Oceanário de Lisboa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Oceanário de Lisboa: pavilhão.
Oceanário de Lisboa: aquário do Oceano Índico.
"Vasco", o mascote do Oceanário de Lisboa.
"Vaivém Oceanário", Vila do Porto.
"Vaivém Oceanário" em operação (Vila do Porto).
Uma Raia (bathoidea) no tanque central
2002-10-26 11-15 (Andalusien & Lissabon 296) Lissabon, Oceanário.jpg

O Oceanário de Lisboa localiza-se na freguesia do Parque das Nações, na cidade de Lisboa, distrito de mesmo nome, em Portugal. Constitui-se em um aquário público e instituição de pesquisa sobre Biologia marinha e Oceanografia. É o segundo maior oceanário do Mundo e contém uma extensa coleção de espéciesaves, mamíferos, peixes e outros habitantes marinhos.

História[editar | editar código-fonte]

Foi construído e inaugurado no âmbito da Expo 98, a última exposição mundial do século XX, com o tema "Os Oceanos, um Património para o Futuro".

Os designs conceitual, de arquitetura e de exibição são do arquiteto norte-americano Peter Chermayeff. O seu pavilhão lembra um porta-aviões e está instalado num cais rodeado de água.

Em abril de 2011, a inauguração de um novo edifício, o "Edifício do Mar", da autoria do arquiteto Pedro Campos Costa, marcou a conclusão do projeto de expansão do Oceanário. As novas instalações aumentaram a oferta da instituição com serviços que reforçam o papel da mesma na promoção do conhecimento dos oceanos. O novo edifício inclui uma área dedicada a exposições temporárias, uma nova área de acolhimento aos visitantes e bilheteiras, um auditório e um restaurante, o "Tejo".

Em 18 de dezembro de 2009 o Oceanário atingiu 14 milhões de visitantes[1] . Em 2010 foi visitado por 951.543 pessoas[2] . Em 2012 havia atingido 16 milhões, constituindo-se em uma referência de cultura, lazer, entretenimento e educação no país. Em 2012, recebeu cerca de 900 mil visitantes, cerca de 320 mil portugueses e 600 mil turistas[3] .

A instituição mantém parcerias com instituições e universidades em projetos de investigação científica e de conservação da natureza. Através do seu Programa de Educação desenvolve ainda, desde junho de 2005, um projeto de responsabilidade social, o "Vaivém Oceanário - Educação Ambiental em Movimento", com a missão de divulgar o Oceanário pelo país, oferecendo experiências educativas de acesso livre, organizadas a pedido dos municípios. Em fins de maio de 2012, o Vaivém visitou o 100º município, o de Vila do Porto, na ilha de Santa Maria, nos Açores, em sua primeira viagem fora do território continental.[4]

A empresa Oceanário de Lisboa, da qual a Parque Expo é a única accionista, registou um resultado líquido de 975.869 euros em 2012, valor que representa uma quebra de 30,6% em relação ao ano anterior. Também o número de visitantes deste equipamento foi inferior, em 5%, ao de 2011. A concessão a privados do Oceanário de Lisboa é uma das medidas previstas pelo Governo em 2014[5] .

Características[editar | editar código-fonte]

Com uma área total de 20.000 metros quadrados, o Oceanário tem cerca de 7.500.000 litros de água divididos por mais de 30 aquários e 8000 organismos (entre animais e plantas) de 500 espécies diferentes.

Em seu interior, a principal atração é o aquário central, com 5.000.000 de litros, representando o Oceano Global, onde coexistem várias espécies de peixes como tubarões, barracudas, raias, atuns e pequenos peixes tropicais. Destacam-se ainda mais quatro diferentes aquários que representam, pela sua riqueza natural em termos de fauna e flora, os habitats marinhos do Atlântico Norte (costa dos Açores), do oceano Antártico, do Pacífico temperado (costas rochosas) e do Índico tropical (recife de coral). Separados do aquário central por grandes painéis de acrílico estrategicamente colocados, cria-se a ilusão de estar perante um único aquário.

Atualmente, a exposição permanente celebra a vida na Terra, com uma vasta coleção de seres vivos, evocando a complexa diversidade que habita o oceano global, e o papel deste na equilíbrio e evolução da vida no planeta.

O mascote escolhido do Oceanário de Lisboa é o boneco Vasco (com o mote: "O Vasco é boa onda!"), em referência ao navegador português Vasco da Gama.[6] O "Vasco" encontra-se em dois lugares para "saudar" os visitantes: em frente à entrada principal e na baía em frente ao Oceanário (porto do rio Tejo).

Distinções[editar | editar código-fonte]

Considerado um dos melhores aquários públicos do mundo, foi o primeiro no continente a obter as Certificações de Qualidade ISO 9001, ISO 14001 e EMAS ("Eco-Management and Audit Scheme"). Outras distinções incluem:

  • 1998 - Prémio Valmor de Arquitetura (Menção honrosa);
  • 1998 - Prémio Chiaja Per Le Scienze (Nápoles, Itália);
  • 1998 - Um dos "10 Melhores Eventos Científicos em 1998" (revista Time)
  • 2005 - Prémio EMAS
  • 2006 - Prémio de Mérito Turístico (Medalha de Prata)

Lista de espécies do Oceanário[editar | editar código-fonte]

Tanque central[editar | editar código-fonte]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Oceanário de Lisboa