Ocotea porosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaOcotea porosa
Ocotea porosa no Jardim Botânico de São Paulo.

Ocotea porosa no Jardim Botânico de São Paulo.
Estado de conservação
Status iucn3.1 VU pt.svg
Vulnerável
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Laurales
Família: Lauraceae
Género: Ocotea
Espécie: O. porosa
Nome binomial
Ocotea porosa
(Nees et Martius ex Nees) Liberato Barroso
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Ocotea porosa

Imbuia (do Tupi) - Ocotea porosa (Nees et Martius ex Nees) Liberato Barroso - é uma frondosa árvore da família da Lauraceae (louros), que ocorre tipicamente em florestas ombrófilas mistas[Floresta com Araucária] da região dos Campos Gerais do Paraná.

A Imbuia tem flores pequenas, folhas pequenas e lusidias, tronco grosso, curto até as primeiras inserções dos galhos, razoavelmente retilíneo e por vezes retorcido. Seu fruto se constitui numa pequena cúpula basal.

A madeira da imbuia, outrora abundante, tem alto valor comercial para a industria madeireira por sua afabilidade ao entalhe e longa durabilidade, afora excelente aparência: de cor parda em geral, possui veios que vão do amarelo ao marrom com riscas pretas. Devido à exploração depredatória de sua madeira nobre, hoje integra a Lista Oficial das Espécies da Flora Brasileira Ameaçadas de Extinção, publicada pelo Ministério do Meio Ambiente.

Sinonímia: Canela-broto; Canela-imbuia; Embuia, Imbuia-clara; Imbuia-escura

Sinonímia botânica: Cinnamomum porosum, Oreodaphne porosa, Phoebe porosa.

O ser vivo mais velho da cidade de Curitiba é uma imbuia e sua idade é de, aproximadamente, mil anos. Este exemplar está localizado dentro da mata do Bosque do Capão da Imbuia, um dos espaços públicos da capital paranaense.[1] [2] [3]

Nobre dama da floresta nativa, a imbuia cresce sem pressa, o que a torna mais rara ainda. Pertence à elegante família do louro e da canela e os desenhos de sua madeira durável e perfumada são, muitas vezes, legítimas obras de arte. Apesar de dura, é macia ao formão e serve para marcenaria, esquadrias, lambris, instrumentos musicais, esculturas, mourões e dormentes.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  1. a b CARDOSO, 2004, p87.
  2. Ambiente Brasil edição de 24 de abril de 2005
  3. Dante Mendonça (25 de julho de 2008). Árvores da minha rua - Paraná-Online. Visitado em 11 de maio de 2010.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Koch, Zig. Araucária: A Floresta do Brasil Meridional. Curitiba: Olhar Brasileiro, 2010.
  • CARDOSO, Francisco. Árvores de Curitiba. Curitiba: Ed. do Autor, 2004. 96p

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre magnoliídeas, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.