Oito Batutas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Oito Batutas
Oito Batutas, c. 1920
Informação geral
Origem Rio de Janeiro
País  Brasil
Gênero(s) MPB
Período em atividade 1919-1927
Gravadora(s) Victor
Integrantes Pixinguinha
Donga
Moleque Diabo
Alfredo
Esmerino Cardoso
Bonfiglio de Oliveira
Mozart Correia
João Batista
Augusto Amaral
Ex-integrantes Raul Palmieri
Nelson Alves
José Alves
Jacó Palmieri
Luís de Oliveira
J. Tomás
China
José Monteiro
Feniano
J. Ribas
João Pernambuco
Luiz Americano

Oito Batutas foi um conjunto musical brasileiro criado em 1919 no Rio de Janeiro e formado por Pixinguinha na flauta, Donga e Raul Palmieri no violão, Nelson Alves no cavaquinho, China no canto, violão e piano, José Alves no bandolim e ganzá e Luis de Oliveira na bandola e reco-reco. O repertório do conjunto incluía choros, maxixes, canções sertanejas, batuques e cateretê.[1]

O conjunto foi formado para apresentar-se no Cine Palais a pedido de seu gerente, Isaac Frankel, que ouvira o Grupo Caxangá, no qual tocavam Donga, Pixinguinha e João Pernambuco, um dos maiores violonistas da história do choro, autor de Luar do Sertão em parceria com Catulo. Estreou na sala de espera deste cinema, tornando-se uma atração a parte, maior até que os próprios filmes. Alguns dos admiradores do grupo eram Rui Barbosa e Ernesto Nazareth, que se revelara apresentando-se no Cine Odeon, exatamente situado defronte ao Palais, ambos na Cinelândia.

Pelo sucesso do grupo, os Batutas começaram a apresentar-se em festas em casas da alta sociedade, bem como no cabaré Assírio, no subsolo do Teatro Municipal - onde acompanharam os dançarinos Duque e Gaby. A convite destes, e com patrocínio de Arnaldo Guinle, os Batutas viajaram a Paris em 1922, apresentando-se por 6 meses na boate Schéhérazade. Depois de voltar ao Brasil, excursionaram também para Buenos Aires, onde fizeram gravações para a Victor argentina.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • "Meu passarinho/Até eu" (1923) Victor 78
  • "Caruru/Urubu" (1923) Victor 78
  • "Graúna/Me deixa, serpentina!" (1923) Victor 78
  • "Lá-Ré/Pra quem é..." (1923) Victor 78
  • "Se papai souber/Tricolor" (1923) Victor 78
  • "Bataclan/Lá vem ele" (1923) Victor 78
  • "Nair/Não presta pra nada" (1923) Victor 78
  • "Falado/Já te digo" (1923) Victor 78
  • "Três estrelinhas/Vira a casaca" (1923) Victor 78
  • "Até a volta/Vitorioso" (1923) Victor 78
  • "Oito Batutas" (1995) Revivendo CD

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "Oito Batutas". Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira
Flag of Brazil.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Brasil, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.