Oficleide

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Oficleide

O oficleide ou oficlide, também conhecido popularmente como figle é um instrumento musical de sopro da família dos metais. Seu nome se origina do grego óphis,eós (serpente) + kleís,kleidós (chave), já que o instrumento apresenta uma forma semelhante à de uma cobra com chaves ao longo do corpo.

A primeira aparição escrita deste instrumento em orquestra foi na ópera Olímpia, de Gaspare Spontini em 1819. Outras célebres composições para o oficleide são Elias e Sonho de uma Noite de Verão, de Felix Mendelssohn, além da Sinfonia Fantástica, de Berlioz. Também Verdi e Wagner compuseram para Oficleide.

O oficleide foi muito utilizado pelos músicos de choro na segunda metade do século XIX e nas primeiras décadas do século XX. Durante a fase de consolidação deste gênero musical, só perdia em popularidade para a flauta, o violão e o cavaquinho[1] . Foi o instrumento em que se delineou uma das características mais marcantes do gênero, o contracanto denominado baixaria, hoje habitualmente realizado pelos violões de sete cordas.

Referências[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um Instrumento musical é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.