O Estranho Mundo de Zé do Caixão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Estranho Mundo de Zé do Caixão
 Brasil
1968 • p&b • 80 min 
Direção José Mojica Marins
Produção José Mojica Marins
Roteiro José Mojica Marins
R. F. Lucchetti
Elenco José Mojica Marins
Mário Lima
Gênero Terror
Idioma Português
Música Herminio Giménez
José Mojica Marins
Cinematografia Giorgio Attili
Edição Nilcemar Leyart
Lançamento 25 de novembro de 1968
Página no IMDb (em inglês)

O Estranho Mundo de Zé do Caixão é um filme brasileiro de terror de 1968 produzido e dirigido por José Mojica Marins, também conhecido pelo seu alter ego, Zé do Caixão. O filme é uma coleção de três curtas-metragens: O Fabricante de Bonecas, Tara, e Ideologia. Apesar do título, o personagem de Zé do Caixão não aparece no filme.[1] A canção título foi escrita por Marins, e executada por Edson Lopes e o grupo de samba brasileiro Titulares do Ritmo.[2]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O Fabricante de Bonecas[editar | editar código-fonte]

Um fabricante de bonecas local é muito popular por confeccionar bonecas realistas, que são feitas por suas quatro lindas filhas. Um grupo de assaltantes, ouvindo que a fabricante de bonecas não guardava o seu dinheiro em banco, vai até a sua loja para atacar o velho. O fabricante de bonecas, aparentemente desmaia durante o ataque e os atacantes tentam estuprar suas filhas sedutoras. Resistentes, à princípio, cada uma das mulheres começa a notar os "belos olhos" dos atacantes e tornam-se receptivas e até mesmo encorajam suas investidas. Quando o recuperado fabricante de bonecas aparece na sala, cada filha de forma rápida e silenciosa se afasta de seus atacantes, deixando-os para serem baleados e mortos por seu pai. As cenas seguintes revelam que esta é a técnica pela qual o fabricante de bonecas obtém os olhos realistas para suas bonecas. (18 minutos)

Elenco: Vany Miller, Veronica Krimann, Paula Ramos, Esmeralda Ruchel, Luís Sérgio Person, Mário Lima, Rosalvo Caçador, Toni Cardi, Messias de Melo, Leila de Oliveira.

Tara[editar | editar código-fonte]

Um pobre e feio vendedor de balões com um fetiche por pés torna-se obcecado por uma bela mulher que ele vê passar todos os dias. Ele começa a segui-la e observar suas atividades, quando, assistindo ao seu casamento, ele a vê ser assassinada. Mais tarde, após voltar do funeral, ele retorna ao cemitério e viola o mausoléu onde seu caixão foi colocado. Abrindo o caixão, retira seu vestido de noiva, tem relações sexuais com o corpo e realiza o fetichismo do pé. Depois de vesti-la novamente, calça um par de belos sapatos novos nos seus pés, sapatos que o vendedor de balões recolheu após ela tê-los deixado cair enquanto fazia compras, na esperança de um dia devolvê-los a ela. (24 minutos)

Elenco: George Michel Serkeis, Iris Bruzzi, Arnaldo Brasil, Ana Maria, Pontes Santos, Antonia Siqueira, Guilermina Martins, Wilson dos Santos, Bettyr Dorffer, Luís Carlos Vianna.

Ideologia[editar | editar código-fonte]

O psicótico professor Oãxiac Odéz (José Mojica Marins) convida um professor rival e sua esposa para sua casa, então os aprisiona e submete-os a uma série de provações sádicas, inanição, e exibições de rituais chocantes envolvendo sadismo e canibalismo, em uma tentativa de provar que o instinto supera a razão e o amor. (34 minutos)

Elenco: José Mojica Marins, Osvaldo de Souza, Nidi Reis, Nivaldo de Lima, Salvador do Amaral, Kátia Dumont, Dario Santos, Carla Sotis.

Referências

  1. O Estranho Mundo de Zé do Caixão em IMDb (em inglês) IMDb. Página visitada em 16 junho 2008.
  2. O Estranho Mundo de Zé do Caixão (em português) Casulo (2006). Página visitada em 28 julho 2008.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.