Oligopólio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Na economia, Oligopólio (do grego oligos, poucos +- polens, vender) é uma forma evoluída de monopólio, no qual um grupo de empresas ou governos promove o domínio de determinada oferta de produtos e/ou serviços.[1]

Definição[editar | editar código-fonte]

Corresponde a uma estrutura de mercado de concorrência imperfeita, no qual o mercado é controlado por um número reduzido de empresas, de tal forma que cada uma tem que considerar os comportamentos e as reações das outras quando toma decisões de mercado.

No oligopólio, os bens produzidos podem ser homogéneos ou apresentar alguma diferenciação sendo que, geralmente, a concorrência se efetua mais ao nível de factores como a qualidade, o serviço pós-venda, a fidelização ou a imagem, e não tanto ao nível do preço.[1]

As causas típicas do aparecimento de mercados oligopolistas são a escala mínima de eficiência e características da procura. Em tais mercados existe ainda alguma concorrência, mas as quantidades produzidas são menores e os preços maiores do que nos mercados concorrenciais, ainda que relativamente ao monopólio as quantidades sejam superiores e os preços menores.[1]

Efeitos no mercado[editar | editar código-fonte]

Nos mercados oligopolistas onde não exista cooperação entre as empresas a curva da procura do produto da empresa depende da reação das outras empresas.[2]

A concorrência neste tipo de mercado para evitar guerras de preços poderá ser feita a outros níveis como nas características dos produtos distintas do preço (p. ex., qualidade, imagem, fidelização, etc.).[2]

O oligopólio pode permitir que as empresas obtenham lucros elevados a custo dos consumidores e do progresso económico, caso a sua atuação no mercado seja baseada em cartéis, pois assim terão os mesmos lucros como um monopólio[3]

Lucros[editar | editar código-fonte]

O lucro económico, que se atinge neste tipo de mercados varia do curto para o longo prazo.

Enquanto no curto prazo o lucro poderá ser positivo, superior à melhor aplicação alternativa, no longo prazo esta situação apenas se manterá se estivermos num mercado oligopolista dominado por cartel, caso contrário o lucro sera 0, uma vez que o lucro positivo levaria a possibilidade de entrada de novos concorrentes.[2]

Referências

  1. a b c Conceito de Oligopólio Knoow.
  2. a b c ALMEIDA, Álvaro (2007), Economia Aplicada para Gestores, Vila Nova de Gaia: Espaço Atlântico - Publicações e Marketing, Lda.
  3. Oligopólios são sempre prejudiciais ao consumidor? Artigos.com.

Ver também[editar | editar código-fonte]