O Livro dos Mártires

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Martírio duplo na fogueira, 1558; De uma edição de 1641 de Foxe.

O Livro dos Mártires é um dos mais famosos livros da literatura protestante, e apenas entre 1563 e 1684 teve nove edições.[1] [2]

Escrito por John Foxe e publicado pela primeira vez em latim, em 1559, e depois em inglês, em 1563, com o nome The Actes and Monuments of These Latter and Perilous Dayes, o livro narra a história de sofrimento e perseguição dos principais mártires cristãos, começando por Jesus Cristo e até o final do reinado de Maria I (chamada pelos protestantes de Maria Sanguinária, devido às perseguições que sofreram durante o reinado dela). Narra as histórias de reformadores e mártires famosos, como Policarpo, John Wycliffe, John Huss, Lutero, Hugh Latimer, Thomas Cranmer e muitos outros que sofreram perseguição e martírio pelos pagãos e pela Inquisição. O livro foi também ilustrado com gravuras.

O Livro dos Mártires moldou por séculos a consciência religiosa da Inglaterra. O livro contém uma severa crítica ao catolicismo e busca dar apoio à Igreja da Inglaterra, que fez o possível para colocar uma cópia dele em todas as paróquias do país.

No Brasil, a primeira tradução foi publicada em 2001, mas a tradução definitiva foi publicada em 2003, feita pelo especialista em língua inglesa Almiro Pisetta.

Referências

  1. Peter Nockles. The Nineteenth Century Reception (em inglês). Visitado em 25 de janeiro de 2010.
  2. The Protestant Knights. The New Foxes' Book of Martyrs (em inglês). Visitado em 25 de janeiro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre O Livro dos Mártires