O Livro de Thoth

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Livro de Thoth é um nome dado a muitos textos egípcios antigos que supostamente foram escrito por Thoth, o deus egípcio da escrita e do conhecimento.

Textos[editar | editar código-fonte]

Os egípcios armazenaram muitos textos, em uma ampla gama de assuntos, em "Casas da Vida", bibliotecas contidas em templos. Como Thoth era o deus do conhecimento, muitos desses textos foram considerados de sua autoria.[1] O historiador egípcio Manetho alegou que Thoth escreveu 36.525 livros.[2]

O pai da igreja Clemente de Alexandria, no sexto livro de sua obra Stromata, menciona quarenta e dois livros usados ​​por sacerdotes egípcios que, segundo ele, contém "toda a filosofia dos egípcios". Todos estes livros, de acordo com Clemente, foram escritos por Hermes (o nome grego para Thoth). Entre os assuntos que cobrem estão hinos, rituais, construção do templo, astrologia, geografia e medicina.[1] :p. 58–59

Os egiptólogos Richard Lewis Jasnow e Karl-Theodor Zauzich apelidaram um longo egípcio texto do período ptolomaico de "Livro de Thoth". Este texto demótico, conhecido a partir de mais de quarenta cópias fragmentárias, consiste em um diálogo entre uma pessoa chamada "A-um-que-ama-conhecimento" e uma figura que Jasnow e Zauzich identificar como Thoth. Os temas da conversa deles incluem o trabalho de escribas, vários aspectos dos deuses e seus animais sagrados e o Duat, o reino dos mortos.[3] :p. 72–73

Referências

  1. a b Garth Fowden. The Egyptian Hermes: A Historical Approach to the Late Pagan Mind. Princeton University Press; 1993. ISBN 0-691-02498-7. p. 57.
  2. Ephraim Chambers. Chambers's encyclopædia: a dictionary of universal knowledge for the people. J.B. Lippincott & Co.; 1870. p. 341.
  3. Richard Jasnow; Karl-Theodor Zauzich. The Ancient Egyptian Book of Thoth: A Demotic Discourse on Knowledge and Pendant to the Classical Hermetica. Otto Harrassowitz Verlag; 2005. ISBN 978-3-447-05082-1. p. 2–9.