O Sinal da Cruz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sign of the Cross
O Sinal da Cruz (PT/BR)
 Estados Unidos
1932 • p&b • 124 min 
Direção Cecil B. DeMille
Produção Cecil B. DeMille
Roteiro Wilson Barrett
Waldemar Young
Sidney Buchman
Elenco Fredric March
Elissa Landi
Claudette Colbert
Charles Laughton
Ian Keith
Arthur Hohl
Gênero drama histórico
Idioma inglês
Distribuição Paramount Pictures
Página no IMDb (em inglês)

The Sign of the Cross (br/pt: O Sinal da Cruz) é um filme estadunidense de 1932, do gênero drama histórico, dirigido por Cecil B. DeMille. Épico feito dentro do prazo (oito semanas) e sem ultrapassar o orçamento ($650,000), o filme assinalou tanto a volta de DeMille à Paramount Pictures quanto seu reencontro com o sucesso, o primeiro na era do cinema sonoro1 . No entanto, nem todos os excessos típicos do diretor foram abandonados: uma das sequências mais célebres, a do banho da imperatriz Popeia, foi feita com leite de verdade e, como demorou muito a ficar pronta, dois dias depois o set exalava um cheiro insuportável2 .

Produzido em data anterior ao Motion Picture Production Code, que instituiu a censura na produção cinematográfica em 1934, o filme é pródigo em erotismo e sadismo mesclados com religião, uma marca de DeMille. Por ocasião de seu relançamento, em 1944, essas cenas foram cortadas e um prólogo de nove minutos com soldados em aviões de combate durante a Segunda Guerra Mundial foi adicionado3 .

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Depois de incendiar Roma, o imperador Nero culpa os cristãos e decide enviá-los todos para a morte. O prefeito da cidade, Marcus Superbus, conhece a virgem Mércia, cujo padrasto foi preso por disseminar o Cristianismo. Ele se apaixona por ela mas é repelido, o que o leva a humilhá-la fazendo-a viver com a lésbica Ancaria. A cruel Popeia, esposa de Nero, deseja Marcus e condena Mércia a morrer na arena, juntamente com outros cristãos. Marcus tenta fazer com que ela renuncie à sua , porém acaba por antever uma vida a dois no paraíso e ambos dão-se as mãos enquanto as portas que os separam das feras são abertas, formando uma cruz.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Fredric March Marcus Superbus
Elissa Landi Mércia
Claudette Colbert Imperatriz Popeia
Charles Laughton Imperador Nero
Ian Keith Tigelinus
Arthur Hohl Titus, padrasto de Mércia
Harry Beresford Flavius
Tommy Colon Stefanus
Ferdinand Gottschalk Glabrio
Vivian Tobin Dácia
Joyzelle Joyner Ancaria
Nat Pendleton Strabo
Florence Turner (não creditada)
Carol Holloway (não-creditada)
John Carradine (não-creditado)

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Prêmio Categoria(s) Indicada(s) Categoria(s) Premiada(s)
Oscar
(1932-1933)
Melhor Fotografia ---

Referências

  1. EAMES, John Douglas, The Paramount Story, Londres: Octopus Books, 1985 (em inglês)
  2. MATTOS, A. C. Gomes de, Hollywood Anos 30, Rio de Janeiro: EBAL - Editora Brasil-América, 1991
  3. MALTIN, Leonard, Classic Movie Guide, 2a. edição, Nova Iorque: Plume, 2010 (em inglês)

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  • EAMES, John Douglas, The Paramount Story, Londres: Octopus Books, 1985 (em inglês)
  • MATTOS, A. C. Gomes de, Hollywood Anos 30, Rio de Janeiro: EBAL - Editora Brasil-América, 1991

Ver também[editar | editar código-fonte]

Anexo:Filmes de 1932 da Paramount Pictures

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre O Sinal da Cruz