefa é que têm a ideia de aproximar Petruchio de Catarina, visando que com isso, Bianca poderia se casar com Heitor, já que Batista só deixaria a filha mais nova subir ao altar depois de Catarina arrumar um pretendente. A doce Bianca porém acaba se dividindo entre Heitor e o tímido professor de poesias Edmundo (Ângelo Antônio), seu verdadeiro amor. Também apoiam o romance de Petruchio e Catarina, Calixto (Pedro Paulo Rangel), velho empregado da fazenda que considera Petruchio um filho, e Mimosa (Suely Franco), a governanta dos Batista que criou Bianca e Catarina e ao longo do tempo, descobrirá o amor com o engraçado Calixto.

Porém, há os que são contra a esse romance. Entre eles está a ardilosa Lindinha (Vanessa Gerbelli), sobrinha de Calixto e criada com Petruchio na fazenda, apaixonada por ele e que conta com a ajuda do caipira Januário (Taumaturgo Ferreira) para atrapalhar o amor dos dois. Além dela, ainda é contra o jornalista Serafim (João Vitti), que pretende conquistar Catarina para dar o golpe do baú e o poderoso Joaquim Almeida (Carlos Vereza), homem misterioso que tem por único objetivo arruinar Petruchio porque acredita que ele foi o responsável pela perdição de sua única filha, Muriel.

E para piorar esse cenário, chega de Paris a sofisticada Muriel (Drica Moraes) que no passado teve um romance com Petruchio e jurou vingança a ele. Agora com o nome de Marcela, está disposta a se apossar dos bens do ingênuo pai e reconquistar de vez Petruchio, se colocando entre o casal central, batendo de frente com Catarina.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Adriana Esteves Catarina Batista
Eduardo Moscovis Julião Petruchio
Leandra Leal Bianca Batista
Ângelo Antônio Prof. Edmundo das Neves
Pedro Paulo Rangel Calixto
Eva Todor Josefa Lacerda de Moura / Desirée
Taumaturgo Ferreira Januário dos Santos
Tássia Camargo Joana
Suely Franco Mimosa
Rodrigo Faro Heitor Lacerda de Moura
João Vitti Jornalista Serafim Amaral Tourinho
Vanessa Gerbelli Lindinha
Murilo Rosa Celso de Luca
Carlos Evelyn Fábio Moreira (Mudinho)
Carla Daniel Lourdes de Castro
Virgínia Cavendish Bárbara Maciel
Ana Lúcia Torre Leonor Fernandes (Neca)
Bia Nunnes Dalva Lacerda Pinto
Miriam Freeland Cândida Lacerda (Candoca)
Rejane Arruda Maria Quitéria de Andrade "Kiki Duprèe"
Luiz Antônio Buscapé
Júlio Levy Cosme
Bernadeth Lyzio Berenice
Taís Müller Fátima
João Capelli Jorginho
Luís Mello Nicanor Batista / Manoel
Ney Latorraca Cornélio Valente
Maria Padilha Dinorá de Moura Valente
Carlos Vereza Joaquim Almeida
Cláudio Corrêa e Castro Normando Castor
Drica Moraes Marcela Almeida / Muriel
Déo Garcez Ezequiel
Matheus Petinatti Teodoro Seabra
Paulo Hesse Delegado Sansão Farias
Sérgio Módena Ignácio
Gláucio Gomes gerente do hotel
Roney Villela Jack
Jamaica Magalhães Benedita
Rosane Corrêa Etelvina
Lúcia Alves Dra. Hildegard
Isaac Bardavid Felisberto
Nelson Xavier Dr. Caio
Nizo Neto François
Alexandre Barillari Manoel

Produção[editar | editar código-fonte]

A abertura de O Cravo e a Rosa era inspirada em fotos e filmes do início do século. Um camafeu dourado girava no ar e, a cada volta, mostrava imagens em preto e branco com aparência de película antiga, típicas do cinema mudo, de vários personagens da novela, em especial Petruchio (Eduardo Moscovis) e Catarina (Adriana Esteves). Em agosto de 2001, a abertura foi escolhida a melhor do ano pelo júri do II Festival Latino-Americano de Cine Vídeo, em Mato Grosso do Sul.[5]

A novela utilizou dois tipos de filtros de câmera usados pela direção de fotografia com o objetivo de conseguir uma luz mais realista, tendo como referências filmes como Summertime de 1955, conhecido como Quando o Coração Floresce no Brasil, e Passagem para a Índia de 1984, ambos de David Lean; Henry & June de 1990, de Philip Kaufman; e O Grande Gatsby de 1974, de Jack Clayton.[6]

Atores figurantes homenagearam personagens reais, o diretor Walter Avancini inseriu nas cenas pequenas aparições de figuras ilustres da época como a artista plástica Tarsila do Amaral, a cantora lírica Bidu Sayão, o poeta Oswald de Andrade e o escritor Monteiro Lobato, este ao lado da esposa, Maria Pureza, a dona Purezinha, as cenas foram exibidas nas primeiras semanas da novela.[7]

Exibição[editar | editar código-fonte]

Originalmente foi exibida entre 26 de junho de 2000 a 9 de março de 2001,sendo a terceira novela de época sequencial do horário (as outras foram Força de um Desejo e Esplendor).[8]

Foi reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo, entre 13 de janeiro e 1 de agosto de 2003, às 14h30. Foi umas das reprises que foi ao ar com menos tempo depois de ser exibida originalmente, apenas 1 ano e 10 meses do seu término, e teve média geral de 23 pontos de audiência.[9] Durante a exibição desta reprise, o capítulo 108, que seria exibido no dia 11 de junho, não foi ao ar em razão do amistoso Nigéria 0 x 3 Brasil.[10] Sendo assim, a novela que terminaria com 145 capítulos, fechou com 144.

Foi reapresentada novamente no Vale a Pena Ver de Novo entre 5 de agosto de 2013 e 17 de janeiro de 2014, em 120 capítulos, substituindo O Profeta e sendo substituída por Caras & Bocas.[11] Esta foi a sua segunda exibição dentro do programa. Foi a última reprise da sessão Vale a Pena Ver de Novo a ser exibida depois do Vídeo Show e antes da Sessão da Tarde.

A novela foi reapresentada nos Estados Unidos, no Vale a Pena Ver de Novo, pela Globo Internacional. Em Portugal, foi exibida no canal SIC e, atualmente, está sendo reprisada, no horário das 14h, substituindo a novela Como Uma Onda. Foi vendida para países como Canadá, Letônia, Peru, Russia.[12]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Teve média final de 30,6 pontos de audiência na primeira exibição.[10] Em seu último capítulo em 10 de março de 2001 a novela registrou 43 pontos de média e 48 de pico no Ibope.[13]

Na primeira reprise de 2003, teve média geral de 23 pontos de audiência, apenas sete a menos que o resultado atingido entre 2000 e 2001.[9]

Na segunda reprise, 2013, teve média geral de 14 pontos de audiência, apenas 16 pontos a menos que o resultado atingido entre 2000 e 2001, e apenas 9 pontos a menos que o resultado em sua primeira reprise, de 2003. Sendo assim, foi conquistou o público rapidamente, que foi perdido entre as duas antecessoras.[14]

Reprise[editar | editar código-fonte]

Foi reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo, entre 13 de janeiro e 1 de agosto de 2003, às 14h30. Foi umas das reprises que foi ao ar com menos tempo depois de ser exibida originalmente, apenas 1 ano e 10 meses do seu término, e teve média geral de 23 pontos de audiência.[9] Durante a exibição desta reprise, o capítulo 108, que seria exibido no dia 11 de junho, não foi ao ar em razão do amistoso Nigéria 0 x 3 Brasil.[10] Sendo assim, a novela que terminaria com 145 capítulos, fechou com 144.

Foi reapresentada novamente no Vale a Pena Ver de Novo entre 5 de agosto de 2013 e 17 de janeiro de 2014, em 120 capítulos, substituindo O Profeta e sendo substituída por Caras & Bocas.[15] Esta foi a sua segunda exibição dentro do programa. Foi a última reprise da sessão Vale a Pena Ver de Novo a ser exibida depois do Vídeo Show e antes da Sessão da Tarde.

Na primeira reprise de 2003, teve média geral de 23 pontos de audiência, apenas sete a menos que o resultado atingido entre 2000 e 2001.

Em sua segunda reprise de 2013, o primeiro capítulo teve 14 de média e 40% de participação na audiência em São Paulo. O índice é superior a estreia de suas antecessoras, O Profeta e Da Cor do Pecado, que marcaram 13 e 12 pontos, respectivamente.[16]

No Rio de Janeiro, a reprise marcou 17 pontos, um a menos do que o primeiro capítulo da reapresentação de O Profeta em fevereiro de 2013 e dois a menos que Da Cor do Pecado no primeiro capítulo de setembro de 2012.[17]

O último capítulo da sua segunda reprise, marcou altos índices de audiência, saindo de cena com 19 pontos, sua média geral foi de 14 pontos, bons índices, superando suas duas antecessoras, Da Cor do Pecado e O Profeta.[18]

Recepção[editar | editar código-fonte]

O Cravo e a Rosa foi inspirada nos clássicos A Megera Domada, de William Shakespeare e Cyrano de Bérgerac, de Edmond Rostand, com referências nas novelas A Indomável, de Ivani Ribeiro na Rede Excelsior, de 1965, e, O Machão, de Sérgio Jockyman na Rede Tupi, de 1974. Graças à excelente química entre seus protagonistas, Julião Petrucchio (Eduardo Moscovis) e Catarina Batista (Adriana Esteves), e o tom de comédia, O Cravo e a Rosa se tornou uma novela de boa audiência, com uma média geral de 30,6 pontos no horário.[10] Walcyr Carrasco então, depois do grande sucesso da novela Xica da Silva, na extinta TV Manchete, se consolidou como um dos autores de maior respeito da TV Globo, com mais duas tramas de época, campeãs de audiência no horário: Chocolate com Pimenta, em 2003 e Alma Gêmea, em 2005. Devido ao grande sucesso, a novela teve um esticamento de cerca de 70 capítulos.[19]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

A canção de abertura, versão de Zeca Pagodinho para Jura, samba de Sinhô em 1929 por Mário Reis. A trilha contava ainda, entre suas 14 faixas, com uma gravação de Ella Fitzgerald e Count Basie para Tea for Two, composta em 1925 por Vincent Youmans e Irwing Caesar.

O Cravo e a Rosa
Trilha sonora de vários intérpretes
Lançamento 2000
Gênero(s) Vários
Formato(s) CD
Gravadora(s) Som Livre

Capa: Leandra Leal

  1. "Jura" - Zeca Pagodinho (Tema de Abertura)
  2. "Olha o que o Amor Me Faz" - Sandy & Junior (Tema de Bianca)
  3. "O Cravo e a Rosa" - Jair Rodrigues (Tema do núcleo da fazenda de Petruchio)
  4. "Nada Sério" - Joanna (Tema de Candoca)
  5. "Tristeza do Jeca" - Sérgio Reis (Tema de Januário)
  6. "Mississippi Raq" - Claude Bolling
  7. "Quem Toma Conta de Mim (Someone To Watch Over Me)" - Paula Toller (Tema de Kiki)
  8. "Lua Branca" - Verônica Sabino (Tema de Lindinha)
  9. "Odeon" - Sérgio Saraceni (Tema Geral)
  10. "Coquette" - Guy Lombardo (Tema de Calixto e Mimosa)
  11. "Tua Boca" - Belo (Tema de Catarina e Petruchio)
  12. "Tea For Two" - Ella Fitzgerald & Count Basie (Tema de Cornélio e Dinoráh)
  13. "Rain" - Sérgio Saraceni
  14. "On The Mississippi" - Claude Bolling

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Melhor Ator: Eduardo Moscovis

  • Festival Latino Americano (2001)

Melhor Atriz: Adriana Esteves

  • TV Press (2000)

Melhor Novela

Referências

  1. Memória Globo. O Cravo e a Rosa - Trama Principal. Página visitada em 25 de janeiro de 2014.
  2. XAVIER, Nilson. O Cravo e a Rosa - Teledramaturgia. Página visitada em 25 de janeiro de 2014.
  3. XAVIER, Nilson. O Cravo e a Rosa. Teledramaturgia. Página visitada em 23 de julho de 2013.
  4. O Cravo e a Rosa: novela volta ao Vale a Pena Ver de Novo no dia 5 de agosto. Rede Globo. globo.com (17 de julho de 2013). Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  5. Memória Globo. Abertura. Página visitada em 4 de agosto de 2013.
  6. Memória Globo. Fotografia. Página visitada em 4 de agosto de 2013.
  7. Memória Globo. Curiosidades. Página visitada em 4 de agosto de 2013.
  8. Memória Globo. Ficha técnica. Página visitada em 21 de dezembro de 2008.
  9. a b c Terra Brasil. Globo tenta alavancar 'Vale a Pena Ver de Novo' com 'O Cravo e a Rosa'. Página visitada em 8 de agosto de 2013.
  10. a b c d Amistoso da seleção. Terra Networks (11 de junho de 2003). Página visitada em 25 de dezembro de 2013.
  11. O Cravo e a Rosa: novela volta ao Vale a Pena Ver de Novo no dia 5 de agosto. Rede Globo. globo.com (17 de julho de 2013). Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  12. Memória Globo. O Cravo e a Rosa. Página visitada em 24 de julho de 2013.
  13. http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u11419.shtml
  14. http://oplanetatv.clickgratis.com.br/noticias/audiencia-da-tv/confira-a-audiencia-do-ultimo-capitulo-da-re-reprise-de-o-cravo-e-a-rosa.html
  15. O Cravo e a Rosa: novela volta ao Vale a Pena Ver de Novo no dia 5 de agosto. Rede Globo. globo.com (17 de julho de 2013). Página visitada em 2 de agosto de 2013.
  16. Flávio Ricco. Jornalismo da Cultura passa por processo de reforma. Página visitada em 7 de agosto de 2013.
  17. Heloisa Tolipan. 'O cravo e a rosa' volta à Globo com bom Ibope em SP, mas não tão bom no Rio. Página visitada em 7 de agosto de 2013.
  18. http://oplanetatv.clickgratis.com.br/noticias/audiencia-da-tv/confira-a-audiencia-do-ultimo-capitulo-da-re-reprise-de-o-cravo-e-a-rosa.html
  19. SIC. "O Cravo e a Rosa" regressa à SIC. Página visitada em 22 de março de 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]