The Seven Year Itch

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de O Pecado Mora ao Lado)
Ir para: navegação, pesquisa
The Seven Year Itch
O Pecado Mora ao Lado (PT/BR)
Opening title from The Seven Year Itch trailer.jpg
 Estados Unidos
1955 •  cor •  105 min 
Direção Billy Wilder
Roteiro Billy Wilder
Elenco Marilyn Monroe
Tom Ewell
Género comédia romântica
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

The Seven Year Itch (br/pt: O Pecado Mora ao Lado) é um filme americano de 1955, uma comédia romântica baseada na peça teatral de George Axelrod, levada aos palcos da Broadway em 1952. O filme foi dirigido por Billy Wilder e é considerado uma das grandes comédias do cinema de todos os tempos.

A cena em que o vestido cor de marfim de Marilyn é levantado na rua pelo jato do respiradouro do metrô na calçada tornou-se um ícone da cinematografia mundial. Esse vestido foi leiloado em Junho de 2011 por 5,6 milhões de dólares.[1] .

Sinopse[editar | editar código-fonte]

MM "atacada" por Ewell em O Pecado Mora ao Lado

Após mandar sua mulher para o interior durante o forte verão nova-iorquino, Richard Sherman conhece uma modelo loira sem nome, que é sua nova vizinha do andar de cima. Apesar de acometido de uma recente paranóia sobre a possibilidade de se tornar infiel - está lendo no momento um livro chamado A coceira do sétimo ano (The 7 Year Itch), que fala das grandes probabilidades do homem se tornar infiel após sete anos de casamento, exatamente o tempo que ele tem de casado - ele convida a moça para tomar um drink em seu apartamento, e se tornam amigos.

Durante todo seu relacionamento com a modelo, apenas amigável por parte dela mas com uma atração incontrolável e hilariante de Richard pela loira, ele é perseguido por pesadelos e delírios de sedução e infidelidade, tanto dele quanto de sua mulher, que lhe aparece em sonhos o traindo com seu vizinho e amigo ou o matando a tiros por ciúmes da vizinha loira.

Elenco principal[editar | editar código-fonte]

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

BAFTA 1956 (Reino Unido)

  • Indicado na categoria de melhor atriz estrangeira (Marilyn Monroe).

Globo de Ouro 1956 (EUA)

  • Venceu na categoria de melhor ator de cinema - musical/comédia (Tom Ewell).

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

A cena do vestido no trailer do filme
  • O filme foi o maior sucesso de bilheteria dos EUA durante o Verão de 1955 e consolidou o nome de Marilyn Monroe como a maior estrela de cinema e símbolo sexual da época.
  • Marilyn apareceu para fazer as fotos promocionais do filme, marcadas para madrugada em plena rua Lexington, em Nova Iorque - em que repetiria para fotos a cena do vestido branco levantado pelo vento da grade do metrô - da mesma maneira como sempre dormia. Sem calcinha. Foi necessário um empréstimo de última hora de uma das assistentes de produção, para que as fotos fossem feitas, com grande multidão de fãs presente.
  • Walter Matthau chegou a fazer testes para o principal papel masculino.
  • Em Portugal, com muita admiração de muitos cinéfilos devido aos assuntos que o filme abordava na época, o filme conseguiu escapar às malhas da Censura do Estado Novo, e foi exibido em 1955 nos cinemas nacionais, com o mesmo sucesso equivalente ao sucesso que teve nos EUA. Mais tarde, este filme foi exibido pela primeira vez na TV portuguesa em 1987. A sua estreia absoluta em televisão aconteceu na RTP1, na célebre rubrica de cinema «Lotação Esgotada», na quarta-feira, dia 4 de Novembro de 1987, às 21 e 35, cuja exibição decorreu até às 23 e 45, hora da emissão do noticiário "24 Horas". Nesse dia, a RTP exibiu o 18º episódio da série "O Império de Carson" às 18 e 55, um programa de Direito de Antena do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público às 20 e 10, seguindo-se às 20 e 20 o 18º episódio da telenovela «Roque Santeiro». Este filme deu início a um ciclo de três filmes que a «Lotação Esgotada» exibiu no mês de Novembro de 1987, dedicado a Marilyn Monroe, onde se exibiram de seguida os filmes «Paragem de Autocarro» e «Os Inadaptados».
  • Quando o filme foi exibido na TV portuguesa, os níveis de audiência que a RTP1 teve nesse dia foram absolutamente formidáveis. Muitos críticos de cinema ficaram muito felizes pela emissão do filme na RTP, mas sómente criticaram o modelo de exibição, que exibia na totalidade da imagem os créditos iniciais e finais do filme, e durante a rodagem do filme, a imagem ser aproximada para o ecrã inteiro da TV, repetindo-se com menos repercussão o sucesso provocado pela exibição em 1969 na RTP1 do filme «Cimarron» com Glenn Ford, que foi exibido no mesmo modelo, que se utilizou durante muitos anos da RTP e na televisão mundial.
  • Durante uma das cenas finais do filme, o personagem de Tom Ewell diz que há uma loira na cozinha, e sugere que a loira seja Marilyn Monroe.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Rádio e Televisão de Portugal
  • Diário de Lisboa, Fundação Mário Soares

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre The Seven Year Itch

Referências

Filmografia principal de Marilyn Monroe
The Asphalt Jungle (1950) | All About Eve (1950) | Niagara (1953) | Gentlemen Prefer Blondes (1953) | How to Marry a Millionaire (1953) | River of No Return (1954)  | The Seven Year Itch (1955)  | Bus Stop (1956) | The Prince and the Showgirl (1957) | Some Like it Hot (1959) | Let's Make Love (1960) | The Misfits (1961