Objeto de Transferência de Dados

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Objeto de Transferência de Dados (do inglês, Data transfer object, ou simplesmente DTO),[1] [2] é um padrão de projeto de software usado para transferir dados entre subsistemas de um software. DTOs são frequentemente usados em conjunção com objetos de acesso a dados para obter dados de um banco de dados.[1] [2]

A diferença entre objetos de transferência de dados e objetos de negócio ou objetos de acesso a dados é que um DTO não possui comportamento algum, exceto o de armazenamento e obtenção de seus próprios dados. DTOs são objetos simples que não contêm qualquer lógica de negócio que requeira testes.[1]

Em uma arquitetura EJB tradicional, os DTOs servem para dois propósitos: primeiro, contornar o problema que entidades do EJB não são serializáveis; segundo, eles definem implicitamente uma fase de montagem onde todos os dados que serão usados para apresentação passam por marshalling antes de irem efetivamente para a camada de apresentação. Uma terceira razao para usar DTOs é que camadas não-adjacentes à camada de dados da aplicação não podem acessar estes objetos e modificá-los.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c MSDN (2010). Data Transfer Object. Microsoft MSDN Library. Retirado de http://msdn.microsoft.com/en-us/library/ms978717.aspx (em inglês).
  2. a b Fowler, Martin (2010). Data Transfer Object. Patterns of Enterprise Application Architecture. retirado de http://martinfowler.com/eaaCatalog/dataTransferObject.html (em inglês).

Links Externos[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre programação de computadores é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.