O Senhor dos Anéis: As Duas Torres

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
O Senhor dos Anéis: As Duas Torres
The Lord of the Rings: The Two Towers
O Senhor dos Anéis: As Duas Torres (PT/BR)
 Nova Zelândia
 Estados Unidos

 • cor • 214 min 
Direção Peter Jackson
Produção Peter Jackson
Barrie Osborne
Fran Walsh
Roteiro Frances Walsh
Philippa Boyens
Stephen Sinclair
Peter Jackson
Baseado em J. R. R. Tolkien
Elenco Elijah Wood
Sean Astin
Ian McKellen
Dominic Monaghan
Billy Boyd
Orlando Bloom
Andy Serkis
Christopher Lee
John Rhys-Davies
Bernard Hill
Miranda Otto
Hugo Weaving
David Wenham
Brad Dourif
Idioma inglês
Música Howard Shore
Cinematografia Andrew Lesnie
Edição Michael J. Horton
Jabez Olssen
Estúdio WingNut Films
The Saul Zaentz Company
Distribuição New Line Cinema
Lançamento Estados Unidos 5 de dezembro de 2002
Brasil 27 de dezembro de 2002[1]
Orçamento US$ 95 milhões
Receita US$ 925.282.504[2]
Cronologia
Último
Último
The Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring
The Lord of the Rings: The Return of the King
Próximo
Próximo
Página no IMDb (em inglês)

O Senhor dos Anéis: As Duas Torres[3] [4] (no original, The Lord of the Rings: The Two Towers) é um filme americano-neozelandês, segunda parte da adaptação cinematográfica da trilogia literária de Tolkien.

Seguindo o exemplo de The Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring (no Brasil, A Sociedade do Anel e em Portugal, A Irmandade do Anel), conquistou a crítica, atingindo 96% de aprovação, mais do que o antecessor que chegou a 92%. Também agradou o público, faturando mais de US$920 milhões mundialmente, sendo US$341 milhões somente nos Estados Unidos. Atualmente ocupa a vigésima segunda maior bilheteria de todos os tempos.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A Sociedade do Anel se desmanchou após a morte de Gandalf e o ataque de Uruk-hais. Boromir morreu; Frodo e Sam continuam no caminho da Montanha da Perdição; Pippin e Merry foram capturados pelos Uruk-Hai; e Aragorn, Legolas e Gimli foram a seu resgate.

Ao descerem os Emyn Muiul, Frodo e Sam encontram-se com Gollum ao qual subjulgam e o tornam seu guia para o Portão Negro, a entrada de Mordor. Aragorn, Legolas e Gimli entram nas planícies do reino de Rohan na caçada aos orcs. Saruman ataca o Folde Ocidental de Rohan e nesta batalha mata o príncipe Théodred. Éomer, Marechal dos Cavaleiros de Rohan, é exilado do palácio e do reino com seus homens pelo conselheiro do rei, Gríma Língua-de-Cobra. Nas planícies do norte, ele e seus cavaleiros atacam e destroem o grupo de orcs que raptaram Merry e Pippin. Os hobbits fogem para dentro da Floresta de Fangorn, onde encontram o ent Barbárvore e levam os ents a se unirem num conselho, o Entebate, onde devem decidir se partem ou não em guerra aberta contra Saruman.

Frodo, Sam e Gollum cruzam os Pântanos Mortos ao norte de Mordor, onde voltam a ver um dos Espectros do Anel montado agora num Falcão-do-Inferno. Após conhecerem Éomer; Aragorn, Legolas e Gimli entram em Fangorn onde encontram Gandalf, vivo e vestido de branco. Este, montado em seu cavalo Shadowfax, os leva para Edoras, onde está o palácio do rei de Rohan.

Ao chegarem ao Portão Negro, Gollum detém os hobbits e revela sobre outra entrada, mais secreta, por onde ele saiu de Mordor, Frodo resolve confiar na criatura e seguir por este novo caminho. Em Edoras, Gandalf desmascara a aliança de Gríma com Saruman e liberta o rei Théoden dos encantos destes. Théoden expulsa Gríma de Rohan e sepulta o corpo de seu filho Théodred, em seguida parte com o povo de Edoras para o Abismo de Helm. Gandalf, preocupado com o ataque de Saruman, parte para buscar ajuda.

Em Ithilien, terras pertencentes ao antigo reino de Gondor, os hobbits são capturados por Faramir e seus homens, guardiões destas terras, que os levam prisioneiros. No caminho para o Abismo de Helm, Aragorn recorda de quando dispensou Arwen de qualquer compromisso com ele, para que ela pudesse partir com seu povo. Os refugiados são atacados por wargs montados, enviados por Saruman, e Aragorn acaba caindo de um penhasco durante o combate. Em Valfenda, Elrond convence sua filha Arwen a partir da Terra-Média. De Isengard, Saruman lança seus exércitos sobre Rohan.

Em Ithilien, Faramir captura Gollum e descobre a verdade sobre a missão de Frodo e Sam. Ele resolve impedí-los e levá-los para seu pai em Gondor. Aragorn se recupera e chega ao Abismo onde alerta o rei dos exércitos inimigos que se aproximam. Antes da batalha iniciar, uma tropa de arqueiros élficos, liderados por Haldir de Lórien, chega ao Abismo para auxiliar os rohirrim. Durante a batalha, os orcs utilizam explosivos para derrubar as muralhas e Haldir é morto. Os ents decidem não se arriscarem na guerra e Barbárvore leva os hobbits embora, mas ao avistar a devastação que Saruman causou à floresta, parte em marcha com os ents para destruir Isengard.

Passando por Osgiliath, que está sob ataque inimigo, Sam revela a Faramir sobre a morte e traição de seu irmão Boromir. Um dos Espectros chega a cidade e os dois o impedem de capturar Frodo. Gandalf chega com Éomer e seus cavaleiros ao Abismo de Helm e destroem os exércitos de Saruman. Os ents atacam e inundam Isengard, destruindo as máquinas e forjas do mago. Faramir decide libertar Frodo, Sam e Gollum e não intervir em sua missão.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Oscar 2003 (EUA)

2 vitórias de 6 indicações[5]

  • Oscar para Melhores Efeitos Visuais - Jim Rygiel, Randall William Cook, Alex Funke e Joe Letteri
  • Oscar para Melhor Edição de Som - Mike Hopkins e Ethan Van der Ryn
  • Indicação para Melhor Filme - Peter Jackson, Barrie M. Osborne e Fran Walsh
  • Indicação para Melhor Edição - Michael Horton
  • Indicação para Melhor Direção de Arte - Grant Major e Dan Hennah
  • Indicação para Melhor Mixagem de Som - Christopher Boyes, Michael Semanick, Michael Hedges e Hammond Peek

Além destes, ganhou outros 57 prêmios no mundo, totalizando 130 indicações.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]