O Horla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Horla (em francês Le Horla) é um pequeno conto de terror de 1887 escrito em forma de jornal pelo escritor francês Guy de Maupassant. H. P. Lovecraft, em sua pesquisa Supernatural Horror in Literature, elogia O Horla.

A história foi citada como inspiração para a obra de Lovecraft, The Call of Cthulhu, que também conta com seres extraterrestres que influenciam mentes e que são destinadas a controlar a humanidade.

Enredo[editar | editar código-fonte]

O conto possui duas versões; na primeira, a história é contada do ponto de vista de que os acontecimentos já ocorreram, já a segunda é relatada em primeira pessoa, em ordem cronológica, datada de dia e mês exatos para cada fato. Há pequenas alterações de um texto para o outro.

O conto relata a história de um personagem com angústias e desordens mentais. À sua volta ele sente a presença de um ser estranho que decide chamar de Horla.

Ao decorrer da história a sanidade do personagem e seus sentimentos de alienação são questinados enquanto que O Horla domina seus pensamentos. Ao perceber que tal ser bebe da água do protagonista, este coloca ao lado de sua cama vários tipos de alimentos, como vinho, morangos, leite e água; estes dois últimos são os únicos que são consumidos durante a noite, os demais permanecem intocáveis. Assim, ele começa a se questionar se seria ele mesmo que estaria tomando tais líquidos ou algum ser anormal estaria dentro do quarto.

A presença do Horla se torna cada vez mais intolerável ao protagonista, chegando ao ponto de querer matar-se ou matar o Horla. No ponto em que o homem, que depois de duvidar se o ser seria algo de sua cabeça ou fruto de uma doença qualquer, já tem certeza de que esse ser é indubitavelmente poderoso, conjectura:

Portanto, senhores, um Ser, um Ser novo que, sem dúvida, logo se multiplicará assim como nós nos multiplicamos, acaba de surgir sobre a terra.

E prevendo a soberania de tal ser, que demonstrou-se primeiramente no Brasil, sobre a humanidade:

Quem é? Meus senhores, é aquele que a Terra espera depois do homem! Aquele que vem nos destronar, nos subjugar, nos dominar e, talvez, alimentar-se de nós, como nos alimentamos dos bois e dos javalis. [...] E aqui está, meus senhores, para terminar um fragmento de jornal que chegou às minhas mãos e que vem do Rio de Janeiro. Eu leio: "Uma espécie de epidemia de loucoura parece alastrar-se há algum tempo na província de São Paulo. Os habitantes de várias aldeias fugiram, abandonando suas terras e suas casas, dizendo-se perseguidos e devorados por vampiros invisíveis que se alimentam da sua respiração durante o sono e que, além disso, só beberiam águas e às vezes leite!"

Análise[editar | editar código-fonte]

Muitos acreditam que o autor era louco quando escreveu este conto, mas foi somente mais tarde que Maupassant foi diagnosticado com doença mental. A aparente insanidade do protagonista contribui com o ar fantástico que percorre a obra.

Influência[editar | editar código-fonte]

  • O filme Diary of Madman é vagamente baseado em O Horla.
  • Um episódio da segunda temporada de Star Trek conta com uma entidade inspirada no Horla.
  • A trilogia Bartimaeus tem O Horla como um poderoso espírito
  • O músico Patrick Horla utilizou o nome do conto como nome artístico

Referências[editar | editar código-fonte]

Livro Contos Fantásticos, O Horla & Outras Histórias - Guy de Maupassant - L&PM Pocket, páginas 80 e 81.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]